34.6 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

Tucanos virgens

     
          Ferozes defensores de CPIs contra o Governo Lula – muitas delas corretamente defendidas, como a do Mensalão – o tucanato tem comportamento radicalmente oposto quando se trata de investigar seus próprios governos. Em São Paulo, por exemplo, desde a reeleição de  Geraldo Alckmin (PSDB) para o governo do estado, em 2003, a Assembléia Legislativa de São Paulo (Alesp) não viu uma única CPI funcionar. Nas gavetas da Alesp, dormitam 69 pedidos de CPIs para serem instaladas: 58 já reúnem as condições começarem a funcionar e nove estão em processo de verificação de assinaturas.

Micros sem recuperação
Segundo o desembargador Carlos Henrique Abrão, do Tribunal de Justiça de São Paulo, apenas 8% das micro e pequenas empresas conseguem evitar a falência, enquanto entre 90% e 92% delas vão à falência. As afirmações foram feitas pelo magistrado durante o evento “Recuperação de Empresas – Reinventando-se em momentos de crise”, realizado pela Federação do Comércio de São Paulo (Fecomercio-SP).
Ainda segundo o desembargador, a recuperação judicial tem sido a forma mais segura de evitar a falência das empresas. Este ano, cerca de 1.100 companhias já entraram com o pedido de recuperação judicial no Brasil, mas o processo não tem favorecido às micro e pequenas empresas.

Custo e juros jogam contra
Abrão acrescenta que, ao entrar com o pedido de recuperação – instrumento legal criado em 2005 com a nova Lei de Falências – a empresa tem 60 dias para apresentar aos credores um plano de recuperação. Esse projeto, porém, tem um custo significativo para as micro e pequenas empresas, pois pode alcançar até R$ 100 mil a elaboração e a execução do plano: “É preciso encorajar o pequeno empresário a usar a imaginação para conseguir a aprovação do plano”, diz Abrão, defendendo a redução dos juros para os empréstimos relativos à recuperação desse segmento, o aumento de prazo para pagamento das dívidas e a criação de fundos de riscos.

Ouro
Nesta quarta-feira, às 11h, o vice-presidente da República, José Alencar, receberá uma homenagem especial da Associação Comercial do Rio de Janeiro, que lhe outorgará o título de Sócio Emérito e a medalha 200 Anos de História da ACRJ – Grau ouro.

Trem
A tentativa de efetivar como titulares os cerca de 5 mil responsáveis por cartórios em todo o país sem concurso público – através da PEC 471/05 – fere a Constituição de 88, que diz que qualquer cargo público deve ser preenchido por meio de concurso. “Não é a primeira e nem será a última vez que tentam emplacar esses chamados trens da alegria, beneficiando uns em detrimento de outros”, afirma o vice-presidente da Anpac, Sylvio Motta.

Nova indústria
Um canil portátil, uma embalagem à prova de crianças, usinas de asfalto compactas e uma nova suspensão para bicicletas são alguns dos projetos finalistas do Prêmio CNI 2009, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os ganhadores serão conhecidos em 17 de novembro, em Brasília, na cerimônia de entrega dos troféus para micro, pequenas, médias e grandes empresas, de todos os setores industriais, que apresentaram projetos nas categorias de Desenvolvimento Sustentável, Design, Inovação e Produtividade.
O Rio Grande do Sul tem cinco finalistas nas três categorias do prêmio. Minas Gerais e Mato Grosso do Sul participam com dois finalistas cada. Outros estados que concorrem à premiação máxima são Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Paraná, Piauí, Pará, Ceará, São Paulo, Paraíba e Santa Catarina. A CNI destaca que uma micro ou pequena indústria como a El Shadai, que concorre com um projeto de massa ultracongelada de bolo, recebe o mesmo destaque que empresas tradicionais como a Marcopolo (que produz ônibus) ou a Coza (de utilidades plásticas).

Ventinho
Argumento sempre recorrente quando o tema é aquecimento global, a temporada de furacões teima em contradizer os alarmistas. Este ano, a fraca safra nos EUA foi um dos motivos apontados pela seguradora Chubb para justificar por que seu lucro dobrou no terceiro trimestre.
     
     

Artigo anteriorIndignação seletiva
Próximo artigoÚltima semana
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.