STF é questionado sobre inconstitucionalidade de privatizações

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, defendeu nesta segunda-feira, em audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue o mérito de ação movida pelo Congresso Nacional questionando privatizações feitas no governo Bolsonaro sem o aval do Poder Legislativo.
“Um espaço que temos para barrar essas privatizações ilegais, sem transparência é o Congresso Nacional. O Parlamento está sendo desrespeitado pela gestão da Petrobras e de demais empresas estatais, porque as privatizações estão sendo realizadas às escusas, sem a autorização do Legislativo. Nem mesmo o PND (Programa Nacional de Desestatização) e a Constituição brasileira foram respeitados”, disse.
Bacelar lembrou que há duas ações do Congresso Nacional – uma durante a presidência de Davi Alcolumbre, outra com Rodrigo Pacheco – questionando a legalidade e constitucionalidade das privatizações. “Infelizmente, o STF ainda não julgou o mérito desses processos, que são urgentes e necessários para barrar essa entrega do patrimônio brasileiro”. O dirigente da FUP participou da audiência pública sobre “Impactos das privatizações”, requerida pela deputada Erika Kokay (PT/DF) e deputado Leonardo Monteiro (PT/MG).

Leia também:

Alcolumbre deve pautar sabatina de Mendonça ao STF na próxima semana

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente, até o momento o STF teve papel ativo nas privatizações ao validar a venda de campos de petróleo com base no decreto de Temer e a venda das refinarias.

Deixe um comentário para Ana Patrícia Cavalcanti de Castro Laier Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro demonstra estabilidade e Lula consolida liderança

Segundo pesquisa Modalmais/AP Exata divulgada hoje, ambos têm dificuldades em buscar eleitores fora das suas bolhas de apoiadores.

Datafolha: Lula vence no 1º turno

Os outros pré-candidatos somam apenas 40% da preferência dos entrevistados.

Fachin: reforma eleitoral e partidária esvazia Justiça Eleitoral

Entre os pontos destacados pelo presidente do TSE está artigo que prevê possibilidade de revogação de resoluções da Corte pelo Congresso.

Últimas Notícias

B 3 lança novos produtos para negociação de estratégias de juros

Operações são estruturadas de contratos futuros de DI, DAP e FRC

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

Brasil corre risco de desabastecimento de diesel

Alerta foi feito inclusive pela direção da Petrobras

Lucros das empresas subiram 55% no primeiro trimestre

Em abril, quase metade das categorias de trabalhadores não conseguiu repor inflação.

PIB dos EUA cai mais que previsto, porém inflação perde ritmo

Recessão não está descartada, segundo analistas.