Suprema Corte e Covid serão temas do debate entre Biden e Trump

De acordo com a média das pesquisas nacionais, calculada pela FiveThirtyEight, hoje Biden tem 50,1% das intenções, contra 43,2% de Trump.

Internacional / 11:28 - 29 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O presidente norte-americano, o republicano Donald Trump; e o candidato democrata, Joe Biden, vão enfrentar-se hoje em Cleveland, Ohio, no primeiro debate frente a frente dos candidatos às eleições presidenciais de 3 de novembro.

De acordo com as indicações da Comissão de Debates Presidenciais, uma organização não partidária, os temas centrais serão o Suprema Corte, Covid-19, o estado da economia, as questões raciais e a violência nas cidades, a integridade do processo eleitoral e o histórico político dos candidatos.

Estes pontos foram escolhidos pelo representante da Fox News Chris Wallace, que vai moderar a discussão na Universidade Case Western Reserve, em Cleveland.

São questões que estão na ordem do dia e que os especialistas consideram que deverão ser decisivas na eleição presidencial de novembro, especialmente entre os independentes e indecisos.

No sábado, Trump nomeou a juíza conservadora Amy Coney Barrett para ocupar a vaga deixada pela morte da progressista Ruth Bader Ginsburg na Suprema Corte, uma nomeação que terá de ser confirmada pelo Senado, controlado pelos Republicanos.

A questão é polêmica porque, em 2016, o mesmo Senado impediu o então presidente Barack Obama de nomear Merrick Garland para o lugar de Antonin Scalia, na Suprema Corte, durante mais de nove meses.

Sobre a pandemia de Covid-19, os EUA continuam a ser o país mais afetado pela doença, totalizando 7,14 milhões de infectados e 204 mil mortos, segundo as contas da Universidade de Medicina Johns Hopkins.

A crise sanitária e as várias fases de confinamento tiveram efeitos profundos na economia, com o número de desempregados se aproximando dos 30 milhões no fim de agosto.

Os protestos de rua por causa da morte de afro-americanos pela polícia continuam em várias cidades, quatro meses depois da erupção de manifestações, quando George Floyd foi asfixiado por Derek Chauvin.

O primeiro debate ocorre na noite de hoje, quando milhões de norte-americanos já receberam boletins de voto pelos correios e já tiveram a oportunidade de votar por correspondência ou presencialmente, num movimento em massa de votação antecipada.

O voto postal, reforçado neste ciclo eleitoral por causa da pandemia de Covid-19, tem sido alvo de críticas por parte do presidente Donald Trump e motivado embates legais entre Democratas e Republicanos, que querem restringir sua utilização em dezenas de estados.

Com o presidente levantando suspeitas sobre potenciais fraudes no voto por correspondência, a integridade do processo eleitoral deverá ser um dos tópicos mais importantes do debate.

De acordo com a média das pesquisas nacionais, calculada pela plataforma FiveThirtyEight, Joe Biden (50,1% das intenções de voto) tem vantagem de sete pontos sobre Donald Trump (43,2%).

O encontro entre os dois candidatos será replicado em mais dois debates, um em 15 de outubro em Miami, na Florida, e outro, o último, em 22 de outubro, em Nashville, Tennessee.

No dia 7 de outubro, os vices das duas chapas (Mike Pence pelo lado Republicano e Kamala Harris pelos Democratas) vão encontrar-se em Salt Lake City, Utah.

Embora a pandemia tenha obrigado a mudanças significativas nas campanhas, com foco nos eventos virtuais e no apelo ao voto por telefone, os debates previstos entre os candidatos vão ocorrer presencialmente serão transmitidos ao vivo.

 

Agência Brasil, com informações da RTP

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor