Showroom exibe no Rio produtos de exportação de micros

Empresas / 19:49 - 23 de ago de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Objetos de decoração e artesanato, biojoias, chocolates, cachaça, café e assessórios feitos com material reciclado são alguns dos produtos expostos no showroom Chama Empreendedora, de produtos com potencial de exportação, aberto à visitação até o próximo dia 16 de setembro, na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), na Rua da Candelária, 9, no Centro.

Ao todo, 215 empresas de 16 estados participam do showroom. Foram selecionadas por seus potenciais de exportação, após participarem do circuito da Chama Empreendedora, que, por meio de metodologia do programa Sebrae no Pódio, focado em capacitar as empresas como fornecedoras para o mercado aberto pelos Jogos Olímpicos, percorreu o país com base no circuito feito pela tocha olímpica.

O Brasil tem cerca de 20 mil empresas exportadoras. Desse total, 59,4% são de micro e pequenas. Segundo dados do Sebrae, as MPEs são responsáveis por US$ 2,0 bilhões em exportações, o que representa cerca de 1% do total. A maior parte das microempresas registra valores de exportação relativamente baixos. Mais de 40% delas vendem menos de US$ 10 mil ao ano; 38% oscilam entre US$ 10 mil e US$ 60 mil. Os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina respondem por cerca de 75% do total de exportações das MPEs, sendo a América Latina o principal mercado comprador (45%).

Com 52 empresas, Minas Gerais garantiu a medalha de ouro de maior “delegação” dentre os estados participantes do showroom. A medalha de prata coube à Bahia com 23 empresas. O bronze ficou com o estado do Pará, com 22 empresas.

Dentre os produtos mineiros em exposição, a Havana – Anísio Santiago é considerada a melhor cachaça artesanal do país. Produzida em Salinas, no norte de Minas Gerais, desde a década de 1940, é símbolo de tradição. Com produção limitada e envelhecida por cerca de oito anos em tonéis de bálsamo, é admirada por degustadores no Brasil e no exterior. O setor alimentício predomina dentre as empresas baianas, a maioria fabricante de chocolates e doces. Porém, há também produtores de granolas e até pipoca gourmet. Outra característica da “delegação” da Bahia são as cooperativas. Por exemplo, a Cooperativa Regional de Apicultores do Médio São Francisco (Coopamesf), localizada em Ibotirama, já ganhou o prêmio de melhor mel produzido no estado. Do Pará, ecobags e açaí são os destaques.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor