Só não tributará fundo exclusivo. Alguém duvida?

Começam a surgir alguns balões de ensaio do programa de renda básica que o ministro Paulo Guedes está tendo que elaborar para Bolsonaro chamar de seu. Ainda que o pragmatismo de Guedes supere seu radicalismo ideológico, fica difícil acreditar em um programa de transferência de renda, mesmo que da classe média para a pobre. Algo assim minaria os apoios que mantêm o ministro.

O que se divulgou até aqui parece confirmar esta análise. O novo programa seria uma colcha de retalhos de Bolsa Família, PIS, salário-família, talvez Farmácia Popular e até seguro-defeso. Para conseguir algum dinheiro novo – pelo menos para a propaganda – e garantir apoio nas classes mais populares a Bolsonaro, haveria cortes em outros setores, a começar por alguns produtos da cesta básica (tudo bem que salmão e queijo gorgonzola, de básicos, não têm nada).

A maior facada, que já vem sendo ventilada há tempos e empurrada aos poucos é o fim de descontos no Imposto de Renda, atingindo em cheio a classe média. Sem oferecer educação e saúde de qualidade, o governo pretende acabar com deduções no Imposto de Renda de despesas médicas e dependentes.

Uma das propostas atingiria a elite da elite: tributar fundos exclusivos, usados por famílias ricas para concentrar investimentos e driblar impostos. O fim deste benefício fiscal representaria mais da metade (R$ 10,7 bilhões) dos R$ 18 bilhões que o Ministério pretende juntar. Acabar com a isenção dos fundos exclusivos foi tentado por Temer, quando presidente. Não andou no Congresso. Alguém duvida que seria o único ponto que não avançará na proposta de Guedes?

 

Separação

A autoridade responsável por supervisionar a contabilidade no Reino Unido deu quatro anos às empresas Deloitte, EY, KPMG e PwC para dividir seus negócios de auditoria e consultoria. As “4 grandes” têm até 23 de outubro deste ano para apresentar um plano para implementar a “separação operacional”, que deverá ser concluída até junho de 2024. Os reguladores britânicos buscam atacar os recorrentes problemas na auditagem de balanços.

Luiz A. Romano, conselheiro consultivo da Associação Brasileira de Consultores (ABCO), afirma que os profissionais brasileiros já propagava isso há muito tempo. “Absurdo auditar e prestar consultoria e T&D”, explica Romano.

 

Memória da pandemia

A Associação dos Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro, presidida por Cláudio Castro, lançou o projeto Relatos da Pandemia. Coordenado por Bayard Boiteux e Viviane Fernandes, tem como objetivo apresentar os lutos, as ações positivas e a reinvenção dos Embaixadores do Rio, através de depoimentos curtos consolidados em vídeos.

Queremos deixar uma memória da pandemia”, diz Boiteux, que pretende transformar os vídeos num documentário. O primeiro, que já está no ar e conta com o apoio da Fundação Cesgranrio, traz depoimentos de Yvonne Bezerra de Mello, Davi Bispo e Vanda Klabin, entre outros. A direção é de Fábio Rocha. O vídeo está no YouTube.

 

A distância

Depois de quase quatro meses de paralisação, a UFRJ vai iniciar aulas remotas nesta segunda-feira, com kits de informática para quem necessitar. Segue, finalmente, passos de outras universidades públicas, que não deixam vácuo para ser ocupado por instituições privadas.

 

Rápidas

O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio promove webinar “Mapeamento de Influências de Compras e Tratamento de Objeções”, nesta segunda-feira, às 19h. Inscrições aqui *** Nesta segunda, às 17h, o Conselho Federal de Contabilidade realizará live no seu canal do Youtube com o tema “Os Reflexos da Lei Complementar 173 na Gestão Pública – Aspectos Fiscais e Contábeis” *** Em 14 de julho, a Columbia Business School sediará o debate “Dívida e déficit do governo: Mito ou realidade?”, com Jared Bernstein, ex-economista-chefe e consultor econômico do ex-vice-presidente e candidato Joe Biden, e Paul B. Kazarian, CEO da Japonica Partners. Para registrar-se, clique aqui *** A Aasp realizará nesta segunda, às 10h, o webinar “Retomada das atividades do Judiciário”, com os desembargadores Mairan Maia Jr., presidente do TRF da 3ª Região, e Geraldo Pinheiro Franco, presidente do TJSP. Inscrições aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.