Trilhão é pouco, benesse pode ir a R$ 2,5 trilhões

A aprovação da MP 795 pelo Congresso, concedendo isenção de impostos às petroleiras até 2040, foi um grave erro, que deverá ser consertado tão logo o país volte à normalidade democrática. A lei concederá uma benesse estimada, por um estudo da assessoria legislativa, em R$ 1 trilhão. A Receita Federal contesta o cálculo e fala em ganhos para o país. Porém, se fia em argumentos políticos – a necessidade de ter um ambiente favorável à atração das multinacionais para explorar o pré-sal.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco Nacional) se debruçou sobre as duas posições contraditórias. Por um lado, considera procedente a crítica quanto à metodologia de cálculo do estudo legislativo, pois o custo em óleo estimado (US$ 22 por barril) já está excluído da base de cálculo da CSLL e IRPJ. Porém, contesta a Receita, ao mostrar que o Brasil poderia ter um ganho total de US$ 35,91 por barril, com arrecadação de US$ 12,41 por barril a título de CSLL e IRPJ, se não for concedida a isenção. Pelos cálculos da Receita, com a MP 795, o país ficaria com US$ 28,43 por barril, com arrecadação de US$ 4,93 por barril.

A diferença, portanto, é de US$ 7,48 por barril, o que levaria a perda a níveis próximos ao estimado pela assessoria do Legislativo ou ainda mais, considerando todo o potencial do pré-sal. “Se tomarmos em consideração apenas as reservas já descobertas e recuperáveis de 40 bilhões de barris, e mesmo descontando-se 10% desse total, a renúncia fiscal de US$ 7,48 por barril de petróleo e o valor do barril do petróleo estimado (US$ 60), chegaríamos a uma renúncia fiscal total da ordem de R$ 888,624 bilhões”, calcula o Sindifisco. Só que um estudo feito pelos professores Cleveland Jones e Hernani Chaves, do Instituto Nacional de Óleo e Gás da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) em 2015 aponta para a existência estimada de 114 bilhões a 288 bilhões de barris de recursos não descobertos e recuperáveis de petróleo e gás na área do pré-sal. Se tomarmos a menor estimativa, ainda que descontando 10% do total, chegaríamos a uma renúncia de R$ 2,5 trilhões (cálculo da coluna).

 

Cortes seletivos

Para um governo que quer acabar com a Previdência e vem realizando cortes alegando problemas fiscais, é uma contradição e tanto. O Sindifisco Nacional mostra que, ainda que levando-se em conta a renúncia prevista pela Receita na exposição de motivos da MP, trata-se de uma proposta que vai de encontro ao que a equipe econômica diz e faz. “Apenas o valor absoluto da renúncia previsto para 2018 é 2,2 vezes superior ao ajuste da MP 805, de 2017, a qual promove algumas medidas centradas exclusivamente no corte das despesas com o funcionalismo público federal.” A entidade compara o total de renúncias tributárias previstas para 2018 com o Orçamento de 2016 (ressaltando que são bases diferentes e, por isso, trata-se apenas de uma ilustração). “Somente as renúncias da Medida Provisória são responsáveis por 6% de todas as renúncias a serem praticadas no próximo ano e por 9,5% das renúncias relativas ao IRPJ e à CSLL e a 1,24% da arrecadação tributária prevista a cargo da Receita.”

 

Pires na mão

O Sindifisco Nacional alerta estados e municípios que as isenções propostas pela MP 795 afetará a arrecadação destes entes federativos, pois as renúncias abrangem também o Imposto de Renda e o IPI, cuja arrecadação é compartilhada. “E como as renúncias também atingem a CSLL, o PIS/Pasep Importações e a Cofins-Importações, todos os três tributos financiadores da Seguridade Social, esta também é prejudicada, enquanto o Governo Federal busca aprovar uma Reforma na Previdência”, apontam os auditores fiscais da Receita.

 

Rápidas

O advogado Leonardo Palhares, do Almeida Advogados, foi reeleito para a presidência da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) *** Neste domingo, às 11h, o Shopping Bay Market (Niterói) realiza a Sessão Azul, com a exibição do filme A Estrela de Belém, parceria com o grupo CapaciTEAutismo e o Movimento Orgulho Autista Brasil *** No mesmo dia, o Papai Noel do Ilha Plaza receberá um grupo de crianças autistas, às 9h, ação em parceria com o grupo Compartilha – Autismo *** O Caxias Shopping (RJ) apresenta nesta terça-feira o espetáculo Natal Mudart 2017 – O Quebra Nozes *** Administrado pela GL Events Brasil, o Riocentro, na Barra da Tijuca, ganha um novo diretor-geral: Beni Piatetzky.

Artigo anteriorVolks abriu a porteira
Próximo artigoUma bolada compulsória
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.