Solução de prova de vida evita uso de foto da foto

Além da conveniência, a possibilidade de fazer compras e outras transações financeiras utilizando somente um smartphone se transformou numa das melhores alternativas de adaptação ao isolamento social causado pela pandemia. Com isso, segundo dados do estudo Webshoppers, por exemplo, elaborado pela Ebit|Nielsen, o e-commerce no Brasil cresceu 40% em 2020, chegando a 41 milhões no total, sendo que 7,3 milhões compraram online pela primeira vez.

Toda essa movimentação atraiu a atenção dos golpistas que vislumbraram na manipulação de processos da autenticação por biometria facial uma oportunidade para a realização de fraudes. Uma das principais estratégias utilizadas por eles passou a ser a chamada “foto da foto”, que consiste na aplicação de imagens retiradas das redes sociais e outras fontes dos consumidores para acessar ambientes protegidos pela biometria facial dos aplicativos das lojas, contas digitais e outras operações e, assim, realizar transações ilegais.

Como resposta a este movimento dos fraudadores, a CredDefense, uma das maiores plataformas de biometria facial do Brasil, desenvolveu uma solução proprietária de “prova de vida” que consegue detectar se as imagens apresentadas diante dos sistemas de autenticação das empresas são de pessoas reais ou apenas fotografias.
O CEO da CredDefense, José Luis Volpini, explica que a “prova de vida” é um procedimento aplicado em um estágio anterior à comparação entre a imagem apresentada na autenticação e sua versão correspondente registrada na originação do crédito, guardada no banco de dados das empresas.

“Para isso, são observadas sutilezas como iluminação, profundidade e movimentos de uma forma que permite detectar até mesmo se o fraudador estiver tentando utilizar um vídeo para simular movimento. Neste caso, o sistema observa itens como alinhamento da frequência e número de linhas verticais e horizontais de pixel dos dispositivos utilizados”, completa.
Outra forma de detecção de possíveis fraudes é a exigência de desafios por parte de quem está se autenticando. “O sistema pede que a pessoa mude o rosto de direção, pisque os olhos ou faça movimentos com a boca”, explica.

A solução foi desenvolvida com base em experiências realizadas junto aos clientes da CredDefense. As verificações podem acontecer por meio de SMS e Whatsapp, por exemplo, além do fornecimento de uma SDK pela CredDefense que facilita a implementação nos aplicativos dos clientes. De acordo com Volpini, a biometria facial sem a prova de vida está com os dias contados.
“É uma dor que tem sido cada vez maior no mercado e nossa solução surge como uma verdadeira vacina para manter o ritmo saudável e cada vez mais intenso do crescimento das transações digitais no país”, conclui.
A CredDefense é uma plataforma de soluções antifraude com emprego em biometria facial e outras soluções, atuando em diversos setores como bancos, financeiras, fintechs, varejos, locadoras de veículos e logística.

Leia mais:

Fluxo de consumidores tem sétima alta mensal consecutiva

Cerca de 75% dos consumidores farão compras online na Black Friday

 

 

Artigos Relacionados

Automóveis: falta de produtos faz venda despencar em fevereiro

Desestruturação na cadeia global de suprimentos, por conta da pandemia, obstrui fornecimento regular de produtos.

Derrocada: Toyota Etios encerra vendas no Brasil

Planta de Sorocaba segue produzindo o modelo para mercados de exportação.

Planta da BRF é habilitada a exportar empanados para Omã

Companhia informou que sua unidade de Toledo foi habilitada pelo governo do país árabe a exportar empanados de frango.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Planta da BRF é habilitada a exportar empanados para Omã

Companhia informou que sua unidade de Toledo foi habilitada pelo governo do país árabe a exportar empanados de frango.

Migrantes detidos no México sofrem com pobreza e violência

Cerca de 70 mil pessoas ainda estão em situação de vulnerabilidade extrema, segundo Médicos Sem Fronteiras.

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração.