Tempo de renovação na Firjan

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) terá eleições em agosto, se a Covid deixar. Quatro pré-candidatos apareceram até agora. Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, há 25 anos no comando da entidade que dispõe de um orçamento de R$ 21 bilhões (incluindo o Sistema S), tentará nova reeleição. A Firjan é a única federação de indústrias que permite reconduções eternas na presidência, alteração no estatuto feita por Eduardo Eugenio.

A oposição aparece com três pretendentes, mas não se descarta uniões. Se marcharem juntos, têm grandes chances de renovar o comando da entidade. Pesquisa feita por fontes confiáveis, concluída nesta segunda-feira, mostra que o atual presidente contaria com 31% dos votos dos sindicatos filiados; a oposição está próxima da maioria, com 45%; indecisos somam 24%.

Aparecem como possíveis candidatos: Mauro Campos, presidente do Sinduscon Sul Fluminense (Sindicato da Construção); Sérgio de Oliveira Duarte, presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentos do Município do Rio (Siarj); e Angela Costa, presidente da Associação Comercial (ACRJ) e do Sindicato da Indústria de Papel e Papelão no estado (Sinpapel).

Mauro Campos, que foi diretor 1º Tesoureiro na terceira gestão de Eduardo Eugenio, saiu por “discordar da gestão e da falta de transparência”. Ele afirma que a administração desviou o foco do movimento sindical, “com investimentos milionários e faraônicos, enfraquecendo os sindicatos e deixando a indústria do Rio em queda livre”.

Nesse enfraquecimento talvez resida a principal força do atual presidente: sindicatos com quase nenhuma estrutura e minguados filiados, entidades dependentes do apoio da Firjan, especialmente após o fim da contribuição sindical.

Em tempos remotos, esse tipo de agremiação era chamado de “sindicato de gaveta”, pois tinham sua vida reduzida a fichas nos arquivos das federações, que decidiam quem seria o novo presidente e quem comporia a diretoria, elaboravam as atas, e estava realizada a eleição. Tempos remotos…

 

Vitória no trânsito

O isolamento social reduziu em 40% o número de vítimas de acidentes de trânsito no Estado do Rio de Janeiro em março em relação ao mesmo mês do ano passado. Segundo o Detran, em março de 2019, ocorreram 2.317 acidentes com vítimas, número que desabou para 1.379 este ano. No comparativo entre março e fevereiro de 2020, houve queda de 33%. Em fevereiro, 2.044 pessoas se acidentaram no trânsito.

 

Muito cuidado nesta hora

Quem vazou a informação sobre o vídeo da reunião ministerial foi quem já estava acostumado a este tipo de relação com a mídia. É preciso cautela. No vazamento do áudio do Temer, a Globo prometeu conversas estarrecedoras; divulgado o áudio, não passava de um traque.

 

Rápidas

A FGV, em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a Fundação Itaú Social realizam nesta quinta-feira, das 10h às 11h, o webnário “Como enfrentar os desafios logísticos das secretarias durante e após a pandemia”, com a participação de Rossieli Soares, secretário do Estado de São Paulo e Frederico Amancio, secretário de Pernambuco. Informações no Portal da FGV *** A Align Technology mudou sua rotina e, agora, oferece seus cursos de credenciamento online para ortodontistas no site *** Até o final de maio, o Lecadô vai doar mais de 10 mil fatias de tortas para as equipes dos hospitais do Rio.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços ao consumidor de março avançaram mais que esperado

Veículos novos registraram o segundo mês consecutivo sem variação, enquanto os usados apresentaram variação positiva.

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.