Tereza e Leandro seguem tradição

Leilão e Cia / 12:26 - 27 de fev de 2008

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

"A concorrência é necessária e estimulante, porém a distorção dos valores e a velocidade com que se propagam os maus exemplos e a falta de uma forma enérgica e eficiente de punir os maus profissionais tem causado um grande prejuízo aos que honram a leiloaria" - afima textualmente a leiloeira Tereza Brame. Nomeada em 1982, Tereza está à frente do escritório que Paulo Brame, seu marido, falecido em fevereiro de 1999, iniciou há cerca de 40 e tornou um dos mais atuantes e prestigiados do RJ através dos anos. Com seu filho Leandro Brame, também titular de pregões desde o final de 2006, a experiente pernambucana se empenha para manter a tradição. "Paulo nos legou uma grande responsabilidade, que é a de dar continuidade ao seu trabalho, seguindo os preceitos de bem servir, com lealdade, respeito e honestidade, procurando sempre o melhor para os clientes e parceiros". Tereza esclarece que "hoje é comum o uso do termo parceiro para caracterizar uma relação de iguais, unidos pelos mesmos objetivos". Para Tereza, o ano que passou foi de muita luta e algumas conquistas e neste de 2008 deseja muito dar continuidade e ampliar a atenção que o Escritório Brame dá aos seus clientes, com um atendimento globalizado. Pretende realizar algumas mudanças, e criar um diferencial que estimule a fidelidade da clientela. "O nosso Escritório tem um compromisso e uma meta clara a atingir e por isso sei que o trabalho será muito árduo. Mas, acredito na semente que foi plantada, cuidada e que floresce para dar bons frutos, pois creio firmemente no trabalho baseado na fé em Deus e nas pessoas que compõem a nossa equipe". Barra da Tijuca em dois tempos A nova leiloeira Márcia Coimbra Marques vai vender extrajudicialmente, no próximo dia 4, terça-feira, um apartamento de duas salas, quatro suítes (uma com banheira), copa, cozinha, área de serviço, dependências para empregada, lavanderia e três vagas na garagem. O imóvel fica na Rua Augusto Camossa Saldanha, 64, Condomínio Rio Mar III, Barra, e dá direito a área de lazer completa, piscina e sauna. O lance mínimo de partida está fixado em R$ 500 mil, condicional e o pregão será realizado às 14 horas, no apartamento mesmo. Informações pelo tel: (21) 2493-7237. Por sua vez, Gustavo Portella Lourenço apregoará um apartamento com área de 57 metros quadrados, situado em edifício de construção moderna de 18 andares, com endereço na Av. Adolpho de Vasconcellos, 204, bloco 01 - Pontões. Desta vez, é pela melhor oferta que o leiloeiro entregará o imóvel, que é de frente, inclui uma vaga na garagem do prédio (que tem o nome poético de Pedra Bonita}, além do gozo de playground, piscina, sauna e salão de festas. Para saber mais: (021) 2533-5651. Dia 6 de março, às 14 horas, no mini auditório do Fórum da Av. Erasmo Braga, 115. Três de uma só vez Três artistas, três diferentes modos de expressão encontram-se na tripla exposição que o Instituto Tomie Ohtake inaugura nesta quinta-feira, 28, às 20 horas, em seu amplo espaço da Av. Faria Lima, 201 (entrada pela Rua Coropés), em Pinheiros, São Paulo: Anna Letycia, Dudi Maia Rosa e Cristiano Mascaro. Como se sabe, e o convite para a mostra enfatiza, "Anna Letycia faz parte da geração de ouro da gravura brasileira, que desponta no final da década de 1920 com Carlos Oswald, Segall, Portinari, Goeldi, Livio Abramo, Grassmann, Iberê Camargo, seguida pelos abstratos Fayga Ostrower, Edith Behring, Rossini Perez, Rthur Luiz Piza, Roberto Delamonica, João Luiz Chaves, Maria Bonomi, entre inúmeros outros". Com o título sugestivo de "Eu sou um outro", estão no Tomie Ohtake 22 trabalhos selecionados da produção de dois anos e meio sem folga do artista, que "ao contrário do que estamos acostumados, não são feitas de pincel, tinta e tela, mas de resina misturada com pigmento e fibra de vidro". Dudi Maia Rosa " explora as características, como o seu brilho, opacidade e transparência, ao mesmo tempo em que conversa com outros artistas, de Monet e Volpi á Tarsila e Guston, dos quadrinhos a maços de cigarro. A liberdade e as surpresas são tantas que jamais se imaginaria estar diante de algo produzido por um artista com quarenta anos de carreira". Terceiro do grupo expositor, Cristiano Mascaro há muito é considerado um mestre e até hoje tem surpresas em sua vida: recebeu em 2007 a principal láurea do prestigiado Prêmio Porto Seguro de Fotografia, o Prêmio Especial, concedido a um fotógrafo pelo conjunto de sua obra; "tornou-se, sem ser um artista-fotógrafo, que ingressou no mundo de galerias e colecionadores". Nesta mostra estão fotografias de várias fases de sua obra, concentradas entre 1980 e hoje. Ledy Gonzalez

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor