Tô nem aí

Na defensiva diante da crescente cobrança da opinião pública sobre o baixo nível de grande parte da programação televisiva, inclusive no ainda chamado horário nobre, representantes dos meios de radiodifusão decidiram recorrer a uma retórica que soa deslocada para os que ostentam as trajetórias de seus principais proprietários. A título de desconversa sobre a necessidade de ajustar os horários dos programas à necessidade de salvaguarda de crianças e adolescentes brasileiros, passaram a defender que a preocupação com a violência urbana e o abandono dos jovens deveria substituir a obrigação do Estado de cobrar de seus concessionários a obediência à Constituição. Como se a defesa do modelo econômico concentrador e a emulação obsessiva ao consumo não tivessem nos meios de comunicação, principalmente os eletrônicos, seus mais fanáticos porta-vozes.

Global
O crescimento da desigualdade, com a globalização, e a redução no crescimento econômico fizeram com que os índices de criminalidade nos EUA – que vinham caído desde meados da década de 1990 – voltassem a subir. O artigo “A Pandemia Oculta”, de Moisés Naím (diretor do Foreign Policy), mostra o aumento dos crimes na área urbana em todo o mundo.
A delinqüência também está aumentando no Reino Unido. A União Européia classifica Londres como “capital européia da delinqüência”. A região com maior percentual de assassinatos do mundo é o Caribe, seguido pela África e pelo América Latina.
Naím atribui a violência, não à pobreza, mas ao elevado percentual de jovens, muitas drogas e fácil acesso a armas nos centros urbanos. A desigualdade econômica e a urbanização, obviamente, também aceleram as taxas de criminalidade.

Aplausos&vaias
Mesmo que descontados os salamaleques protocolares típicos dessas ocasiões, a despedida eufórica destinada por trabalhistas e conservadores do Parlamento inglês ao bota-fora de Tony Blair reafirma que o divórcio entre os políticos e as ruas não é exclusividade brasileira.

Efeito Bush
Em 2005, se registrou o maior incremento na criminalidade norte-americana dos últimos 15 anos. O número de homicídios aumentou 71%, os roubos, 80%, e os ataques a mão armada em 67%, entre 2004 e 2006. Em Boston, o número de assassinatos atingiu o índice mais elevado dos últimos 11 anos.

Refresco
O Leão é bravo e burocrático, mas pelo menos tem consciência disso e oferece curso para orientar o contribuinte sobre o correto preenchimento da DCTF (declaração em que a empresa informa o que deve à Receita e de que forma fez o pagamento dos débitos). O curso está disponível na página da Receita na Internet (www.receita.fazenda.gov.br/atendvirtual/default.htm).

Estilo Enéas
Looks can be deceiving (As aparências enganam), do estudante brasileiro Danilo Marcondes, foi um dos nove filmes de brasileiros premiados pelo Departamento de Informação Pública (DPI) das Nações Unidas no concurso Film Your Issue. O prêmio estimula jovens a debaterem questões sociais através de filmes com duração entre 30 e 60 segundos. As aparências enganam enfoca a questão da paz em áreas de conflito pelo mundo – Palestina, Haiti, Iraque – e mostra como a violência que ocorre nessas regiões é semelhante às cenas de ação policial na cidade do Rio de Janeiro.

Divórcio simplificado
Implantada este ano, a Lei 11.441, que permite a realização de divórcios e inventários em cartórios, é o tema do evento Direito de Família e Direito das Sucessões/2007, neste sábado, no Hotel Glória, no Rio. Responsável pelo apoio acadêmico do evento, o professor da Emerj Mário Roberto Carvalho de Faria, sócio do escritório Bastos-Tigre, Coelho da Rocha e Lopes Advogados, vai falar sobre Inventário e Partilha Extrajudiciais sob a Ótica das Sucessões.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTragédia
Próximo artigoSaúde quase 100%

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Mercados operam mistos no exterior

No Brasil haverá resposta ao Copom.

Elevação na Selic deve repercutir no mercado

EUA: divulgação de PIB do terceiro trimestre e balanços de grandes empresas são o foco das atenções no cenário internacional.

TSE forma maioria contra cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

PT, PCdoB e PROS pedem cassação da chapa por cometimento de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

IGP-M acumula inflação de 21,73% em 12 meses

Alta da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado.

Mirando agora na PEC dos Precatórios

Ultrapassada a decisão do Copom, investidores vão mirar na avaliação da PEC cheia de 'jabutis' que ainda não foram retirados.