Três aplicaram golpe das turbinas eólicas fantasmas nos EUA

Em uma oferta de venda não registrada de ações captaram US$ 1,9 milhão.

Acredite se Puder / 17:57 - 15 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Thunderbird Power Corp era uma desconhecida empresa do Arizona. Se aproveitando disso, três indivíduos se uniram para aplicar um golpe nos investidores e numa oferta de venda não registrada de ações captaram US$ 1,9 milhão; Richard Hinds e Anthony Goldstein, respectivamente, CEO e ex-presidente da Thunderbird, além do consultor canadense John Alexander “Lex” van Arem foram responsáveis por numerosas declarações falsas e enganosas distribuindo materiais de divulgação, press releases e um até vídeo do YouTube sobre o status da tecnologia de turbinas eólicas da Thenderbird e a suposta validação por uma empresa conhecida nacionalmente.

Houve a denúncia e a Securities and Exchange Commission apurou que os três mantinham uma rede nacional de agentes de vendas para enviar e-mail e ligar para potenciais investidores usando as alegações falsas e que Hinds, Goldstein e van Arem se apropriaram indevidamente de quase US$ 850 mil, cerca de 40% dos fundos dos captados para o pagamento dos agentes de vendas para procurar mais investidores desavisados. A SEC apresentou queixa em um tribunal federal no Distrito Sul da Flórida, acusa-os de violar o registro de valores mobiliários, o registro de corretores e as disposições antifraude das leis federais de valores mobiliários.

 

Vendas da BR aumentaram 7% em junho

Por causa do conavírus, a BR Distribuidora acompanha a evolução dos impactos na demanda brasileira de combustíveis e suas implicações para a geração do seu caixa. No mês de junho, o volume de vendas de diesel, gasolina e etanol, principais produtos para a mobilidade urbana, foi 7% superior ao verificado em maio. As vendas médias diárias de diesel em junho foram 5% superiores à média do período imediatamente anterior à crise (de janeiro a 21 de março). As vendas de querosene de aviação continuam em lenta recuperação, tendo registrado 79% menos que no período pré-crise. A despeito das diferenças sazonais entre os períodos, a companhia diz que continua a observar uma gradual recuperação dos volumes vendidos, o que tem acompanhado a contínua retomada da mobilidade urbana, em especial em algumas das principais metrópoles do país.

 

Hapvida quer 100% do grupo São José

A Hapvida adquiriu 85,71% e pode chegar a 100%, do capital votante do grupo São José, que atua na região do Vale do Paraíba, em São Paulo. Caso consiga essa totalidade, o preço a ser paga será R$ 320 milhões, incluindo o caixa líquido, a carteira de beneficiários e os imóveis, com pagamento à vista de R$ 240 milhões na data de fechamento da transação e uma parcela de R$ 80 milhões, abatidas eventuais contingências. Sob determinadas condições de desempenho, a parcela de “earn out” poderá ser acrescida de até R$ 80 milhões adicionais.

Para os analistas do Credit Suisse a aquisição é positiva e há a possibilidade de aumentar o número de vidas atendidas, estimando em R$ 6,3 mil o preço pago por vida e que parece ser estratégico para avançar em microrregiões com alto poder aquisitivo. O grupo é composto pela operadora de saúde Clínica São José Saúde e tem uma participação de 56% no capital da Pró-Infância SJC Hospital e Pronto Socorro Pediátrico. A carteira de pacientes é de 51 mil beneficiários, com um ticket médio de R$ 241 (a maior parte, 74,5%, está em planos coletivos). O grupo conta ainda com dois hospitais, que somam 104 leitos (20 UTIs), uma clínica localizada em São José dos Campos e uma unidade ambulatorial com pronto atendimento em Jacareí.

 

Americanas fazem pegadinha com o mercado

Em operação de follow on, Lojas Americanas levantou R$ 7,87 bilhões. A empresa afirmou que os recursos serão utilizados para capitalizar a controlada B2W, dona de sites de comércio eletrônico como Americanas.com, além de investimentos na Ame Digital e na expansão dos negócios. Em seguida, confirma estar preparando um aumento de capital por subscrição privada de aproximadamente R$ 3 bilhões na B2W. Caramba, quanto dos R$ 7,87 bilhões a subsidiária vai receber? Para que precisa de mais recursos? Será que é para ajudar Jorge Paulo Lehman a passar Warren Buffet na lista dos bilionários?

 

Suzano é ‘top pick’ do Bradesco

Como a Suzano deve ser a maior beneficiada no próximo ciclo positivo para o setor de celulose, dada a sua exposição significativa e por permanecer sólida operacionalmente, os analistas do Bradesco BBI decidiram que a Suzano é a nova “top pick” no setor de papel e celulose. Assim, a ação da empresa recebeu recomendação de compra e preço-alvo de R$ 58, o que significa um potencial de valorização de 58%.

 

Difícil de entender

Os fundos de private equity Warburg Pincus e Advent estão desesperados para se desfazer da parcela de 30% que possuem no capital da Restoque, dona das marcas Le Lis Blanc e Dudalina e que está em recuperação extrajudicial. Essa notícia circula dias depois de ser anunciado IPO.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor