Três perguntas: quatro criptomoedas promissoras – AAVE, UNI, DOT, Link

Por Jorge Priori.

Conversamos com Orlando Telles, diretor de research da Mercurius Crypto, casa de análise especializada em criptoativos, sobre quatro criptomoedas promissoras e como evitar um investimento em uma criptomoeda que pode se tornar um pesadelo.

 

Como escolher uma boa criptomoeda para investimento?

Ser a criptomoeda mais famosa não significa ser a melhor. Para compreender qual o real valor de um criptoativo, é necessário estudar as teses de investimento e quais fatores de atualização podem destravar seus valores e fazer com que cresçam de forma exponencial.

Por se tratar de um mercado global e inovador, a pesquisa e o estudo são pontos de extrema importância em torno dos criptoativos nos quais se pretende investir. Fatores como governança, propósito, taxa de adoção, número de usuários, quantidade de transações, empresas e fundos que estão investindo no ativo, além da identidade dos desenvolvedores do projeto, são maneiras de avaliar os investimentos de forma fundamentalista.

 

Na sua opinião, quais seriam quatro criptomoedas promissoras para investimento e por quê?

Com base na análise dos fatores que mencionei anteriormente, as criptos AAVE, UNI, DOT e Link são opções bastante promissoras para os próximos meses.

A Aave, que basicamente se trata de um projeto financeiro descentralizado de operações de empréstimos entre criptomoedas, é o principal protocolo de lending no mercado de cripto. O protocolo tem apresentado uma boa governança, no sentido de que seus desenvolvedores estão realmente empenhados com a estabilidade do protocolo, investindo em atualizações, integrando a Uniswap e utilizando recursos das maiores redes do mercado. A Aave é um protocolo muito sólido e um dos que menos sofreu com as grandes quedas do mercado.

O que mais chama atenção nesse ativo é o lançamento de um pool de liquidez para investidores institucionais, ou seja, um conjunto de tokens armazenados em contratos inteligentes. O processo contará, ainda, com o know your customer (conheça seu cliente), procedimento de verificação da identidade do cliente que visa normas regulatórias. Isso significa que o pool vai precisar verificar a identidade dos usuários e, desta forma, se adequar à boa parte das normas regulatórias do mercado tradicional. Essa movimentação abre possibilidade para a entrada de investidores institucionais, que são os que mais detém capital no mundo e, consequentemente, aumentará o potencial de crescimento do mercado de cripto, o que é extremamente positivo para o usuário final, além de gerar maior segurança e estabilidade para o setor.

Já a Uniswap, maior exchange descentralizada (DEX) da atualidade e que já transacionou mais de US$ 300 bilhões em sua plataforma, vem performando em alto nível e é considerada por especialistas a DEX mais promissora do mercado. O ativo passou recentemente por uma atualização, a V3, o que possibilitou o aumento em sua eficiência de capital. Ao analisar de forma fundamentalista, é possível perceber que o ativo cresceu de forma significativa após a implementação do V3, enquanto a média histórica do mercado não acompanhou essa movimentação. Desta forma, é possível constatar que a Uniswap conseguiu, por meio da atualização, se tornar mais eficiente, e mais eficiência se traduz em mais receita com menos custo.

A Polkadot é uma solução fundamental para os protocolos de Cross-Chain, o que possibilita a comunicação entre blockchains, permitindo a criação de diversas versões customizadas, com aplicações de Finanças Descentralizadas (DeFi), games, entre muitas outras. Recentemente, o ativo deu início ao primeiro leilão de parachains (blockchains customizadas) na Kusama – rede irmã da Polkadot – estratégia que deve se estender para a plataforma da Polkadot em breve. Isso deve aumentar a demanda dos tokens, visto que para qualquer projeto possuir uma parachain, é preciso, primeiramente, travar tokens DOT, que é o token da Polkadot. Esse é um indicativo positivo de valorização que, juntamente com a boa governança, deve alavancar o ativo.

Por fim, o Link é o quarto ativo que pode performar muito bem nos próximos meses. A Chainlink é vista como a base para todos os movimentos dentro do mercado de cripto. Isso porque o protocolo consegue fornecer soluções de oráculos, que são intermediadores de informações entre o mundo real e o mundo blockchain, possibilitando a aplicação de inúmeras funcionalidades dentro dos contratos inteligentes. Entre os 17 maiores protocolos de DeFi, apenas quatro não utilizam soluções da Chainlink. É evidente que se trata de um ativo essencial dentro desse setor e, caso haja um crescimento do mercado DeFi, a tendência é que a Chainlink cresça ainda mais.

 

Como evitar uma criptomoeda que pode se tornar um pesadelo?

Para evitar esse tipo de problema é fundamental ter uma tese de investimento por trás do ativo em que se pretende investir. Por meio de análises fundamentalistas, descobrir o real motivo pelo qual vale a pena alocar seus recursos naquela criptomoeda. É comum escutarmos que no mercado financeiro “não é só ganhar dinheiro e sim entender porque se está lucrando”.

Hoje, muitos investidores do mercado de criptomoedas baseiam suas tomadas de decisão em dicas de outras pessoas que não analisam os ativos tecnicamente ou até mesmo por causa do hype (todo mundo falando) de algumas criptos que acabam se supervalorizando no mercado, mas que ninguém sabe o porquê. Isso é algo que, por vezes, não se justifica.

Ocasionalmente, investimentos feitos dessa forma podem até dar certo, já que o mercado de cripto está se expandindo de forma significativa. Entretanto, na maioria das vezes, no longo prazo, essas aplicações não se sustentam, o que pode ocasionar em perda de recursos.

Ao investir em criptomoedas é preciso calma, estratégia sólida e discernimento para reconhecer as melhores oportunidades. A meu ver, esses são requisitos indispensáveis para minimizar os riscos e evitar que seu sonho de ganhar dinheiro com os investimentos em criptomoedas se torne um pesadelo.

Leia também:

Três perguntas: criptomoedas, regulamentação, startups e stablecoins

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Tesouro: Queda do investimento líquido em ativos não financeiros

O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira que no 2º trimestre de 2021, a necessidade líquida de financiamento do Governo Geral alcançou 7,1% do PIB,...

Leilão de Excedentes da Cessão Onerosa terá sucesso?

Após a realização da 17ª Rodada de Licitações de Blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural no último dia 7, considerado...

Últimas Notícias

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Direito de controle sobre funcionários que trabalham de casa

Por Leonardo Jubilut.

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...