Três perguntas: criptomoedas – escolhas, cuidados e perspectivas

Por Jorge Priori.

O crescimento do mercado de criptomoedas nos últimos anos foi acompanhado pelo lançamento de uma grande quantidade de moedas digitais. Fala-se muito das que prosperaram, e pouco das que ficaram pelo caminho, afundando com os recursos dos seus investidores. Fica a pergunta: em um mercado com tantas novidades, como escolher uma criptomoeda adequada para o seu investimento?

E quando um mercado cresce, aparecem os esquemas para enganar as pessoas, que na ânsia de ganhar dinheiro fácil e a qualquer custo, se deixam seduzir por golpes e promessas fraudulentas. A roupagem pode ser diferente, mas o cântico é antigo, portanto, não adianta reclamar depois.

Conversamos sobre a escolha de uma criptomoeda e os cuidados que uma pessoa deve ter com este mercado com Tasso Lago, especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move. Aproveitamos a oportunidade para também conversar sobre as perspectivas do mercado após a queda das cotações das criptomoedas em maio.

 

Como uma pessoa deve analisar uma determinada criptomoeda antes de comprá-la?

A pessoa deve consultar um site chamado CoinMarketCap para pesquisar sobre a criptomoeda na qual ela quer investir. Ela deve analisar o seu market cap, ou seja, o volume de dinheiro investido na criptomoeda, e o supply, que significa a quantidade de tokens em circulação. Fazendo uma analogia, 1 token seria o equivalente a uma ação de uma empresa S/A.

Depois, a pessoa deve acessar o site da criptomoeda para analisar o projeto e seus responsáveis. Eles trabalham com TI? Trabalharam em grandes empresas? Quais são as suas experiências? Além disso, é fundamental ler o projeto, entendê-lo e analisar se há alguma inovação relevante, ou seja, se ele tem uma boa proposta ou não.

 

Quais são os cuidados que as pessoas devem ter com o mercado de criptomoedas?

As pessoas têm que tomar cuidado com os golpes. Existem casos de ofertas de criptomoedas, inclusive de outros países. Ninguém oferece criptomoeda para ninguém. Se isso acontecer, a proposta deve ser desconsiderada.

Existem também promessas de investimentos com retornos fixos de 2, 3, até mesmo 10% ao mês, ou de investimentos que não dão sustos. Em qualquer investimento existe a volatilidade. Promessas de retorno são golpes financeiros.

Se a pessoa quer comprar criptomoedas, isso deve ser feito através de uma corretora como a brasileira BitcoinTrade ou como estrangeira Binance, que, inclusive, aceita Pix.

Recentemente, foi lançado o ETF HASH11*. Com este fundo, uma pessoa pode investir em criptomoedas estando no Brasil, através de uma corretora brasileira, como se estivesse comprando uma ação. O HASH11 é um fundo passivo de criptomoedas, o que acaba facilitando o acesso para todas as pessoas. Isso promove a entrada de capital no mercado e, consequentemente, a sua valorização.

 

Na sua opinião, quais são as perspectivas para esse mercado?

Com a correção recente de preço, o bitcoin está num bom momento para se investir. O mercado de criptomoedas é muito promissor e seus fundamentos são fortes. A queda ocorrida em maio foi iniciada quando Elon Musk disse que a Tesla não iria mais aceitar bitcoins como pagamento. Segundo ele, a mineração do bitcoin, que utiliza a tecnologia Proof of Work (em tradução livre, prova de trabalho), não utiliza energia limpa. Em abril, houve a inundação de uma mina de carvão na China, que utiliza muito esta fonte de energia, e isso acabou por prejudicar a mineração de bitcoin baseada neste país. Elon Musk correlacionou os dois eventos e tomou essa decisão.

O consumo de energia da mineração do bitcoin vai de encontro à política de ESG (sigla em português de Governança Ambiental, Social e Corporativa) da Tesla, que é uma empresa de capital aberto. Como há uma tendência de se valorizar ou desvalorizar uma empresa por causa desta política, possivelmente ele mudou seu posicionamento depois de ter sido pressionado pela diretoria.

Nos últimos dias, ele se reuniu com empresas de mineração de criptomoedas dos Estados Unidos e formou um conselho para buscar o fortalecimento da matriz de energia limpa no processo de mineração do bitcoin. Isso fará com que a grande crítica à principal criptomoeda não exista mais.

Isso pode abrir espaço para criptomoedas que não utilizam energia para a mineração, como, por exemplo, a Cardano e a Matic. Essas criptomoedas utilizam a tecnologia Proof of Stake, que não utiliza energia. Na Proof of Work existe a figura dos mineradores que possuem máquinas para processar a blockchain do bitcoin. Esse processo consome muita energia.

A ethereum, que é a segunda maior criptomoeda do mercado, está migrando da tecnologia Proof of Work, minerável, para Proof of Stake (em tradução livre, prova de aposta). Isso deve estar concluído até 2023 e mostra que o caminho para este mercado é a tecnologia Proof of Stake. Nesta tecnologia, a pessoa deixa o seu ethereum designado a uma rede ethereum, e a remuneração ocorre por meio de juros sob o próprio capital investido.

Ressalto que todos os projetos de criptomoedas são tecnológicos, portanto, há muita inovação nesse mercado o tempo inteiro. E por ser descentralizado, o ecossistema se fortalece de forma exponencial. Eu só vejo fundamentos fortes no mercado de criptomoedas e acredito que, com a entrada dos ETFs de criptos, nós teremos um mercado se valorizando ainda mais ao longo dos próximos anos.

Não podemos nos esquecer que os bancos centrais já estão caminhando para o desenvolvimento de suas moedas digitais. Assim, não faz sentido um pensamento reverso a essa inovação.

 

*O HASH11 foi lançado na B3 no último dia 26 de abril. Segundo a Hashdex, sua gestora, seu patrimônio no dia 10 de junho era de R$ 1,41 bilhão. O fundo tem como referência o Nasdaq Crypto Index (NCI), índice desenvolvido pela Hashdex em parceria com a Nasdaq. Seu administrador e custodiante é o Banco Genial S/A.

Sua cota estreou no mercado com o valor de R$ 54,10. Atualmente, em decorrência da correção de maio de 2021, ela se encontra com o valor oscilando na casa dos R$ 35. Sua cota chegou a atingir a máxima de R$ 58,88 e a mínima de R$ 30,16.

Leia também:

Sistema financeiro aperta cerco a criptomoedas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.