Soltar as amarras

A Lei dos Portos (12.815/13), que completou em junho três anos, propiciou grandes avanços ao setor, principalmente, no que se refere a modernização, avalia a Associação de Terminais Portuários Privados (ATP). Alguns terminais surgiram com novos conceitos, como o Embraport, com alto grau de automatização e com foco em treinamento dos integrantes e segurança em toda a operação.

Para Ernst Schulze, diretor-presidente da companhia, a Lei de portos um marco histórico no esforço do país para superar os entraves ao desenvolvimento e fomentar a concorrência. Outro impacto positivo foi a possibilidade de os TUPs (Terminais Portuários de Uso Privado) poderem movimentar carga de terceiros. Na opinião do diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, os verdadeiros avanços se deram por meio dos TUPs, que investiram R$ 15 bilhões nos últimos três anos, trazendo ao mercado mais de 35 novos empreendimentos.

No entanto, o presidente da ATP ressalta que ainda o setor se ressente da insegurança jurídica e do excesso de regulação. O setor investiu apenas um terço do que inicialmente foi planejado pelo governo. “Ou seja, se não existissem os entraves, os investimentos poderiam ser ainda maiores”, afirma.

A ATP acredita que muito da ineficiência ainda existente é um problema de gestão. “Para se ter ideia uma única operação portuária depende da anuência de 26 órgãos públicos que, em muitos casos, não se conversam. Isto certamente é um problema de gestão que a Associação observa com cautela”, diz Barbosa.

Censura

O Departamento de Jornalismo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) rompeu uma parceria de 12 anos com a rádio CBN, para a qual produzia um programa feito pelos alunos. “A decisão foi tomada após o coordenador de Jornalismo da CBN Rio, Júlio Lubianco, vetar a veiculação do programa Radioatividade, produzido por bolsistas do AudioLab da FCS/Uerj, que iria ao ar neste sábado (16/7). O radiojornal oferece uma discussão sobre a dimensão simbólica dos Jogos Olímpicos num momento de aguda crise econômica e política no Rio. Ouvimos professores doutores em História, Geografia e Comunicação e um doutorando que pesquisou as representações dos Jogos do século XX na imprensa, em sua dissertação de mestrado”, relata Marcelo Kischinhevsky, coordenador do curso de Jornalismo e do AudioLab.

Fomos surpreendidos com mensagem de Lubianco dizendo que o programa ‘só tem sonora de acadêmicos, um da UFRJ e três da Uerj. Todos extremamente críticos, sem nenhum contraponto’. Alegava ainda que o programa estava grande e informava, taxativo: ‘Não tem como ir ao ar dessa forma’. Nos dispomos a reduzir o radiojornal, mas o coordenador deixou claro que o eixo do veto era editorial”, continua Kischinhevsky.

União

As centrais sindicais – CUT, Força, UGT, CTB, Nova Central e CSB – realizam, na próxima terça-feira a Assembleia Nacional dos Trabalhadores e das Trabalhadoras pelo Emprego e Garantia de Direitos. A meta é construir uma pauta comum e um calendário nacional de lutas para combater o desemprego e as tentativas de desmonte das políticas de inclusão social, defender os direitos da classe trabalhadora, a redução da jornada de trabalho e a ampliação dos investimentos para a retomada do crescimento econômico. O evento será no Espaço Hakka (rua São Joaquim, 460 – Liberdade, no Centro de São Paulo) e começa às 10h.

Rápidas

Os professores Bresser-Pereira, Nelson Marconi e José Luis Oreiro – todos da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EESP) – lançam o livro Macroeconomia Desenvolvimentista (Campus/Elsevier), que suscita uma nova maneira de pensar a macroeconomia e a teoria do desenvolvimento econômico a partir de uma perspectiva novo-desenvolvimentista *** Licenciamento ambiental é tema de seminário em Brasília, nesta segunda-feira, promovido pela Comissão de Direito Ambiental da OAB/DF. Entre os palestrantes, a diretora de Licenciamento do Ibama, Miriam Hoffman, a subprocuradora-geral da República, Sandra Cureau, e as advogadas Larissa Schmidt, sócia do Pinheiro, Mourão, Raso Araújo Filho, e Mariangélica de Almeida, coordenadora do Núcleo Ambiental do Nelson Wilians Advogados Associados. Informações: www.oabdf.org.br/eventos *** A FGV, em parceria com o Banco Mundial, realizará, no dia 29, o seminário Retomando o Caminho para a Inclusão, o Crescimento e a Sustentabilidade”, com apresentação do relatório de mesmo nome do Banco Mundial (Bird). Participarão Martin Raiser, diretor do Bird para o Brasil, Marcílio Marques Moreira, ex-ministro da Fazenda, e os economistas Rubens Penha Cysne (FGV/EPGE) e Armando Castelar (FGV/Ibre). Inscrição: http://portalibre.fgv.br/ *** Na próxima quinta-feira haverá manifestação em defesa da Petrobras, em frente a sede da estatal, no Rio, às 16h. O ato é contra a entrega do pré-sal ao capital estrangeiro, como propõem o senador José Serra e o presidente interino Michel Temer.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Empresa pode dar justa causa a quem não se vacinar?

Advogado afirma que companhias são responsáveis pela saúde no ambiente de trabalho.

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

A cabeça do dragão

Por Gustavo Miotti.

Portugueses pedem extensão das moratórias bancárias

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) está pleiteando a prorrogação das moratórias bancárias até 31 de março de 2022”. O...

China libera reservas de metais não ferrosos para reduzir custos

A China disse que continuará a liberar suas reservas estatais de cobre, alumínio e zinco para garantir preços estáveis para as commodities e aliviar...