Três perguntas: um token feito para o mercado imobiliário

Por Jorge Priori.

Conversamos com Daniel Carius, COO da Ribus, sobre a plataforma de integração via blockchain desenvolvida para o mercado imobiliário e seu utility token, o Rib Token.

 

O que são a Ribus e o Rib Token?

Quando você adquire um Rib Token da plataforma Ribus, o dinheiro da aquisição é destinado às parcerias de empreendimentos imobiliários. O token em si é um voucher de acesso a uma plataforma de usabilidade que pode ser usado como uma moeda de troca. A plataforma favorece a interação entre os usuários, prestadores de serviços e vendedores de bens através do token. Toda essa cadeia é do setor imobiliário. Atualmente, nós estamos cadastrando profissionais que permeiam o universo imobiliário como engenheiros, arquitetos, pedreiros e pintores. Ao aceitarem receber o Ribus, os prestadores de serviços dão um benefício através de um desconto especial às pessoas que estão pagando com o token.

O lucro proveniente das parcerias dos empreendimentos imobiliários serão divididos entre as pessoas que possuem o token. Por exemplo, se um empreendimento de R$ 10 milhões tiver um lucro de R$ 10 milhões, 50% desse lucro será direcionado para o mecanismo de valorização do token. Os outros 50% ficarão com a Ribus para o desenvolvimento de novas parcerias de empreendimentos imobiliários.

Com relação ao mecanismo de valorização, esses recursos serão destinados a recompra de tokens que estão no mercado. Quando fizermos essa recompra, nós vamos diminuir a quantidade de tokens para gerar deflação. Nós temos 300 milhões de tokens no mercado e a cada recompra nós vamos queimar 10% da quantidade total, gerando um processo deflacionário até chegarmos a 100 milhões de tokens. Em cada recompra, 50% do valor será distribuído como recompensa para quem está segurando o token e os outros 40% serão distribuídos para todas as pessoas que estão na plataforma.

Essa distribuição será feita com os tokens que foram recomprados. Assim, um engenheiro que prestou dez serviços no ano através da Ribus vai ganhar o lucro dos empreendimentos dos quais ele pode não ter participado. Outra ponto: a plataforma possui um ranqueamento de prestação de serviços. Quanto mais serviços forem prestados por uma pessoa, mais lucros serão direcionados para ela. Um engenheiro que prestou vinte serviços num determinado período vai receber mais lucros do que o engenheiro que prestou quatro serviços, pois ele deu mais usabilidade ao token. Essa é a ideia de fomentação do ecossistema.

Como a Ribus investe em empreendimentos imobiliários através de parcerias, nós temos o caso de um incorporador que cedeu parte do seu lucro para dar descontos na aquisição de algumas unidades do seu empreendimento. Ou seja, quem comprou as unidades com Ribus, teve 10% de desconto no valor de aquisição. Cabe destacar que o incorporador não teve que desembolsar para fazer o empreendimento, pois a Ribus só participa do lucro final da incorporação.

As pessoas que não querem utilizar os tokens para contratar serviços, poderão segurar os tokens e ganhar as recompensas provenientes das recompras. Assim, quando uma pessoa quiser ganhar dinheiro com a Ribus, ela tem que comprar o token como se fosse a cota de um fundo imobiliário. De tempos em tempos, ela receberá as recompensas.

A partir de junho de 2022, quem tiver um token poderá vendê-lo através de três corretoras, sendo duas nacionais e uma internacional. A ideia é que até o final do ano, nós estejamos em 10 corretoras. Com isso, o token terá mais liquidez que a cota de um fundo imobiliário. Além disso, terá mais mercado, pois poderá ser negociado em corretoras espalhadas pelo mundo.

 

Como funciona o processo de seleção de empreendimentos que ingressam na plataforma?

Quando um incorporador nos procura com um empreendimento, ele tem que cadastrá-lo no nosso banco de dados para que seja feita a análise de viabilidade. Aprovada a análise, são alinhados os termos entre as duas partes, pois cada empreendimento tem termos específicos. Com o início do empreendimento, nós fazemos o acompanhamento de todo o projeto e a liberação dos recursos é feita por etapas. Se a Ribus não tiver os recursos em caixa para investir num empreendimento, ela pode captar recursos no mercado via emissão de novos tokens.

A Ribus é integrada a uma empresa de inteligência imobiliária chamada Agrega. Essa empresa possui mais de 15 anos de mercado e seus sócios têm mais de 40 anos de experiência em incorporações imobiliárias. A Agrega é a maior plataforma de catálogo de terrenos no Brasil.

Em breve, as pessoas poderão acompanhar através do nosso site a evolução dos empreendimentos através do nosso portal da transparência. Entre agosto e setembro deste ano, nós pretendemos lançar NFTs que correspondam a um empreendimento específico, mas hoje, quando uma pessoa compra o Ribus, ela está comprando uma cesta de empreendimentos.

 

Qual a origem do conceito do token emitido pela Ribus?

Nós fazemos uma analogia ao modelo de voucher que é muito utilizado nos Estados Unidos e na Alemanha. O valor das criptomoedas que são utilizadas como voucher está baseado no acesso que ela dá. Esse é o caso da Ethereum. A real usabilidade do Ether é poder acessar o ecossistema da Ethereum e ter acesso à construção de contratos inteligentes dentro desse ecossistema. O Ribus é um utility token da mesma forma que o Ether.

Leia também:

Três perguntas: o mercado de ações em fevereiro de 2022

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Healthtechs e edtechs rivalizam com fintechs por investidores

Startups de saúde e de educação se aproximam das empresas de tecnologia financeira na disputa pelos aportes

Mercados dão continuidade a movimento negativo visto desde ontem

Bolsas e commodities cedem, enquanto as curvas de juros dão um alívio; moedas são a exceção e avançam contra o dólar.

FIIs do Hospital da Unimed Campina Grande está sendo negociado na B3

Ativo soma-se ao portifólio de produtos que possibilitam ao investidor qualificado a diversificação de sua carteira

Últimas Notícias

Quatro em 10 brasileiros pretendem pedir crédito nos próximos 90 dias

Intenção atingiu maior patamar desde junho de 2021; dívidas são o principal motivo.

Healthtechs e edtechs rivalizam com fintechs por investidores

Startups de saúde e de educação se aproximam das empresas de tecnologia financeira na disputa pelos aportes

Mercados dão continuidade a movimento negativo visto desde ontem

Bolsas e commodities cedem, enquanto as curvas de juros dão um alívio; moedas são a exceção e avançam contra o dólar.

Conab aponta para safra de café em 53,4 milhões de sacas

Nos quatro primeiros meses, país já exportou 14,1 milhões de sacas de 60 kg; volume é 10,8% menor que o exportado em igual período de 2021.

Em caso de novo ataque hacker, 80% das empresas pagariam resgate

Senhas: sequências numéricas simples ainda são motivo de ataques cibernéticos.