Soltar as amarras

A Lei dos Portos (12.815/13), que completou em junho três anos, propiciou grandes avanços ao setor, principalmente, no que se refere a modernização, avalia a Associação de Terminais Portuários Privados (ATP). Alguns terminais surgiram com novos conceitos, como o Embraport, com alto grau de automatização e com foco em treinamento dos integrantes e segurança em toda a operação.

Para Ernst Schulze, diretor-presidente da companhia, a Lei de portos um marco histórico no esforço do país para superar os entraves ao desenvolvimento e fomentar a concorrência. Outro impacto positivo foi a possibilidade de os TUPs (Terminais Portuários de Uso Privado) poderem movimentar carga de terceiros. Na opinião do diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, os verdadeiros avanços se deram por meio dos TUPs, que investiram R$ 15 bilhões nos últimos três anos, trazendo ao mercado mais de 35 novos empreendimentos.

No entanto, o presidente da ATP ressalta que ainda o setor se ressente da insegurança jurídica e do excesso de regulação. O setor investiu apenas um terço do que inicialmente foi planejado pelo governo. “Ou seja, se não existissem os entraves, os investimentos poderiam ser ainda maiores”, afirma.

A ATP acredita que muito da ineficiência ainda existente é um problema de gestão. “Para se ter ideia uma única operação portuária depende da anuência de 26 órgãos públicos que, em muitos casos, não se conversam. Isto certamente é um problema de gestão que a Associação observa com cautela”, diz Barbosa.

Censura

O Departamento de Jornalismo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) rompeu uma parceria de 12 anos com a rádio CBN, para a qual produzia um programa feito pelos alunos. “A decisão foi tomada após o coordenador de Jornalismo da CBN Rio, Júlio Lubianco, vetar a veiculação do programa Radioatividade, produzido por bolsistas do AudioLab da FCS/Uerj, que iria ao ar neste sábado (16/7). O radiojornal oferece uma discussão sobre a dimensão simbólica dos Jogos Olímpicos num momento de aguda crise econômica e política no Rio. Ouvimos professores doutores em História, Geografia e Comunicação e um doutorando que pesquisou as representações dos Jogos do século XX na imprensa, em sua dissertação de mestrado”, relata Marcelo Kischinhevsky, coordenador do curso de Jornalismo e do AudioLab.

Fomos surpreendidos com mensagem de Lubianco dizendo que o programa ‘só tem sonora de acadêmicos, um da UFRJ e três da Uerj. Todos extremamente críticos, sem nenhum contraponto’. Alegava ainda que o programa estava grande e informava, taxativo: ‘Não tem como ir ao ar dessa forma’. Nos dispomos a reduzir o radiojornal, mas o coordenador deixou claro que o eixo do veto era editorial”, continua Kischinhevsky.

União

As centrais sindicais – CUT, Força, UGT, CTB, Nova Central e CSB – realizam, na próxima terça-feira a Assembleia Nacional dos Trabalhadores e das Trabalhadoras pelo Emprego e Garantia de Direitos. A meta é construir uma pauta comum e um calendário nacional de lutas para combater o desemprego e as tentativas de desmonte das políticas de inclusão social, defender os direitos da classe trabalhadora, a redução da jornada de trabalho e a ampliação dos investimentos para a retomada do crescimento econômico. O evento será no Espaço Hakka (rua São Joaquim, 460 – Liberdade, no Centro de São Paulo) e começa às 10h.

Rápidas

Os professores Bresser-Pereira, Nelson Marconi e José Luis Oreiro – todos da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EESP) – lançam o livro Macroeconomia Desenvolvimentista (Campus/Elsevier), que suscita uma nova maneira de pensar a macroeconomia e a teoria do desenvolvimento econômico a partir de uma perspectiva novo-desenvolvimentista *** Licenciamento ambiental é tema de seminário em Brasília, nesta segunda-feira, promovido pela Comissão de Direito Ambiental da OAB/DF. Entre os palestrantes, a diretora de Licenciamento do Ibama, Miriam Hoffman, a subprocuradora-geral da República, Sandra Cureau, e as advogadas Larissa Schmidt, sócia do Pinheiro, Mourão, Raso Araújo Filho, e Mariangélica de Almeida, coordenadora do Núcleo Ambiental do Nelson Wilians Advogados Associados. Informações: www.oabdf.org.br/eventos *** A FGV, em parceria com o Banco Mundial, realizará, no dia 29, o seminário Retomando o Caminho para a Inclusão, o Crescimento e a Sustentabilidade”, com apresentação do relatório de mesmo nome do Banco Mundial (Bird). Participarão Martin Raiser, diretor do Bird para o Brasil, Marcílio Marques Moreira, ex-ministro da Fazenda, e os economistas Rubens Penha Cysne (FGV/EPGE) e Armando Castelar (FGV/Ibre). Inscrição: http://portalibre.fgv.br/ *** Na próxima quinta-feira haverá manifestação em defesa da Petrobras, em frente a sede da estatal, no Rio, às 16h. O ato é contra a entrega do pré-sal ao capital estrangeiro, como propõem o senador José Serra e o presidente interino Michel Temer.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Condomínios do Rio podem exigir comprovante de vacinação

É recomendado que tal exigência seja aprovada em assembleia por maioria dos presentes

Agronegócio brasileiro ainda está amadurecendo tecnologicamente

Por Regina Teixeira – Especial para o Monitor Mercantil

Livro traz bastidores de aquisições de startups por grandes empresas

Livro: 'Saída de Mestre: estratégias para compra e venda de uma startup'

Plano de assinatura garante um smartphone novo todo ano

A parceria une o propósito da Samsung de trazer inovação a cada lançamento - desta vez oferecendo sua terceira geração de smartphones - e...

WhatsApp testa funcionalidade de indicação de negócios em SP

Por enquanto só São Paulo terá esse recurso