Trump adia pacote econômico para após as eleições

Pesquisa de opinião mostra que republicano tem 41% e o democrata Joe Biden 57%.

Política / 22:34 - 6 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No momento em que a preferência dos eleitores a coloca ainda mais distante do seu opositor democrata Joe Biden, Donald Trump resolve suspender, nesta terça-feira, as negociações para pacote de estímulo econômico até depois das eleições, marcada para o dia 3 de novembro. O pacote, estimado em trilhões de dólares, seria mais uma tentativa do governo Trump de reduzir o impacto da pandemia do coronavírus nos EUA que, na sua opinião, não pode ser motivo para impedir a paralisação da atividade econômica do país. Tal ponto de vista levou o Twitter a bloquear mensagem do presidente, por voltar a chamar a Covid-19 uma “gripezinha”.

Eu instruí meus representantes a pararem de negociar até depois da eleição, quando, imediatamente depois de eu ganhar, aprovaremos um grande projeto de lei de estímulo que se concentra nos americanos trabalhadores e nas pequenas empresas”, escreveu Trump, em seu perfil, no Twitter.

Na disputa pela presidência dos EUA, Joe Biden aumentou a vantagem sobre Donald Tump, de acordo com nova pesquisa divulgada pela CNN. O democrata aparece com 57% das intenções de votos, enquanto o republicano tem 41%. Na pesquisa anterior da CNN, Biden aparecia com 50% e Trump com 46%. A pesquisa divulgada pela CNN foi feita de 1 a 4 de outubro, com uma amostra nacional de 1.205 adultos. Eles foram ouvidos por telefone ou ao vivo. Os resultados da amostra completa têm uma margem de erro de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Trump também pediu ao líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, para “se concentrar em tempo integral” na confirmação de Amy Coney Barrett, indicada por ele à vaga na suprema corte dos EUA. Segundo a rede de TV CNBC, Trump conversou com os líderes congressistas republicanos sobre os planos de estímulo no início do dia.

Aos mercados reagiram imediatamente. Por volta das 16h05 de Brasília (19H05 GMT), o Dow Jones Industrial Average recuava 1,11%, a 27.836,53 pontos; o Nasdaq perdia 1,29%, a 11.186,16; e o S&P 500 caía 1,20%, a 3.367,73 pontos, após operarem no azul durante todo o dia..

No Brasil o dólar comercial encerrou esta terça-feira vendido a R$ 5,598, com valorização de R$ 0,029 (+0,52%). A moeda operou em queda na maior parte do dia, com a mínima da sessão chegando a ser vendida a R$ 5,48. A cotação, no entanto, reverteu o movimento. Influenciada por uma decisão do presidente norte-americano.

A reversão de expectativas também afetou o mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou aos 95.615 pontos, com recuo de 0,49%. O indicador começou o dia em alta, chegando a subir quase 1,4% durante a manhã, mas passou a cair após a postagem de Trump.

 

 

 

 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor