Temporada de manutenção de barcos deve gerar R$ 141 milhões em Itajaí

Distribuidora de produtos náuticos, a Catarina Náutica estima fornecimento de R$ 1,5 milhão em itens para reformas em 2021 (maio-novembro).

Após o crescimento de 20% em vendas de embarcações de esporte e recreio em 2020 e com mais de 900 mil embarcações navegando no Brasil, de acordo com dados da Associação Brasileira de Construção de Barcos Seus Implementos (Acobar), o mercado náutico segue em expansão em 2021 com reflexos para demanda por vagas em marinas, produtos náuticos e prestadores de serviços.

Para se ter uma ideia, estima-se que cada instalação de apoio náutico com 300 embarcações pode gerar mais de R$ 141 milhões para a economia local e garante 780 postos de trabalho, segundo estudo da Acobar encomendado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo.

Conhecida pelo turismo náutico e como maior produtor de embarcações de lazer do país, Santa Catarina já sente os reflexos do aumento em vendas de barcos durante a pandemia. Uma das principais estruturas náuticas do Sul do país, a Marina Itajaí, no litoral norte do estado, já recebeu quase 300 embarcações para reparos em 2021.

“A Marina Itajaí se tornou referência no país não apenas como local para ancoragem e lazer, mas também em termos de estrutura para manutenções de embarcações. Um dos diferenciais é que somos os únicos no Sul do país com equipamentos de alta tecnologia para a movimentação de barcos com até 75 toneladas e pátio capaz de receber 11 embarcações de 85 pés de forma simultânea. Outra vantagem é que a cidade possui mão de obra qualificada e cada vez mais as empresas estão se especializando e por isso Itajaí tem se tornado um polo náutico que é referência em todos os setores”, avalia a gerente comercial da Marina Itajaí Natasha Secchi.

Vendas

Outra empresa que já identifica incremento em vendas devido à alta demanda por insumos para a construção e manutenção de embarcações no Brasil, tanto para o mercado interno quanto para a exportação, é a Catarina Náutica. Considerada uma das maiores revendedoras e distribuidoras de suprimentos náuticos brasileira, a empresa estima aumentar em 25% as vendas de resinas, tintas, selantes e produtos de construção e reparo de barcos, até equipamentos eletrônicos de navegação, ancoragem e salvatagem, entre maio e novembro de 2021.

“Como a venda de barcos novos e usados está muito aquecida no Brasil, esse é um comportamento esperado. Para atendermos esse reflexo que foi significativo para toda a cadeia náutica, recentemente investimos cerca de R$ 350 mil na inauguração de um shopping náutico em Itajaí, SC, além de contratação de mão de obra e um laboratório de colorimetria da Sikkens – AkzoNobel capaz de scanear com precisão mais de 2 milhões de cores na base de dados para a análise da pigmentação e repintura correta da embarcação. E ainda planejamos expandir ainda mais com a estruturação de centros de relacionamento com clientes em marinas”, explica Roberto Deschamps, diretor da Catarina Náutica.

O argentino Eduardo Bonfante, de 48 anos, proprietário do veleiro OCA, é um dos velejadores que optou por erguer o barco e fazer a reforma da sua embarcação em Santa Catarina. “Comprei um veleiro Bavaria de 40 pés e escolhi a Marina Itajaí, no litoral norte, pela sua infraestrutura. Meu barco foi para pintura do fundo e ficou cerca de 12 dias fora da água para reparos. Além da estrutura, outro ponto positivo que percebi da região é a facilidade de encontrar tanto mão de obra como os produtos específicos para náutica desde lixas, tintas e pinceis até correntes de âncora, vasos elétricos, entre outros, através da Catarina Náutica, bem perto da marina, para a reforma”, explica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Dez anos após morte de Kadafi, Líbia sofre a pior crise humanitária

Em 2016, Obama chegou a reconhecer que seu pior erro foi não ter acompanhado de maneira efetiva o conflito após a queda do líder líbio.

Procedimentos contraceptivos têm queda na saúde suplementar

Pandemia impactou a realização de laqueaduras tubárias e o implante de dispositivos intrauterinos.

Últimas Notícias

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Dez anos após morte de Kadafi, Líbia sofre a pior crise humanitária

Em 2016, Obama chegou a reconhecer que seu pior erro foi não ter acompanhado de maneira efetiva o conflito após a queda do líder líbio.

Procedimentos contraceptivos têm queda na saúde suplementar

Pandemia impactou a realização de laqueaduras tubárias e o implante de dispositivos intrauterinos.