Solução não é vender, é construir refinarias

Privatização de instalações da Petrobras criaria monopólios privados no Sul e no Nordeste.

A venda de refinarias da Petrobras vai gerar a criação de monopólios privados regionais no Sul e Nordeste, antevê o diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet), Ricardo Maranhão. “Além disso, negociar as refinarias não resolverá nosso problema. Hoje, o Brasil importa 400 mil barris de derivados por ano. Daqui a alguns anos, estaremos importando 1 milhão de barris. E ao vender o parque de refino da Petrobras, o Brasil não terá agregado um barril a mais. A capacidade de refino será a mesma”, analisou o engenheiro.

Ele defende que a melhor solução é que a construção de refinarias, por grupos estrangeiros ou nacionais, até mesmo em parceria com a Petrobras. “O país hoje está importando derivados e vai importar muito mais. Se vendermos a capacidade de refino da Petrobras, a quantidade de refinarias no país ficará a mesma. Haverá apenas transferência de propriedade. Ao construir uma nova refinaria, haverá demanda por equipamentos, gerando empregos e renda. É uma solução muito mais lógica”, explica Maranhão.

A Petrobras tem 98% da capacidade de refino no Brasil. Em termos práticos, detém o monopólio total do refino no Brasil. “Isto é uma meia-verdade. Em primeiro lugar, o monopólio não é da Petrobras, e sim da União. A Petrobras é executora do monopólio”, ensina o diretor da Aepet. Ele lembra que o monopólio do refino não existe desde a Lei 9.748 de 1997, ou seja, há mais de 21 anos. Qualquer empresa privada pode construir refinarias no Brasil. O mercado interno de combustíveis tende a crescer, e o país já é importador e deve importar ainda mais.

As empresas não constroem porque uma refinaria requer um investimento alto. “Mas não é um investimento fora do alcance de uma ExxonMobil, Chevron ou BP. Exige um certo investimento. Além disso, demora cerca de três ou quatro anos para que a refinaria comece a operar e disputar mercado com a Petrobras. Por isso, é muito mais negócio comprar uma refinaria já existente, com os terminais e rede de dutos, e custando preços de fim de feira”, protesta Maranhão.

 

Patinho feio

O Terminal Multicargas (T-Mult) do Porto do Açu movimentou mais de 655 mil toneladas ao longo de 2018. Este número representa um aumento de 16% em relação ao registrado no ano passado. Além disso, o terminal atingiu níveis internacionais de produtividade, com um recorde de descarregamento de cerca de 22 mil ton/dia.

Como a coluna antecipou, em 2014, apesar da satanização de Eike Batista, o projeto do Porto de Açu caminhava para a consolidação. Os resultados estão aparecendo.

 

Superior

A lenda de que profissionais com deficiência não têm qualificação para o trabalho não passa disso: lenda. A pesquisa “Expectativas e percepções sobre o mercado de trabalho para pessoas com deficiência” (Catho, i.Social, ABRH Brasil e ABRH SP) revela que 57% dos entrevistados estão em alguma etapa do ensino superior: 21% possuem nível superior completo, 13% em andamento, 10% incompleto, 8% pós-graduação concluída, 4% pós-graduação em andamento, e 1% mestrado.

 

Não é a disciplina, estúpido

Notas do Enem, de acordo com o perfil socioeconômico do aluno, mostram que estudantes de escolas militares e civis públicas têm desempenho semelhante.

 

Rápidas

Nesta quarta-feira (20), as centrais sindicais realizarão um ato na Praça da Sé, em São Paulo, em protesto contra o fim da aposentadoria *** O Shopping Jardim Guadalupe faz “esquenta” do Bailinho de Carnaval neste sábado, das 16h às 19h *** A OAB/RJ realizará nesta terça, às 16h, uma audiência pública para debater o pacote de medidas criminais do Ministério da Justiça, na Av. Marechal Câmara, 150, 4º andar, no Centro *** A FMP/Fase está com inscrições abertas para a MBA em Gestão de Projetos *** O Ministério da Agricultura fará nesta quinta, em Brasília, o seminário Boas Práticas de Fabricação e Autocontrole. Informações em www.agricultura.gov.br, no banner do evento *** A nutricionista Daniele Toledo assina para a marca de congelados Viva Light um cardápio especial para quem deseja perder peso rápido e ficar em forma para o Carnaval *** O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga participa de debate sobre a economia brasileira nesta quarta-feira, às 14h, em aula magna aberta ao público. Inscrições em fgv.br/eventos-nucleo-rio *** Sugestão de trilha sonora para Bebianno: “Sobrou pra mim, o bagaço da laranja”

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Marca chinesa de automóveis de luxo Hongqi abre 1º showroom em Israel

A concessionária de carros israelense Samelet Group abriu nesta terça-feira o primeiro showroom da marca chinesa de limusines Hongqi na cidade de Tel Aviv, no centro de Israel.

AstraZeneca continuará a aumentar o investimento na China

AstraZeneca, a gigante farmacêutica britânica, está otimista sobre as perspectivas econômicas e o crescimento do setor de saúde chinês, e continuará a aumentar seu investimento na China, disse Leon Wang, vice-presidente executivo da AstraZeneca, informou o Chinanews.com nesta quarta-feira.

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.