TSE quer incentivar campanhas eleitorais virtuais

Oela internet, tudo fica registrado e de fácil acesso aos fiscais eleitorais.

Decisões Econômicas / 15:22 - 12 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de autorizar convenções partidárias virtuais foi a primeira sinalização de que os seus membros descartam o adiamento das eleições municipais deste ano. É a convenção que oficializa as candidaturas de postulantes aos cargos de prefeitos e vereadores. As medidas de distanciamento social seriam um impedimento para a realização das convenções, mas agora, com essa decisão, poderão ocorrer dentro dos prazos determinados pela Justiça eleitoral. Os ministros do TSE também veem com bons olhos as campanhas eleitorais pela internet, onde tudo fica registrado e de fácil acesso aos fiscais eleitorais. Com isso, analisam especialistas, logo devem sair normas mais restritivas para as campanhas nas ruas das cidades.

 

Impeachment do governador pode incluir vice

Segue cada vez pior o relacionamento do governador Wilson Witzel com a Assembleia Legislativa do Rio. Alguns deputados já consideram o seu impeachment inevitável e cogitam um passo à frente. Querem incluir o vice-governador Cláudio Castro no processo de cassação. E defendem uma votação rápida. Assim, com os dois cargos vagos, outra eleição poderia ser realizada alinhando data com as eleições municipais de 4 de outubro. Com a manobra, cabeças coroadas dos partidos poderiam se lançar à sucessão estadual, turbinando as nominatas municipais. Melhor ainda: deputados poderiam concorrer ao cargo de governador sem perderem seus mandatos legislativos.

Deputado Márcio Pacheco

Cadeira vaga na liderança

Uma prova do desprestígio do governador na Alerj é o cargo de líder do governo, antes disputadíssimo, que continua vago. São 70 deputados estaduais. Nenhum se candidatou a vaga. O último a ocupar a cadeira foi o deputado Márcio Pacheco. Sem um líder, a bancada do governo evaporou.

 

Pandemia impulsiona novo setor econômico

A pandemia do coronavírus abriu espaço para o crescimento de uma nova área da economia: a de manutenção de reparo e manutenção de equipamentos biomédicos. E para formar força de trabalho para o setor, o deputado Danneil Librelon (REP) defende a criação de um curso de formação de novos técnicos nas Unidades da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec). Segundo ele, o curso vai habilitar profissionais para consertar equipamentos médicos e laboratoriais. A proposta deverá ser votada na Alerj nas próximas semanas.

 

Higienização na Câmara do Rio

Confiante na volta à nova normalidade em breve, a Mesa Diretora da Câmara do Rio vai promover na próxima segunda-feira (15) a higienização de todos os setores do Palácio Pedro Ernesto e gabinetes. Fato inédito, o trabalho terá custo zero para o Legislativo carioca, que conseguiu uma parceria gratuita com a Marinha do Brasil para a realização do serviço.

 

Deputados presos de volta ao trabalho

Só para registro, os deputados André Correa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcus Vinicius Neskau (PTB) e Marcos Abrahão (Avante) já se instalaram em seus gabinetes e participam das votações na Alerj. Eles foram presos em 2018 depois de eleitos, mas antes da posse, e soltos em outubro do ano passado. Uma liminar do Tribunal de Justiça, que impedia que eles tomassem posse foi derrubada pelo ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor