Solução não é vender, é construir refinarias

Privatização de instalações da Petrobras criaria monopólios privados no Sul e no Nordeste.

A venda de refinarias da Petrobras vai gerar a criação de monopólios privados regionais no Sul e Nordeste, antevê o diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet), Ricardo Maranhão. “Além disso, negociar as refinarias não resolverá nosso problema. Hoje, o Brasil importa 400 mil barris de derivados por ano. Daqui a alguns anos, estaremos importando 1 milhão de barris. E ao vender o parque de refino da Petrobras, o Brasil não terá agregado um barril a mais. A capacidade de refino será a mesma”, analisou o engenheiro.

Ele defende que a melhor solução é que a construção de refinarias, por grupos estrangeiros ou nacionais, até mesmo em parceria com a Petrobras. “O país hoje está importando derivados e vai importar muito mais. Se vendermos a capacidade de refino da Petrobras, a quantidade de refinarias no país ficará a mesma. Haverá apenas transferência de propriedade. Ao construir uma nova refinaria, haverá demanda por equipamentos, gerando empregos e renda. É uma solução muito mais lógica”, explica Maranhão.

A Petrobras tem 98% da capacidade de refino no Brasil. Em termos práticos, detém o monopólio total do refino no Brasil. “Isto é uma meia-verdade. Em primeiro lugar, o monopólio não é da Petrobras, e sim da União. A Petrobras é executora do monopólio”, ensina o diretor da Aepet. Ele lembra que o monopólio do refino não existe desde a Lei 9.748 de 1997, ou seja, há mais de 21 anos. Qualquer empresa privada pode construir refinarias no Brasil. O mercado interno de combustíveis tende a crescer, e o país já é importador e deve importar ainda mais.

As empresas não constroem porque uma refinaria requer um investimento alto. “Mas não é um investimento fora do alcance de uma ExxonMobil, Chevron ou BP. Exige um certo investimento. Além disso, demora cerca de três ou quatro anos para que a refinaria comece a operar e disputar mercado com a Petrobras. Por isso, é muito mais negócio comprar uma refinaria já existente, com os terminais e rede de dutos, e custando preços de fim de feira”, protesta Maranhão.

 

Patinho feio

O Terminal Multicargas (T-Mult) do Porto do Açu movimentou mais de 655 mil toneladas ao longo de 2018. Este número representa um aumento de 16% em relação ao registrado no ano passado. Além disso, o terminal atingiu níveis internacionais de produtividade, com um recorde de descarregamento de cerca de 22 mil ton/dia.

Como a coluna antecipou, em 2014, apesar da satanização de Eike Batista, o projeto do Porto de Açu caminhava para a consolidação. Os resultados estão aparecendo.

 

Superior

A lenda de que profissionais com deficiência não têm qualificação para o trabalho não passa disso: lenda. A pesquisa “Expectativas e percepções sobre o mercado de trabalho para pessoas com deficiência” (Catho, i.Social, ABRH Brasil e ABRH SP) revela que 57% dos entrevistados estão em alguma etapa do ensino superior: 21% possuem nível superior completo, 13% em andamento, 10% incompleto, 8% pós-graduação concluída, 4% pós-graduação em andamento, e 1% mestrado.

 

Não é a disciplina, estúpido

Notas do Enem, de acordo com o perfil socioeconômico do aluno, mostram que estudantes de escolas militares e civis públicas têm desempenho semelhante.

 

Rápidas

Nesta quarta-feira (20), as centrais sindicais realizarão um ato na Praça da Sé, em São Paulo, em protesto contra o fim da aposentadoria *** O Shopping Jardim Guadalupe faz “esquenta” do Bailinho de Carnaval neste sábado, das 16h às 19h *** A OAB/RJ realizará nesta terça, às 16h, uma audiência pública para debater o pacote de medidas criminais do Ministério da Justiça, na Av. Marechal Câmara, 150, 4º andar, no Centro *** A FMP/Fase está com inscrições abertas para a MBA em Gestão de Projetos *** O Ministério da Agricultura fará nesta quinta, em Brasília, o seminário Boas Práticas de Fabricação e Autocontrole. Informações em www.agricultura.gov.br, no banner do evento *** A nutricionista Daniele Toledo assina para a marca de congelados Viva Light um cardápio especial para quem deseja perder peso rápido e ficar em forma para o Carnaval *** O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga participa de debate sobre a economia brasileira nesta quarta-feira, às 14h, em aula magna aberta ao público. Inscrições em fgv.br/eventos-nucleo-rio *** Sugestão de trilha sonora para Bebianno: “Sobrou pra mim, o bagaço da laranja”

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Lei do Superendividamento favorece negociação e cobrança humanizada

Início das multas no contexto da LGPD também deve frear a oferta de crédito a quem não pode pagar.

Mercado de fertilizantes especiais cresce 41,8% em 2020

Neste ano, a expectativa é de que o setor obtenha uma nova elevação de 24%.

Consumo nos setores de turismo e diversão cresce em junho no Rio

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a...

População de países emergentes fica ainda mais pobre

Perda de renda foi 2x maior que nas nações ricas.

Pagamento indevidos: TCU encontra 11% de inconsistências no INSS

‘Falhas afetam a confiabilidade do banco de dados’ de benefícios previdenciários.