Tensões externas afetam mercado doméstico

Último dia da primeira semana do mês traz cautela em mercados internacionais: tensão EUA X China se sobrepõe a qualquer indicador econômico.

Opinião do Analista / 10:52 - 7 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O último dia da primeira semana de agosto traz consigo cautela nos mercados internacionais. A escalada das tensões entre EUA e China se sobrepõe a outros eventuais indicadores econômicos.

Aterrissando no mercado doméstico, o Índice de Preços ao Consumidos Amplo (IPCA) deve acelerar e mostrar a maior alta mensal do ano. Ademais, as atenções também se voltam à aprovação do "PL dos juros", que visa a limitar em 30% a.a. os juros cobrados por bancos em operações com cartão de crédito e cheque especial. O texto ainda precisará passar pela Câmara e depois ir para a sanção presidencial. O fato deve transbordar da esfera legislativa para a esfera do mercado acionário, especialmente para ações de instituições financeiras.

Por fim, números relacionados à pandemia causada pela Covid-19 ficarão no foco. O Brasil se aproxima a 100 mil mortes e a 3 milhões de infectados.

.

Pedro Molizani

Trader Mesa de Câmbio

Travelex Bank

www.travelexbank.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor