Stellantis terá 16 lançamentos no Brasil até 2025

Destaque para 7 modelos híbridos ou elétricos.

Em visita ao Brasil, Carlos Tavares, CEO da Stellantis, revelou que o grupo, formado pelas marcas Fiat, Jeep, Citroën, Peugeot e RAM, promoverá 16 lançamentos até 2025, mais 7 modelos híbridos/elétricos e 28 reestilizações.

Além da renovação de Argo e Cronos, junto com o novo câmbio CVT, a Fiat deve lançar nesse período o SUV Fastback, enquanto a Jeep prepara uma nova versão híbrida do Compass, a 4xe, que vai ser apresentada em abril. Das francesas, é aguardada a picape média Landtrek da Peugeot, e a Citroën lança em breve o novo C3.

São esperadas novidades em desenvolvimento de híbridos com a utilização de etanol e também estão programados dentro desses 4 anos, investimentos em direção autônoma, conectividade e novos serviços.

Fábrica da Continental em Ponta Grossa (foto divulgação)
Fábrica da Continental em Ponta Grossa (foto divulgação)

Continental abre vagas em Ponta Grossa

A Continental abrirá 140 postos de trabalho para atuação em diversas áreas nas instalações de Ponta Grossa (PR). As inscrições e as funções estão disponíveis pela plataforma Gupy. A meta das contratações é para retomar os níveis de produção do período pré-pandêmico nas linhas de produção de circuitos de transmissões de fluídos automotivos, que vêm se recuperando também da crise de falta de semicondutores.

Sprinter Street Furgao e Truck (foto divulgação Mercedes-Benz)
Sprinter Street Furgao e Truck (foto divulgação Mercedes-Benz)

Sprinter Street recebe motor mais eficiente

De olho no segmento de delivery, que continua aquecido, a Mercedes-Benz lança a Sprinter 315 CDI com um novo motor diesel de quatro cilindros 2.0 de 150 cavalos de potência, tudo para atender às novas leis de emissões Proconve L7. A transmissão é a mesma, manual de 6 marchas.

No pacote, a montadora destaca redução de 6% de combustível na cidade e 11% na estrada, 5% de ganho em potência e 3% de torque em relação ao modelo anterior, o 314 CDI. Além disso, recebeu nota A do Ibama em emissões. A oferta de transmissão automática e elétrica ainda está em estudo.

São três opções de carroceria da Sprinter, produzida na Argentina, com vendas a partir de maio: versão Truck por R$ 239.600 e Furgão a R$ 249 mil.

Locadora (foto divulgação Localiza-Hertz)
Locadora (foto divulgação Localiza-Hertz)

Nem a crise segura as locadoras

O aluguel de veículos registrou crescimento de 7,8% em 2021 em relação ao ano anterior, de acordo com a associação que representa as locadoras, a Abla. A atividade atingiu faturamento bruto anual recorde de R$ 23,5 bilhões, valor referente apenas à locação (não inclui a revenda de seminovos).

Em 2021, a entidade anotou 50,1 milhões de usuários, avanço de 12,3% sobre 2020. Também houve expansão de frota, de 12,8% encerrando o ano com 1.136.517 veículos – automóveis e comerciais leves.

Apesar da crise que paralisou as fábricas e provocou a falta de produtos, 441.858 modelos zero-km foram emplacados pelas locadoras. Para se ter ideia, esse volume representa 25,5% de tudo o que foi licenciado de autoveículos em 2021. Porém, em 2019, as locadoras haviam comprado 541.346 unidades.

Curioso é que parte desse bom desempenho se deve à mudança de regras da lei de emissões: com a exigência de que veículos que passassem a atender às normas L7 do Proconve a partir de 1º de janeiro, a indústria precisou desovar veículos L6 e direcionou estoques às locadoras.

Para equilibrar os negócios, o segmento calcula que precisaria de mais 600 mil veículos este ano, mas a expectativa, diante das atuais dificuldades da indústria, é de conseguir emplacar por volta de 400 mil. Por causa desse déficit, a frota que em 2019 tinha idade média de 14,9 meses saltou para atuais 27,4 meses.

 

Stellantis lidera

Desses novos modelos comprados pelas locadoras, mais de 440 mil carros, 38% deles são do Grupo Stellantis, seguido por 19,3% da Volkswagen. O modelo mais emplacado por locadoras em 2021 foi o Fiat Mobi Like, com 29.571 unidades.

Os SUVs crescem na preferência de quem aluga: no ano passado, dos emplacados, utilitários esportivos representaram 20,4% e 14,6% da frota.

 

Caminhões, ônibus e motos

Outros segmentos também cresceram. As locadoras adquiriram 5.891 unidades caminhões em 2021, atingindo a frota de 15.872 unidades ao final do ano passado. Já as compras de ônibus foram de 1.835 unidades, resultando em 7.373 ônibus na frota total das locadoras.

No segmento de duas rodas, a entidade registrou 7.737 novas motos (ante 3.261 em 2020), chegando à frota recorde de 16.303 unidades.

Lucia Camargo Nunes
Economista e jornalista especializada no setor automotivo. [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

‘Empreendedores’ fecham suas empresas

Aumentou 35% número de negócios fechados em 2021.

Homeschooling ‘é um projeto’?

Lei ‘priva crianças adolescentes do pleno direito de aprender’.

Por que mexer no ICMS e manter dividendos elevados?

Acionistas ganham em dividendos tanto quanto toda a população perderia com corte no imposto.

Últimas Notícias

Solidus Aitech arrecadou mais de US$ 10,5 mi de fundos com tokens

Serviço de computação de alto desempenho (HPC) quer 'democratizar a IA'.

Pão pita tradicional poderá ser feito em escala industrial

Novo sistema é capaz de produzir até 1.000 quilos/hora de pita.

Policiamento reforçado em terreiros de umbanda e candomblé de Itaboraí

Terreiros foram ameaçados por pastor evangélico em show gospel.

Rodoviária do Rio inicia a 24ª Campanha do Agasalho

Desde a 1ª edição, em 1999, quase 1 milhão de peças já foram doadas.

Votação sobre cobrança de mensalidade em universidade pública é adiada

CCJ decidiu fazer uma audiência pública sobre a PEC 206.