‘Tenho muito medo do que vai acontecer nas próximas duas semanas’

Eu tenho muito medo do que vai acontecer nas próximas duas semanas“. A afirmação, em tom de extrema preocupação, é do presidente do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, no Jornal Gente, Sidney Klajner definiu a situação como uma “catástrofe”. “A gente está vendo a lotação das UTIs no país todo, o que é uma catástrofe. Nós estamos falando da situação de hoje relacionada à contaminação de duas semanas atrás. Eu tenho muito medo do que vai acontecer nas próximas duas semanas”.

Na prática, se o ritmo de contágio se mantiver, pode faltar leito para atender pacientes com uma simples apendicite, alerta o presidente do Hospital Albert Einstein. “O que a gente espera é um aumento a tal ponto que, de novo, o sistema de saúde tenha que fechar as portas para as doenças que não são Covid. O receio é o sistema de saúde colapsar e você ter apendicite em casa, ou um infarto, e não ter acesso à saúde”

Sidney Klajner diz que o Hospital Albert Einstein vive um “aumento progressivo” de internações de pacientes com coronavírus. Segundo ele, cerca de 80 pessoas estão na UTI ou em unidades de terapia semi-intensiva – o maior número desde o começo da pandemia. Klajner atribui o que está acontecendo, sobretudo, ao descuido das pessoas com prevenção e distanciamento social.

Nesta segunda-feira, técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) visitam a fábrica da empresa Bharat Biotech, na Índia. Realizada a pedido da própria companhia, a inspeção às instalações onde está sendo produzida a vacina Covaxin, está prevista para terminar na sexta-feira.

Cinco servidores da agência reguladora brasileira avaliarão os padrões de produção da matéria-prima usada na elaboração do imunizante e da própria vacina. Os técnicos vão analisar os procedimentos de armazenamento, os processos de trabalho, entre outros critérios de controle de qualidade, cuja observância é necessária para que a Anvisa conceda ao laboratório farmacêutico o Certificado de Boas Práticas de Fabricação – documento que a agência emite aos fabricantes de medicamentos, produtos para a saúde, cosméticos, perfumes, produtos de higiene pessoal, saneantes e insumos farmacêuticos do Brasil e de outros países que cumprem os procedimentos e práticas estabelecidos pela instituição.

A Bharat Biotech ainda não pediu à Anvisa autorização para realização de estudos clínicos da Covaxin no Brasil. E nem o registro de uso emergencial da vacina no país. Apesar disso, na última quinta-feira, o Ministério da Saúde assinou um contrato para comprar 20 milhões de doses do imunizante produzido pelo laboratório.

Na última quinta-feira, o Ministério Público do Trabalho (MPT) emitiu nota técnica contendo medidas e diretrizes destinadas à garantia do cumprimento da ordem de prioridade no processo de imunização contra a Covid-19. Após serem recebidas em diversos estados denúncias de desrespeito à ordem preferencial definida no Plano Nacional de Vacinação, o Grupo de Trabalho Covid-19 da instituição iniciou a elaboração de documento destinado aos atores envolvidos na vacinação.

As orientações são destinadas a órgãos da administração pública direta e indireta, unidades e serviços de saúde, empresas, pessoas jurídicas e conselhos de saúde. O documento busca orientá-los, de modo a garantir a preservação da saúde das trabalhadoras e dos trabalhadores com maior fator de risco ou maior exposição ao contágio pela doença.

Entre as orientações estão a de cumprir rigorosamente os planos de vacinação nacional (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19), estaduais e municipais. Segundo o Plano Nacional de Vacinação divulgado pelo Governo Federal, estão entre os primeiros grupos a receber a vacina os trabalhadores de saúde, em especial aqueles que atuam na linha de frente de combate ao coronavírus. O documento também recomenda que seja observada a ordem de prioridade da vacinação contra a Covid-19 em cada unidade de saúde contemplada, com a classificação de risco de contágio a ser efetivada por profissional, servidor, órgão, comissão ou entidade acreditada para esse fim – sob pena de, em caso de descumprimento, serem adotadas as medidas trabalhistas, cíveis, criminais e administrativas cabíveis.

O documento observa também a necessidade de se promover ações para dar transparência à execução da vacinação contra a Covid-19 no município, inclusive com a divulgação semanal dos nomes das pessoas vacinadas, das metas vacinais atingidas a serem informadas aos conselheiros municipais de saúde.

 

Com informações da Agência Brasil

Leia mais:

Rede estadual de ensino do Rio volta hoje às aulas

Falta de produtos em supermercados retoma o maior nível de 2020

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.