Temer no varejão do Congresso

Em 1995, o Flamengo apresentou os jogadores daquilo que imaginava ser o “ataque dos sonhos”, com Romário, Edmundo e Sávio. Era o ano do centenário do clube. Os sonhos viraram pesadelo, e o time terminou as ambiciosas comemorações com a modesta conquista da Taça Guanabara. Michel Temer deixou colunistas propagarem que estava montando um time de notáveis para nomear ministros caso seja coroado, com o mais que provável impeachment de Dilma Rousseff. Prometeu o céu e está perto de entregar o inferno. Os nomes anunciados nesta terça pelo porta-voz oficial – o grupo Globo – são mais que decepcionantes (para quem alimentava alguma esperança) e deixam claro que nada mudará na barganha do Congresso – exceção, claro, da substituição da incompetência política da atual presidente e da mudança no humor da grande mídia.

Romero Jucá, Blairo Maggi, Mendonça Filho, Gilberto Kassab e outros de igual calibre, se confirmados, vão acabar dando razão a advertência feita por esta coluna: é forte o risco de a reunião ministerial ter que ser realizada em Curitiba.

Gol contra

Braço direito de Michel Temer na montagem do provável novo governo, o senador Romero Jucá apresentou relatório da CPI do Futebol sem acusar ninguém. O texto chegou com antecedência: a Comissão tem prazo de funcionamento até agosto. Mas a bancada da bola inviabilizou seu funcionamento.

Onde está Wally?

Com o país em efervescência, o juiz Sergio Moro e a Operação lava Jato andam em incomum discrição.

Até quarta

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, assinou, nesta terça-feira, com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, acordo de cooperação técnica para facilitar o acesso das empresas nacionais de defesa a financiamento. O acordo permitirá que os mecanismos de financiamento, garantias e outras ações do Banco sejam readequados às particularidades das empresas do setor. O objetivo da iniciativa é o fortalecimento da Base Industrial de Defesa (BID). Resta saber se a iniciativa resistirá ao desmonte programado por Temer.

Alavancagem

Tais como outros grandes bancos, o Deutsche Bank levanta questionamentos sobre sua situação e atuação no mercado financeiro internacional. Mario Lettieri e Paolo Raimondi escrevem, para o boletim Resenha Estratégica, que o portfólio de derivativos “de balcão” (OTC) da instituição alemã tem valor de face de aproximadamente 55 trilhões de euros – cerca de 20 vezes o PIB alemão e quase seis vezes o de toda a Zona do Euro. “Ou seja, é um dos bancos do mundo mais expostos às turbulências financeiras”, analisam os dois economistas italianos.

Como nos casos de outros bancos “grandes demais para quebrar”, o problema da alavancagem financeira é bastante relevante no caso do Deutsche. Atualmente, o banco tem 20 euros de ativos – títulos de vários tipos, excluindo os derivativos OTC, que não são incluídos nos balancetes – para cada euro de capital próprio. “Como se sabe, quanto maior o fator de alavancagem, maior é o risco em caso de redução do valor dos ativos e, consequentemente, o risco de perda do valor do próprio banco”, afirmam Lettieri e Raimondi.

O Deutsche estaria envolvido em pelo menos 6 mil casos legais, incluindo alguns realmente perturbadores, como a responsabilidades na manipulação da taxa Libor e dos preços de vários metais preciosos. O Serious Fraud Office (SFO), órgão londrino que investiga fraudes corporativas, emitiu, recentemente, mandados de prisão contra cinco cidadãos europeus, dos quais quatro altos funcionários do banco alemão, acusados de conspiração e fraude em manipulações da Euribor, a taxa interbancário do euro.

Paradisíaco

Os maiores investidores recentes no Brasil são paraísos fiscais, com a Holanda na cabeça, através das suas ilhas no Caribe.

Rápidas

O Capacitare está recrutando alunos de graduação em Turismo para estágio durante as Olimpíadas. São 200 vagas. Será oferecida um bolsa auxílio + transporte no valor de R$ 1.120. Interessados deverão enviar currículo para [email protected] *** A Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) cria o Centro Mackenzie de Liberdade Econômica. A iniciativa tem como objetivo contribuir para o debate em torno do papel do mercado e das consequências dos diferentes tipos de intervenção e regulação sobre seu funcionamento. A inauguração acontece nesta quarta-feira, às 19h30, no auditório Ruy Barbosa, no campus Higienópolis A presidente do Instituto dos Advogados do Rio Grande do Sul (Iargs), Sulamita Santos Cabral, receberá a Medalha Pontes de Miranda – Liberdade e Estado de Direito, no próximo dia 16, no Palácio Piratini *** Rio Expo Festas edição “Noivas e 15 Anos” estará no Caxias Shopping (RJ) até 15 de maio, domingo *** Com o tema “Liberdade para Empreender no Mercado Imobiliário”, o Congresso NE, organizado pelos Novos Empreendedores do Secovi-SP, será realizado em 15 de junho, na sede do Sindicato, em São Paulo. Mais informações: (11) 5591-1306 e www.secovine.com.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCrise pode virar institucional
Próximo artigoInício do fim

Artigos Relacionados

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Plano B dos bilionários dos EUA

Fuga dos impostos, de Trump e dos bloqueios levam a dupla cidadania.

Últimas Notícias

Receptores de TV pirata apreendidos transformados em minicomputadores

Receita entregará 3.000 receptores de TV pirata foram para o Ministério das Comunicações.

Despacho gratuito de bagagem em voos é aprovado no Senado

Senado confirmou o texto da Câmara: 23 Kg nos voos nacionais e 30 Kg nos internacionais.

Petrobras Conexões: R$ 36 mi em investimento ao longo de três anos

Demandas atuais são para áreas como robótica, redução de carbono e tecnologias digitais

Potencial econômico da costa marinha brasileira

BNDES e Marinha começarão mapeando os litorais de RS, SC e PR

TSE autoriza ‘vaquinha virtual’ para financiar candidaturas

Utilização nas eleições deste ano está autorizada a partir do dia 15 de maio