Só agora

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aplicou a punição máxima ao ex-controlador do Banco Econômico, o ex-ministro Ângelo Calmon de Sá. Ele está proibido de administrar qualquer empresa no país pelo prazo de 20 anos. Segundo a autarquia, responsável pela fiscalização do mercado brasileiro de capitais, o ex-banqueiro foi condenado pela ocorrência de irregularidades na gestão do Econômico, que culminaram na intervenção do Banco Central em agosto de 1995. Foi preciso quase 10 anos para que a inabilitação fosse decidida. O que teria feito o ex-banqueiro ao longo desse tempo?

Quebrados
Durante o XIX Fórum Nacional dos Secretários de Planejamento, que reuniu representantes de 21 estados ontem no Rio, o pernambucano Raul Henry resumiu a situação financeira dos estados após a “renegociação” de suas dívidas, em 1997. “Pagamos correção pelo IGP-M, mais juros de 7%. Para que a arrecadação acompanhe esse ritmo, os PIBs estaduais deveriam crescer 12% ao ano”. Enquanto isso, o Ministério do Planejamento luta contra qualquer indexação do salário mínimo para “não desequilibrar as contas públicas”.

Desânimo
Pesquisa que mede o ânimo da população em relação ao país registra 423 pontos, queda que vem sendo observada desde abril de 2003, quando o índice era de 478. A pesquisa Ânimo Brasil é um projeto da ONG Politicus e tem como objetivo traçar, da forma mais real possível, o nível de satisfação dos brasileiros em relação à atual situação nacional. Para isso, a ONG divulga diariamente essa informação como um verdadeiro termômetro do ânimo da população. Desde março de 2003, quando a pesquisa começou a ser realizada, o último mês de junho foi o que teve o menor índice. Segundo as respostas, o Ânimo Brasil caiu para 423 pontos. Diariamente o índice é recalculado e publicado no site da ONG e pode variar do mais “desanimado” ou “pessimista” – índice zero, que é o mais baixo possível – até “euforia” ou “otimismo” com relação ao Brasil – índice 1.000, que é o limite superior máximo, nunca alcançado na pesquisa.

Auto-risco
No embate desta semana entre a agência de classificação de risco Fitch e o BNDES, com a defesa do banco no sentido de que atua com transparência enquanto os modelos de avaliação das agências representariam verdadeiras “caixas-pretas”, ficou faltando saber quando vai aparecer a medição do risco representada pelo trabalho que os classificadores fazem e divulgam.

Naval
Do secretário estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, sobre a criação do curso de graduação e pós-graduação em Engenharia Naval. “Niterói irá se tornar um importante pólo exportador de tecnologia e mão-de-obra especializada para os setores naval e offshore”. O curso foi inaugurado ontem, em Niterói, na Universidade Federal Fluminense.

Ambiental
Com apoio da Unesco, começa na próxima segunda-feira no Sesc Flamengo (Rua Marquês de Abrantes, 99), a mostra Fica no Rio, com os filmes vencedores do VI Fica, maior festival de cinema ambiental da América Latina, que acontece em Goiás todos os anos. Há produções nacionais e internacionais sobre temas como trangênicos, lixo e desarmamento.

PPP da comida
A Prefeitura de Araruama montou 60 restaurantes populares cobrando a refeição pelo preço de R$ 1,99. A novidade está na forma como o empreendimento está sendo feito: a Prefeitura entra com os alimentos e o dono de restaurante com o local e os equipamentos da cozinha. Essa talvez seja a primeira experiência de uma PPP (parceria público-privada), só que voltada a interesses diferentes.

Pirata eletrônico
A advogada Lara Cristina de Alencar Selem diz que foi vítima de pirataria digital: a obra de sua autoria Estratégia na Advocacia: Planejamento para Escritórios de Advocacia – uma ferramenta para competir (Juruá Editora), está sendo oferecida sob forma de e-book e CD sem a autorização da autora, que promete recorrer à Justiça.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDivã
Próximo artigoCafé com leite

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...