Stalin e Guevara

Uma frente de partidos de oposição ao Governo Chávez lançou o ex-líder estudantil Stalin para a prefeitura da capital, Caracas. Já o recém-fundado partido Un Nuevo Tiempo, também de oposição, tem como seu coordenador de juventude um rapaz cujo sobrenome é Guevara.

Lá como cá
A gravidez precoce é problema sério na Venezuela, em cujos hospitais não é incomum encontrar gestantes de 15 anos. Segundo médicos da capital Caracas, os programas educativos levados a cabo pelo governo não estão conseguindo mudar a situação, que segundo eles “aumenta os índices de mortalidade infantil do país e gera mais pobreza”.

Oportunidade
O governo venezuelano começará a instalar GPS em caminhões-tanque para tentar diminuir o contrabando de combustíveis para a Colômbia. A diferença de preço da gasolina entre os dois países não está longe dos 1000%. Alem disso, o governo estima que 100 mil veículos de propriedade de cidadãos colombianos tenham placas da Venezuela, o que facilita o livre trânsito na fronteira.

Social
A Assembléia Nacional da Venezuela aprovou um novo imposto para a exportação do petróleo, que só será aplicado quando o preço do barril de Brent cru exceder os US$ 70. O dinheiro arrecadado, estimado em US$ 9 bilhões por ano, será usado em projeto sociais e de desenvolvimento sustentável.

Vou de gás
O Governo Chavez vem fazendo forte campanha pelo uso do gás natural na Venezuela, e esperam-se medidas a respeito (entre os taxistas de Caracas se comenta que o governo poderia decretar uma medida tornando o uso do gás obrigatório). Isso liberaria mais petróleo para exportação, elevando os ganhos.

Perseguição
O Governo das Venezuela, através do canal de TV estatal Venezolana, fez grande propaganda da não assinatura do acordo de livre comércio entre Colômbia e EUA. A TV deu voz a sindicatos ligados ao chavismo para que denunciassem “as perseguições e mortes de sindicalistas colombianos pelo Governo Uribe”

A número 1
Os venezuelanos lotam os bares de Caracas para assistirem aos jogos da liga de beisebol dos EUA, que tem vários jogadores do país. Entre eles há quem consuma a Brahma, “la cerveza de los brasileños”.

Dividido
Os venezuelanos aguardam as próximas eleições municipais com certo receio. Alguns afirmam que se a oposição ganhar espaço, o pais virará um barril de pólvora. Outros temem que uma vitória do governo leve Chávez a reforçar as políticas de caráter socializante e a nacionalização de empresas.

Conta
Quando haitianos residentes em Caracas vêem um brasileiro, logo acusam nosso Exército de usar da violência contra a população de seu país.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBola de cristal
Próximo artigoNova Educação

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.