Trabalho remoto aumentou risco de ciberataques

Só um terço dos executivos de empresas atualizou sua política de segurança e abordagem para minimizar o risco.

Quarta edição do Global Security Insights Report, com base em pesquisa virtual com 3.542 CIOs, CTOs e CISOs de todo o mundo em dezembro de 2020 explora o impacto dos ataques cibernéticos e das violações nas organizações, além de detalhar como as equipes de segurança estão se adaptando a esses desafios.

Segundo o estudo, quase 80% das companhias pesquisadas sofreram ataques cibernéticos devido ao fato de que mais funcionários estão trabalhando em casa, destacando as vulnerabilidades em tecnologias e posturas de segurança legadas.

Ainda segundo o estudo, 81% dos entrevistados sofreram uma violação nos últimos 12 meses, com quatro de cinco violações (82%) consideradas materiais. Ainda assim, os profissionais de segurança subestimaram a probabilidade de uma violação material. Apenas 56% dizem temer uma violação material no próximo ano, e pouco mais de um terço (41%) atualizou sua política de segurança e abordagem para mitigar o risco.

O ressurgimento do ransomware e o trabalho remoto criam uma superfície de ataque imprevisível: 76% dos entrevistados disseram que o volume de ataques aumentou – com a maioria apontando como causa os funcionários que trabalham em casa – e 79% disseram que os ataques se tornaram mais sofisticados. Ataques baseados em nuvem foram o tipo mais frequentemente experimentado no ano passado, enquanto as principais causas de violação foram aplicações de terceiros (14%) e ransomware (14%).

As estratégias de segurança cloud-first agora são universais: 98% dos entrevistados já usam ou planejam usar uma estratégia de segurança em nuvem, mas a mudança para a cloud expandiu a superfície de ameaça. Quase dois terços (61%) concordam que precisam ver a segurança de forma diferente agora que a superfície de ataque se expandiu. 43% dos entrevistados disseram que planejam construir mais segurança em sua infraestrutura e aplicações e reduzir o número de soluções pontuais.

Dos entrevistados, 63% concordam que precisam de melhor visibilidade sobre os dados e aplicações para prevenir ataques, enquanto 60% deles compartilharam que sua equipe de liderança sênior se sente cada vez mais preocupada em trazer novas aplicações ao mercado devido à crescente ameaça e dano de ataques cibernéticos;

As preocupações com a segurança estão impedindo a adoção da IA: a próxima fronteira para a inovação corporativa pode ser a inteligência artificial, mas mais da metade dos entrevistados (56%) afirmam que as preocupações com a segurança os impedem de adotar IA e machine learning.

Já estudo da Kaspersky, intitulado “Aumento do orçamento de cibersegurança nas empresas, apesar dos cortes feitos pela Covid-19”, mostra que 70% das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) da América Latina têm soluções de segurança instaladas e, destes, 96% se protegem com programas pagos – números que indicam a importância que a cibersegurança tem neste segmento. Além disso, o levantamento mostra que investimento cresceu de US$ 114 mil em 2019 para US$ 250 mil em 2020. Os motivos para este aumento são que 25% das organizações pesquisadas investiram após sofrer um incidente e 22% decidiram investir mais após saberem que outras companhias foram vítimas de violações de segurança. Dentre as empresas pesquisadas, 19% foram vítimas de ransomware, 14% sofreram infecções de malware e 10% de ataques direcionados.

O estudo também mostra um cenário positivo sobre a cibersegurança das MPMEs: 96% delas relataram estar protegidas com programas pagos, e apenas 4% possuem software gratuito. Além disso, 50% responderam que suas organizações contam com soluções projetadas especificamente para MPMEs, 42% indicaram que usam soluções de segurança para grandes empresas e apenas 8% relataram usar proteções domésticas. No geral, 70% das empresas pesquisadas disseram que os dispositivos usados em seus negócios têm software de segurança instalado, contra apenas 30% que responderam que não.

Artigos Relacionados

Elevação de custos de construção inviabiliza Casa Verde e Amarela

Preços dos materiais e equipamentos subiram 34% nos últimos 12 meses.

Yellen avisa Congresso que EUA podem ir a calote

Sem crédito adicional, dinheiro do Tesouro pode acabar em meados de setembro.

Preços dos imóveis no Rio registraram queda em junho

Valor de venda e de aluguel caíram, respectivamente, 0,1% e 0,9%; em São Paulo, lançamentos totalizaram 27.114 unidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

KPMG é alvo de críticas por auditorias em bancos ingleses

A KPMG, empresa que presta serviços de auditoria, enfrenta uma nova onda de críticas sobre a qualidade das seus trabalhos nos bancos, depois de...

Airbus inaugura projeto de aeronaves A350 na China

A Airbus inaugurou seu projeto de aeronaves A350 em seu centro de conclusão e entrega de fuselagem larga em Tianjin, norte da China. É...

Plataforma P-70, na Bacia de Santos, alcança capacidade de projeto

A P-70, localizada no campo de Atapu, na porção leste do pré-sal da Bacia de Santos, atingiu em 12 de julho sua capacidade de...

BC amplia iniciativas de ESG para suporte ao crédito

As recentes iniciativas regulatórias do Banco Central do Brasil (BC) para intensificar as divulgações relacionadas a questões ambientais, sociais e de governança (Environmental, Social...