Turbulências

Para mostrar que as novas matrizes renováveis de produção de energia, como a eólica, são insuficientes para atender à demanda no Brasil, o diretor-geral de Itaipu, Jorge Samek, lembrou que o vento nem sempre sopra a favor da produção: “O vento é filiado à CUT, de vez em quando faz greve. Daí a importância das hidrelétricas na matriz brasileira”, defende com bom-humor Samek.

Mais seguras
Sobre o impacto ambiental que seria causado pelas novas hidrelétricas, o diretor-geral de Itaipu disse que Turucuí possui “usinas plataforma” que se deslocam. E acrescentou que o grau de utilização do território em relação à floresta é de um centésimo. Samek defendeu ainda a renovação das atuais concessões no setor elétrico: “Uma usina envolve muita coisa e, ao saber que passará adiante a concessão, o concessionário acaba não fazendo investimentos de médio e longo prazo, resultando no sucateamento, como ocorreu com a Light pré-privatização”, lembrou.

Além da ficção
Além de mostrar que, para os brasileiros, o que combate a pobreza é, principalmente, gerar emprego, o estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre a percepção da pobreza expõe outra dessintonia entre a população e representantes da elite. Diferentemente dos criadores da “nova classe média” (NCM), para os quais residências que, independentemente do número de pessoas que abrigam, se tiverem renda de R$ 1 mil se constituem como a NCM, para os brasileiros do mundo real é preciso ter renda familiar mensal de R$ 2.090 para não ser considerado pobre, considerando uma família com, no mínimo, quatro membros.

Além da ficção 2
Isso significa uma renda familiar per capita de R$ 523: “Quando se compara esse valor à atual linha de pobreza, observa-se que ele é aproximadamente 3,5 vezes maior que o utilizado na operacionalização do Programa Bolsa Família (R$ 140) e 7,5 vezes a linha da extrema pobreza (R$ 70)”, destacou o Ipea no texto em que analisa a pesquisa.
Já entre os mais ricos, a renda per capita mínima para não ser considerado pobre é de ser de R$ 725; e, entre os mais pobres, de R$ 385.

Natal borbulhante
O setor de vinhos, espumantes, sidras e fermentados de frutas prevê que cerca de 60% da produção de espumantes nacional sejam comercializados no último trimestre. De janeiro a outubro, as vendas de espumantes das vinícolas gaúchas superaram em 8% o movimento do mesmo período do ano passado. Se incluídos os vinhos finos e de mesa, o crescimento das vendas sobe a 9,5%, com produção total de 198,6 milhões de litros.

Lata vira livro
“Troque uma latinha por um livro.” A campanha, que a Associação Semente Vida (ASVI), localizada na Cidade Deus, realizará até março de 2012, tem como objetivo estimular a leitura infantil e conscientizar os jovens sobre os cuidados com o meio ambiente. Cada latinha que as crianças encontrarem jogada na rua será trocada por um livro. O Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio (Sescon-RJ) está arrecadando livros infantis e infanto-juvenis para ajudar a campanha. Os interessados em participar devem realizar as doações na sede do Sescon-RJ (Avenida Passos 120, no Centro do Rio de Janeiro), no horário comercial.

Lição do Barcelona
Não é apenas o jornalismo econômico que, com a crise, passou a defender, com naturalidade, propostas até então demonizadas por ele, como o aumento dos gastos públicos. Também impressiona os analistas da mídia tupiniquim a ligeireza com que a imprensa esportiva, que elevara Neymar ao patamar de gênio, tenha esquecido os exagerados e precoces elogios derramados sobre o jovem e, por enquanto, apenas bom atacante do Santos. Ao mesmo tempo, os defensores do futebol pragmático ainda não explicaram o que os levou a passarem a defender o bonito e eficiente jogo praticado pelo Barcelona.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVai piorar
Próximo artigoBye, bye terrinha!

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.

Ipea prevê crescimento de 1,8% para o PIB em 2022

Setores de agropecuária e industrial devem mostrar relativa estabilidade; ´para 2023, a estimativa é de variação positiva de 1,3%.

Receita paga hoje restituições do segundo lote do IR

Estão sendo depositados R$ 6,3 bi a 4,25 milhões de contribuintes; já o prazo de entrega da declaração anual do MEI termina nesta quinta.

Crise leva 65% dos brasileiros a comprarem marcas mais baratas

Inflação derruba poder de compra, mas é favorável a investimento; para Proteste, dificuldade em pagar contas também é consequência da crise.