Topo da lista

Pelo 18ª vez, a American Dialect Society, entidade de estudiosos da língua inglesa nos Estados Unidos, escolheu a Palavra do Ano. E a de 2007 não poderia deixar de ser outra: subprime, que suplantou neologismos como vegansexual, billary e googleganger. O que era restrito a banqueiros agora é falado por todos, explicou o porta-voz da sociedade. “Afeta todo tipo de pessoa, em todo tipo de lugar.” A escolha demonstra a preocupação pública com a piora da crise hipotecária, diz a entidade.

Metro
A Palavra do Ano de 2006 para os integrantes da American Dialect Society foi to pluto (usada no sentido de desvalorizar ou rebaixar); em 2003, a escolha foi para a mais conhecida – também em português – metrossexual.
Em tempo: vegansexual é o vegetariano radical que não faz sexo com não-vegetarianos; googleganger designa a pessoa que, ao digitar seu próprio nome no Google, aparece em primeiro lugar na busca; e billary é exatamente a fusão de Bill (Clinton) e Hillary (idem).

Cobras
Uma substância presente no veneno da jararaca é capaz de atuar diretamente nos casos de hipertensão na gravidez, conhecida como pré-eclâmpsia. O medicamente, inédito, está sendo desenvolvido por pesquisadores do Instituto Butantan, ligado à Secretaria estadual de Saúde paulista. As drogas usadas atualmente no combate à doença são desenvolvidas para um hipertenso comum. Cerca de 3,2 milhões de mulheres ficam grávidas por ano no Brasil. Segundo o Conselho Brasileiro de Cardiopatia e Gravidez, 10% dessas gestantes apresentam pré-eclâmpsia, que é responsável por cerca de 30% dos óbitos maternos.

Sombra e água fresca
A ID Projetos Educacionais venceu licitação promovida pelo BNDES para desenvolver um programa de preparação para aposentadoria. O projeto beneficiará, inicialmente, 244 funcionários que se aposentarão no primeiro semestre deste ano. O objetivo é orientar os aposentados quanto à elaboração de seu projeto de vida, a fim de possibilitar-lhes uma melhor qualidade de vida nessa nova fase.
No caso dos funcionários do BNDES, a orientação deve ser em como direcionar suas aposentadorias para lazer e turismo. Os empregados, que não ganham pouco, se aposentam com vencimentos integrais, entre outras vantagens.

Chapa branca
O governador José Serra resolveu associar literalmente a publicidade sobre as obras do seu governo ao PSDB. Como ilustra foto publicada no Blog do Rovai (www.revistaforum.com.br/sitefinal/blog/default.asp#1675) o governo estadual ilustrou com um tucano e um mico a placa publicitária localizada no início da descida da Rodovia dos Imigrantes, que liga a região metropolitana de São Paulo à Baixada Santista. O objetivo alegado é informar que a área faz parte do Parque Estadual da Serra do Mar.

Micou
Rodovia mais frequentada do estado durante o verão e pela qual circulam milhares de carros diariamente nessa época do ano, a Imigrantes é um outdoor de alta visibilidade. No entanto, ao vincular o símbolo do partido ao mico, o tucanato pode criar uma associação negativa. Afinal, essa dobradinha na publicidade de um parque que ainda tem no seu nome a palavra Serra está estendida pouco depois de o consumidor arcar com R$ 15,60 de pedágio para circular pelos poucos quilômetros da estrada.

Mantra
Instadas a se manifestarem se cobram por ligações não-atendidas, como denunciou semana passada esta coluna, as operadoras de telefonia celular adotaram uma espécie de monopólio da fala em suas respostas. A Oi, por exemplo, “esclarece que a tarifação de seus serviços segue rigorosamente as normas estabelecidas pelo órgão regulador do setor (Anatel)”, mesmo resposta da Claro. Na TIM, a resposta é: “No que se refere à política de tarifação, a TIM segue a norma do Serviço Móvel Pessoal regulamentada pela Anatel”.
Já a Vivo, que cobrou R$ 079 por uma ligação feita por esta coluna de um aparelho da empresa com prefixo do Rio de Janeiro para outro da Oi com prefixo de Pernambuco, sem que a ligação fosse atendida, alegou que “a cobrança foi indevida”. Em reconhecimento do erro, isentou o dono da linha do pagamento da mensalidade da próxima conta.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Artigo anteriorDesconfiança
Próximo artigoAmeaça
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Chile, Paraguai, Colômbia… e o Brasil?

Crises políticas e sociais nos países vizinhos acendem alerta.

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.