Somos todos insubstituíveis

Livro presta homenagem às famílias de anônimos mortos pela Covid-19 e quer dar nome aos números.

Livro Somos todos insubstituíveis (Foto: Divulgação)

No livro Somos todos insubstituíveis (Autografia) a carioca Ligia Pinheiros quer dar rosto às mortes de anônimos que o mundo perdeu para o novo coranavírus, colocar nomes em números assustadores que continuam crescendo mesmo após um ano do início da pandemia. A jornalista é também uma inspiração para se pensar como as pessoas estão reagindo às partidas de entes queridos. No caso dela – que viu o amigo Adriano partir tragicamente para a doença – a saída foi a narrativa ficcional de personagens reais.

Ele partiu enquanto Ligia escrevia sobre Lívia, recém- contratada de uma empresa gigante, líder em sua área, que não demorou a encontrar dificuldades de sobreviver no ambiente corporativo. Quando todas as esperanças dela estavam perdidas, conheceu um novo mundo que a fez modificar o significado do trabalho.

“No meio do processo da elaboração do livro aconteceu algo trágico, um fato que reforçou muito a ideia de que temos que ressignificar velhos paradigmas: Ambientes de trabalho podem ser, sim, locais para se fazer amigos; ambientes de trabalho DEVEM ser acolhedores. Os problemas pessoais dos funcionários não podem ser tratados como ‘besteiras’”, reforça Ligia.

A amizade, união, o amor, a fidelidade são sentimentos que ganham quando são alimentados. “Eles podem transformar o mundo e salvar vidas”, afirma a autora, estudiosa do comportamento humano, ávida por compartilhar sua sensibilidade para combater um mundo doente mesmo antes da pandemia, mas que piorou com ela.

Somos todos insubstituíveis quer conscientizar as pessoas de que elas podem e devem exigir boas condições psicológicas de trabalho, combatendo relacionamentos abusivos.

Ligia Pinheiro quer que todas as famílias que perderam um ente querido sintam-se especiais. Os anônimos também possuem a sua história de vida, não são só os ricos e famosos. “Dói muito um ente querido morrer e a vida continuar normalmente e, no momento, milhões de pessoas estão passando por isso”, testemunha ela que perdeu um de seus amigos modificando inclusive o caminho que este livro seguiu.

“Intubado? Não acredito, nunca imaginei que nosso amigo fosse passar por algo assim. Mas a esposa dele nos tranquilizou dizendo que foi uma internação preventiva, ele ainda era jovem e poderia se recuperar. Os dias passavam de forma lenta. Queríamos que o tempo passasse rápido para o nosso amigo se recuperar logo. Os rins estavam começando a ter dificuldades para funcionar. Era tanto pânico que a gente começava a pesquisar tudo. Eu não sabia nem o que significava ficar “pronado” antes do meu amigo passar por esse perrengue.”

Lições/dicas

• Não deixe para amanhã conversas que podem aconte¬cer agora, não importa o quão tarde seja.
• A gente não entra na vida de ninguém por acaso, e ninguém passa pela nossa história em vão.
• Respeite os cemitérios mais do que nunca. Lá estão histórias que jamais conheceremos, mas que, com cer¬teza, são dignas de aplausos só pelo simples fato de terem existido.
• Ame absurdamente, ame hoje, se declare hoje, e viva o hoje.
• Abuse dos seus amigos, abuse dos abraços, abuse dos carinhos, das piadas, porque um dia você só terá lem¬brança deles. E, caso não tenha, é porque provavel¬mente VOCÊ será a lembrança.
• E, principalmente, aprenda: Empresas são feitas por pessoas. Jamais perca o seu tempo trabalhando em um local que não entenda esse conceito.
• Nunca aceite permanecer em um trabalho que não te acolha e te faça se sentir valorizado como ser humano e como profissional. Preste bastante atenção nas atitu¬des do RH e não nos e-mails automáticos.
• Se o seu amigo está vivo, feche esse livro imediata¬mente e ligue para ele agora mesmo. Se ele estiver de¬sencarnado, faça uma oração! Ele vai te ouvir.

Sobre a autora

Ligia Pinheiro é atriz, jornalista, Agile Coach e pós-graduada em psicologia analítica junguiana. Aventureira, se jogou na Europa muito nova e lá adquiriu um gosto especial por entender a singularidade de cada pessoa no mundo. No ambiente corporativo, ressignificou antigos paradigmas e transformou a sua carreira em uma ótima oportunidade para se conectar verdadeiramente com seus amigos.

Somos todos insubstituíveis
Autora: Ligia Pinheiro
Editora: Autografia
Páginas: 206
Formato: 14x21cm
Preço: 42,00

Artigos Relacionados

FGV: Desafios regulatórios dos planos de saúde individuais

Com reajuste negativo concedido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) nesse ano, os planos de saúde individuais estão na pauta das discussões nos...

Bharat Biotech nega documento

Com assinatura de um suposto diretor-executivo e papel timbrado e carimbado, laboratório Bharat Biotech, fabricante da vacina Covaxin, negou a autenticidade de dois documentos...

Previdência complementar em debate

A diretora-presidente da Brasilprev, Ângela Assis, participa nesta quinta-feira (23) do webinário da FGV “Mercado de seguros: Previdência complementar em debate”. O ministro do...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.