Trump pressionou brasileiro para mudar status dos EUA na OMC

Donald Trump pressionou o brasileiro Roberto Azevedo, que ocupava o cargo de diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, para os EUA serem tratados como um “país em desenvolvimento”, status que detêm China, Índia, Argentina e dezenas de outros países.

A revelação, segundo reportagem do UOL, consta do livro Rage (Simon & Schuster), do jornalista Bob Woodward (caso Watergate), lançado nesta terça-feira. O status pretendido por Trump permite impor tarifas mais elevadas que os países ricos e ter mais espaço para a intervenção do estado na economia.

De acordo com o livro, Trump ameaçou sair da OMC em uma conversa com Azevedo, por telefone. Em maio, de forma surpreendente, o brasileiro anunciou que deixaria a entidade um ano antes do fim de seu mandato.

Artigos Relacionados

Oito empresas de alimentos pagaram US$ 18 bi a acionistas

Valor distribuído em 7 meses de 2020 é 5 vezes maior que doações arrecadadas pela ONU contra Covid.

Trabalhadores perderam US$ 3,7 trilhões com a pandemia

OIT registra preocupação com recuperação em forma de ‘K’, em que mais atingidos ficariam para trás.

Biden retoma restrições a viajantes que chegam do Brasil

Medida também afetará quem não é cidadão norte-americano que viaje a partir do Reino Unido e África do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Omissão em documento laboral deve ser resolvida na Justiça do Trabalho

Decisão afasta ações contra o INSS por possíveis erros cometidos pelas empresas.

Biden retoma restrições a viajantes que chegam do Brasil

Medida também afetará quem não é cidadão norte-americano que viaje a partir do Reino Unido e África do Sul.

Ação contra McDonald’s já beneficiou mais de 3 mil trabalhadores

Justiça reconheceu direito a maior pagamento de participação nos resultados.

Ritmo de vacinação limita alta do PIB no Brasil a 3,5%

FGV acredita em retomada desigual no mundo, com melhora mais rápida nos países desenvolvidos.

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.