Temer no varejão do Congresso

Em 1995, o Flamengo apresentou os jogadores daquilo que imaginava ser o “ataque dos sonhos”, com Romário, Edmundo e Sávio. Era o ano do centenário do clube. Os sonhos viraram pesadelo, e o time terminou as ambiciosas comemorações com a modesta conquista da Taça Guanabara. Michel Temer deixou colunistas propagarem que estava montando um time de notáveis para nomear ministros caso seja coroado, com o mais que provável impeachment de Dilma Rousseff. Prometeu o céu e está perto de entregar o inferno. Os nomes anunciados nesta terça pelo porta-voz oficial – o grupo Globo – são mais que decepcionantes (para quem alimentava alguma esperança) e deixam claro que nada mudará na barganha do Congresso – exceção, claro, da substituição da incompetência política da atual presidente e da mudança no humor da grande mídia.

Romero Jucá, Blairo Maggi, Mendonça Filho, Gilberto Kassab e outros de igual calibre, se confirmados, vão acabar dando razão a advertência feita por esta coluna: é forte o risco de a reunião ministerial ter que ser realizada em Curitiba.

Gol contra

Braço direito de Michel Temer na montagem do provável novo governo, o senador Romero Jucá apresentou relatório da CPI do Futebol sem acusar ninguém. O texto chegou com antecedência: a Comissão tem prazo de funcionamento até agosto. Mas a bancada da bola inviabilizou seu funcionamento.

Onde está Wally?

Com o país em efervescência, o juiz Sergio Moro e a Operação lava Jato andam em incomum discrição.

Até quarta

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, assinou, nesta terça-feira, com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, acordo de cooperação técnica para facilitar o acesso das empresas nacionais de defesa a financiamento. O acordo permitirá que os mecanismos de financiamento, garantias e outras ações do Banco sejam readequados às particularidades das empresas do setor. O objetivo da iniciativa é o fortalecimento da Base Industrial de Defesa (BID). Resta saber se a iniciativa resistirá ao desmonte programado por Temer.

Alavancagem

Tais como outros grandes bancos, o Deutsche Bank levanta questionamentos sobre sua situação e atuação no mercado financeiro internacional. Mario Lettieri e Paolo Raimondi escrevem, para o boletim Resenha Estratégica, que o portfólio de derivativos “de balcão” (OTC) da instituição alemã tem valor de face de aproximadamente 55 trilhões de euros – cerca de 20 vezes o PIB alemão e quase seis vezes o de toda a Zona do Euro. “Ou seja, é um dos bancos do mundo mais expostos às turbulências financeiras”, analisam os dois economistas italianos.

Como nos casos de outros bancos “grandes demais para quebrar”, o problema da alavancagem financeira é bastante relevante no caso do Deutsche. Atualmente, o banco tem 20 euros de ativos – títulos de vários tipos, excluindo os derivativos OTC, que não são incluídos nos balancetes – para cada euro de capital próprio. “Como se sabe, quanto maior o fator de alavancagem, maior é o risco em caso de redução do valor dos ativos e, consequentemente, o risco de perda do valor do próprio banco”, afirmam Lettieri e Raimondi.

O Deutsche estaria envolvido em pelo menos 6 mil casos legais, incluindo alguns realmente perturbadores, como a responsabilidades na manipulação da taxa Libor e dos preços de vários metais preciosos. O Serious Fraud Office (SFO), órgão londrino que investiga fraudes corporativas, emitiu, recentemente, mandados de prisão contra cinco cidadãos europeus, dos quais quatro altos funcionários do banco alemão, acusados de conspiração e fraude em manipulações da Euribor, a taxa interbancário do euro.

Paradisíaco

Os maiores investidores recentes no Brasil são paraísos fiscais, com a Holanda na cabeça, através das suas ilhas no Caribe.

Rápidas

O Capacitare está recrutando alunos de graduação em Turismo para estágio durante as Olimpíadas. São 200 vagas. Será oferecida um bolsa auxílio + transporte no valor de R$ 1.120. Interessados deverão enviar currículo para olimpiadas@institutocapacitare.com.br *** A Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) cria o Centro Mackenzie de Liberdade Econômica. A iniciativa tem como objetivo contribuir para o debate em torno do papel do mercado e das consequências dos diferentes tipos de intervenção e regulação sobre seu funcionamento. A inauguração acontece nesta quarta-feira, às 19h30, no auditório Ruy Barbosa, no campus Higienópolis A presidente do Instituto dos Advogados do Rio Grande do Sul (Iargs), Sulamita Santos Cabral, receberá a Medalha Pontes de Miranda – Liberdade e Estado de Direito, no próximo dia 16, no Palácio Piratini *** Rio Expo Festas edição “Noivas e 15 Anos” estará no Caxias Shopping (RJ) até 15 de maio, domingo *** Com o tema “Liberdade para Empreender no Mercado Imobiliário”, o Congresso NE, organizado pelos Novos Empreendedores do Secovi-SP, será realizado em 15 de junho, na sede do Sindicato, em São Paulo. Mais informações: (11) 5591-1306 e www.secovine.com.br

Artigo anteriorCrise pode virar institucional
Próximo artigoInício do fim
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Bolsas mundiais operam entre perdas e ganhos nesta terça

Em dia de leve alta, investidores locais monitoram as negociações em torno do Orçamento de 2021 e o CPI da Covid-19.

Preços ao consumidor de março avançaram mais que esperado

Veículos novos registraram o segundo mês consecutivo sem variação, enquanto os usados apresentaram variação positiva.

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.