Status quo

O presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu elogios de um dos fundadores da União Democrática Ruralista (UDR). “Fomos inimigos no passado, mas hoje reconheço que, se não fosse o Lula e o PT, o Brasil seria uma Nicarágua da vida”, afirmou Douglas Fanchin Taques Fonseca, que, atualmente, é presidente da Associação Comercial de Ponta Grossa (PR). “Os ricos e poderosos deste país estariam muito mais ricos e os pobres, muito mais pobres”, afirmou. Fonseca atribui ao movimento de greves dos metalúrgicos do grande ABC, liderado por Lula, em 78, “o equilíbrio que o Brasil desfruta hoje”. Os elogios do ex-militante da UDR não foram uma declaração de voto ou de adesão à campanha presidencial petista. Fonseca disse que ainda não tem candidato para este ano.

O mercado livre
Muita gente não entende por que, com a Petrobras produzindo cerca de 80% do combustível usado no Brasil, o país fica ao sabor da variação do preço do petróleo nos especulativos mercados futuros. A resposta é simples, embora de pouco agrado para o senso comum. O objetivo principal, explicitado, não se sabe se por ingenuidade ou excesso de transparência, pelo diretor de Marketing da Petrobras, Carlos Ney, é “garantir a concorrência dos importadores”.
Em outras palavras, se os preços internos caírem ao nível do que deveriam custar num país que produz quase 80% do que consome, os importadores – em sua grande maioria estrangeiros que se instalaram no Brasil apenas para comprar gasolina excedente em suas refinarias no exterior – considerariam os preços “pouco atraentes”.
Não por acaso, a cada queda de candidatos governistas nas pesquisas eleitorais, as agências de classificação de risco pioram a avaliação do país, de olho nos interesses de grandes grupos estrangeiros desejosos da eternização da política colonial aplicada pelo tucanato.

Descompasso
Embora encabece todas as listas sobre os principais brasileiros, o desemprego sumiu ou, concessão máxima, foi relegado ao rodapé das páginas internas. Apesar da colaboração da imprensa “chapa branca”, esse “apagamento” do noticiário pode ser insuficiente para impedir que, com a chegada das eleições, os principais aplicadores da política econômica engrossem a estatísticas dos que têm no desemprego sua maior preocupação.

Despedida
Quem participou garante: foi animada e agitada a última noite no Palácio Guanabara da equipe do governador Anthony Garotinho.

NeoPilatos
Até quando a ONU vai assistir de braços cruzados à cruzada genocida de Ariel Sharon contra os palestinos?

Oráculo
Tudo bem que a foto de Yasser Arafat com uma bandeira do MST e ao lado de um dos seus coordenadores nacionais que correu mundo angariando simpatia para o movimento pegou o governo FH no contrapé, justamente num instante em que jogava pesado para isolar Stédile e seus companheiros. Mas daí ao ministro Pedro Parente se arvorar em intérprete do pensamento de Arafat, assegurando que ele aceitara a bandeira do MST por simples cortesia, vai uma distância que revela aonde o hábito da boca torta da arrogância levou o tucanato.

O rei está nu
Até um Maquiavel de província é capaz de compreender que a recusa do governador de Pernambuco, Jarbas Vasconcelos, a aceitar a vice-presidência na chapa de José Serra põe a nu as visíveis fragilidades eleitorais do tucano. O raciocínio é simples: se garantir a própria reeleição ao governo estadual já será uma pedreira – principalmente, depois da derrota na Prefeitura de Recife para o PT – que dirá correr o risco de embarcar na aventura tucana e ainda ver suas bases locais virarem pó. Apesar de todas as óbvias atratividades do poder nacional, o tucanato das redações optou, apressadamente, por abraçar a tese menor de que “toda política é local”. Mas aí, já é outro tipo de política e nada local.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOrelhão oficial
Próximo artigoCisão

Artigos Relacionados

Guedes esperava muito da educação

Setor educacional prometeu, mas ainda não cumpriu.

Petrobras também foi ao mercado em Londres

Estatal criou subsidiária na década de 80 para atuar nas Bolsas.

Petroleiras ganham dinheiro no mercado, não com produção

Desde a década de 1980, companhias viraram empresas financeiras.

Últimas Notícias

Câmara rejeita ‘PL antiterrorismo’

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira a urgência para votar o Projeto de Lei (1595/19) que cria uma polícia política que permite ao...

Programa AceleraD’Or de Mentoria entra em fase decisiva

Em fase decisiva para a escolha das 10 empresas participantes do projeto, o Programa AceleraD’Or de Mentoria, patrocinado pela D’Or Consultoria, teve repercussão positiva...

Aconseg-RJ mostra um 2022 promissor para as assessorias

Em reportagem especial da edição, os executivos confirmam a rápida resposta do setor e sua adequação aos tempos de desafios que foram superados com...

Inovação em Seguros concederá NFTs a vencedores

Uma das novidades do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), será a concessão...

Anbima projeta taxa de juros em 11,75% em 2022

A taxa de juros deve voltar a dois dígitos no início do próximo ano e chegar em 11,75% no mês de maio, de acordo...