Tombo no varejo em dezembro impulsiona volta do auxílio

O tombo recorde do comércio varejista em dezembro aumentou a pressão pelo retorno do pagamento da renda emergencial. A queda de 6,1% frente a novembro é em boa parte atribuída à redução dos valores pagos e do número de beneficiados. Em janeiro, praticamente os pagamentos cessaram, só restando alguns beneficiários.

A Frente Parlamentar Mista de Renda Básica divulgou nesta quarta-feira manifesto pela prorrogação do auxílio emergencial e ampliação do Bolsa Família. Os impactos provocados pela segunda onda de contágio – o país voltou à marca de mais de mil óbitos e 50 mil infectados por dia – indicam que o Congresso deve atuar para atender os mais vulneráveis.

Os parlamentares argumentam que, com o fim do auxílio, em dezembro de 2020, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 por mês, de acordo com a Pnad Contínua e a Pnad Covid 19.

A Frente é formada por 214 parlamentares de 23 partidos. Não há uma posição consolidada sobre valor e extensão do auxílio emergencial, segundo a Agência Senado.

Leia mais:

Vendas no varejo tiveram queda em dezembro

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Artigos Relacionados

Apenas 15% das indústrias adotaram trabalho intermitente

Dieese alerta que precarização reduz consumo.

Energia solar baixa custo ao consumidor e criará 1 milhão de empregos

Consumidores terão menos gastos com energia até 2050.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.