Sinal vermelho

“O sinal de alerta para o desemprego só acende quando a crise ameaça reduzir as margens de lucro”. A frase é do economista Jardel Leal, do Dieese, ao comentar a alta no desemprego medido em parceria com a Fundação Seade. Leal lembra que uma taxa acima de 7% já leva os EUA ao desespero, mas aqui o desemprego historicamente acima dos 13% só serve para ameaçar os direitos trabalhistas. “Há bem pouco tempo, diziam que o mercado formal de trabalho era coisa do passado e havia a tese da empregabilidade. Em ambas, o próprio trabalhador tinha que criar seu emprego”, criticou.

Ditabranda?
Circula na Internet manifesto repudiando editorial da Folha de S. Paulo, que, ao investir contra o governo Hugo Chávez, asseverou que o menor número de mortos e torturados pela ditadura brasileira a transformavam, na ótica do jornal, em “ditabranda”. Encabeçado por nomes como Antonio Candido, Goffredo da Silva Telles Júnior, Dalmo de Abreu Dallari e Francisco de Oliveira, o documento, que contava, até o início da noite de quinta-feira, com 3.359 assinaturas, também se solidariza com os professores Maria Victoria de Mesquita Benevides e Fabio Konder Comparato, alvo, segundo o signatários, de “ataques ignominiosos, arbitrários e irresponsáveis” do jornal, ao criticarem os termos do editorial. A petição pode ser acessada em  www.ipetitions.com/petition/solidariedadeabenevidesecomparat/?e

Memória
A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, a seção do Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) e a União Nacional dos Estudantes (UNE), realizam, nesta sexta-feira, ato público, às 10h, na sede da OAB-RJ, em homenagem aos perseguidos pela ditadura brasileira. Um dos homenageados será o economista Mauricio Dias David, do Conselho Editorial do MM. No mesmo dia, completam-se 40 anos que David, então presidente do Diretório Acadêmico (DA) da Faculdade Candido Mendes, e sua mulher, Maria Beatriz de Albuquerque David, também do DA, foram expulsos da faculdade, acusados de “subversão”, num processo que culminou com a prisão de ambos no Dops.
Como se vê, nem todos foram contemplados pela faceta ditabranda da ditadura brasileira.

Ditamômetro
Qual será a escala que a Folha usa para classificar ditaduras?

Corpo são
Mais de 40 por cento dos casos de câncer no cólon e de mama podem ser prevenidos através de padrões saudáveis de dieta, atividade física e controle de peso, segundo estimativas de um relatório do Fundo Mundial para Pesquisas de Câncer. A estimativa em geral é que cerca de um terço dos cânceres mais comuns nos países de alta renda e um quarto nos países de baixa renda poderiam ser prevenidos. Esses números não incluem o fumo, que sozinho é responsável por cerca de um terço dos casos.

Queda leve
O comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro vendeu 2,3% a menos em janeiro, em relação ao mesmo mês de 2008, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Clube de Diretores Lojistas (CDL-Rio), que abrange cerca de 750 estabelecimentos comerciais. No acumulado dos últimos 12 meses (fevereiro de 2008 a janeiro de 2009), porém, as vendas ainda registram alta (4,2%).

Rio Zona Sul
A novidade apontada pela pesquisa foi o aumento do faturamento das lojas da Zona Sul, que tanto no Ramo Mole (bens não duráveis), quanto no Ramo Duro (bens duráveis) venderam mais 3% e 4,4%, respectivamente, enquanto as lojas da Zona Norte faturaram -1,4% e -3,1%, e as do Centro, -14,7% e -12,7%.

À vista
A venda à vista foi a forma de pagamento preferida pelos consumidores. A pesquisa registrou em janeiro um aumento de 2,5% na inadimplência. Nos últimos 12 meses a inadimplência subiu 2,2%. No movimento de cheque, em janeiro, a inadimplência cresceu 1,4%. No acumulado de fevereiro de 2008 a janeiro de 2009, a alta foi de 1,7%.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSensação
Próximo artigoDistribuição a jato

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...