Tucano deletado

Não se limita à faxina nos números da administração anterior as estocadas do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), no seu antecessor Geraldo Alckmin. No banco de imagens da página do Governo do Estado na Internet – www.saopaulo.sp.gov.br – foram eliminadas todas fotos dos governos anteriores. Imagens, agora, só de Serra.

Parcela
A instalação do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) de segurança no Estado do Rio será nesta segunda-feira, às 11h. A primeira reunião acontecerá no Palácio Guanabara, em Laranjeiras. O objetivo formal é o planejamento integrado de ações policiais, o compartilhamento de informações e a otimização de recursos. O objetivo político é jogar no colo do Governo Federal a maior parcela da culpa pela insegurança no Rio. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, confirmou presença.

Sentado
Na sexta-feira, dizia-se que a chegada dos homens da Força Nacional de Segurança ao Rio de Janeiro é esperada “para os próximos dias” – tal e qual na semana anterior.

Trabalho zero
Assaltos a bancos de quatros cidades do interior, enchentes e desastre ambiental causada por uma mineradora. Enquanto Minas Gerais pega fogo, o governador reeleito Aécio Neves (PSDB) dá duro… tira férias de dez dias nos Estados Unidos. Nada como ser reeleito para um estado de déficit zero.

VIP
Fosse outro governador ou até mesmo o presidente Lula em férias diante do festival de calamidades que se abateu sobre Minas, a imprensa da indignação seletiva, certamente, já teria soltado labaredas nos editoriais e na cobertura do fatos.

Outros poderosos
As despesas classificadas no Orçamento do Estado do Rio de Janeiro como “Outros serviços de terceiros – pessoa jurídica” saltaram de R$ 1,9 bilhão, em 2001, para R$ 3,9 bilhões, em 2005, segundo levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Pelos cálculos do TCE, a alta real foi de 61,6%, ou 6% ao ano. No mesmo período, a elevação média das demais despesas correntes foi de apenas 2,2%. Em 2005, os gastos como “Outros” representavam 13,8% das despesas correntes e correspondiam a 53% do que é despendido com pessoal, incluindo encargos sociais.

Fins
Outra despesa elevada no Orçamento do Rio é a transferência a instituições privadas sem fins lucrativos. Foram nada menos que R$ 536 milhões – valor executado, ou seja, o que foi realmente gasto. “Serviços de terceiros – pessoa física” levaram R$ 1,5 bilhão.

Descarrilado
Um marciano que entrasse no site do Metrô de São Paulo, sexta-feira à noite, para obter informações sobre a queda da estação de Pinheiros ficaria com a impressão de que o desastre não passara de ficção. Tanto na página principal, quanto na seção notícias, não havia qualquer menção à tragédia. Apesar da promessa pomposa da seção de que “atento à influência que tem sobre a população e o trânsito da cidade, o Metrô tem o compromisso de manter o usuário sempre bem informado”, as últimas notícias eram de …quarta-feira: “Metrô libera ruas para o trânsito após conclusão de túnel na Vila Sônia” e “Ação Cultural do Metrô promove mais de 15 exposições em janeiro”. Sobre o desastre, um silêncio não encontrável no interior dos trens da empresa nem nas viagens mais vazias dos fins de semana.

Povo
“Desenvolver o Brasil, fortalecer o seu povo” é o tema do seminário que o PDT realiza em sua sede nacional (Rua Sete de Setembro, 141 – Rio) nesta. Entre os debatedores convidados figuram Carlos Lessa, Antonio Barros de Castro, Luciano Coutinho, Mauricio Dias David, Cristovam Buarque e Luis Fernandes.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHecatombe dupla
Próximo artigoLuz no bolso

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...