Tiro no pé

Ao transformar o Rio Grande do Sul em exemplo emblemático da suposta incapacidade administrativa do PT, Serra pode ver o tirar sair pela culatra. Segundo o IBGE, entre 1999 e 2001, o produto interno bruto (PIB) industrial do estado cresceu quase sete vezes mais do que a média nacional no mesmo período. Nesse intervalo, o PIB industrial gaúcho cresceu 11,7%, contra 1,7% da média nacional foi de 1,7%. Os dados sobre o PIB gaúcho ganham significado ainda maior quando comparados com o período anterior de 1995 a 1998, quando foi governado por Antonio Brito (então no PMDB, hoje no PPS) e aliado de Serra. Naquele período, o PIB industrial encolheu em 4,7%.

Troca
Advogados do Rio de Janeiro aproveitam o clima eleitoral e vão às urnas hoje e amanhã. Em pauta, uma taxa criada pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seção RJ para substituir a carteira da OAB por um modelo que impediria fraudes. Segundo o Sindicato dos Advogados do Estado do Rio, junto com a substituição compulsória da cédula de identidade estaria a obrigação de pagar todas as anuidades, contribuições e multas porventura em atraso. Sem a nova carteira, o advogado não poderia exercer a profissão. Ainda segundo o sindicato, a taxa (de R$ 35) seria repetida a cada três anos. Tudo isso estaria causando “grande indignação entre os advogados”. O título da nota distribuída pelo sindicato mostra disposição para polêmica: “Troca de carteira – Necessidade de segurança ou de caixa?”

Salão
O ex-secretário de Segurança do governo Garotinho Josias Quintal acusa o atual Governo do Estado do Rio de Janeiro de não divulgar números corretos dos crimes. Disso o governo Garotinho entende: no ano passado, foi acusado por um jornal do estado, com números e documentos, de ter maquiado as estatísticas sobre segurança.

Geral e irrestrito
Os transportes e das ruas ficaram vazias ontem com o feriado do Dia do Comércio no Rio. A paralisação atingiu também todos os camelódromos da Cidade. Até os vendedores de balas dos pontos de ônibus respeitaram o feriado. O Sindicato do Comércio Lojista do Rio estimou a perda do setor em R$ 185 milhões.

Monólogo
Tucano só gosta de debate quando está atrás nas pesquisas. Quando está à frente, gosta mesmo é de monólogo. Em 94, depois de desencadear uma campanha encampada pela imprensa para Lula participar de debates no primeiro turno, o então candidato FH, após ultrapassar o petista nas pesquisas, só confirmou sua presença no encontro na TV Bandeirantes poucos instantes antes de o evento começar. Foi o primeiro e único debate de que FH participou ao longo dos últimos oito anos.

Ícones
Diálogo entre dois gozadores entreouvido num elevador no Centro do Rio.
– Não sei como o Serra ainda não culpou o “risco Lula” pelo adernamento da P-34.
– Aí não pode.
– Por que não? Se o dólar sobe, a culpa é do Lula.
– Aí pode. Veja bem, se sobe, é culpa do Lula, mas se afunda, é culpa do Serra.
Pano rápido.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“What”s”
Próximo artigoMau exemplo

Artigos Relacionados

R5, a nova onda dos Brics

Paulo Nogueira Batista Jr. defende impulso a uso de moedas nacionais nas relações do bloco.

SUS poderia ter salvado 338 mil norte-americanos

Assistência à saúde universal pouparia 1/3 das vidas na pandemia.

Ricaços da indústria foram poupados de perdas

Ações de empresas de tecnologia derreteram.

Últimas Notícias

Cruzeiros marítimos estão em busca do tempo perdido

O setor quer recuperar o tempo que a pandemia atrapalhou

Fundos de investimento: R$ 8 bi de captação líquida

Renda fixa foi o destaque do primeiro semestre

Petrobras faz oferta de recompra de títulos globais

Interessados têm prazo até 12 de julho

Inscrições para Prêmio de Inovação em Seguros da CNseg

Premiação acontecerá em dezembro para três categorias

Abavt apresenta propostas para Dpvat

Ministério da Economia cria grupo de trabalho para discutir solução