É o sol, estúpido

A diminuição das neves do Kilimanjaro não pode ser debitada na larga conta corrente do aquecimento global, escreveram cientistas na edição de julho-agosto da revista American Scientist. O topo gelado da montanha mais alta da África, que deu o título ao conto de Hemingway, perde gelo há mais de 100 anos. A maior parte da redução aconteceu antes de 1953, no início do boom da industrialização mundial, acusada de, com suas “perigosas” emissões de carbono, provocar o aumento da temperatura na Terra. “É certamente possível que a calota tenha ido e vindo muitas vezes, ao longo de centenas de milhares de anos”, disse um dos autores do estudo, segundo a agência Reuters. De acordo com o trabalho, o desaparecimento do gelo do Kilimanjaro é determinado pela radiação solar.

Insegurança jurídica
O projeto que corre no Congresso sobre transporte de gás no Brasil resultará na expropriação de gasodutos da Transpetro, subsidiária da Petrobras, no valor estimado de US$ 10 bilhões. Isso significa quase 100 vezes mais do que a estatal brasileira teve de abrir mão na Bolívia. Espera-se que os colunistas incrustados nas páginas econômicas e políticas dos “jornalões”, que tanto criticaram os atos de Evo Morales, convoquem as tropas para impedir esse assalto ao patrimônio estatal, em defesa do “respeito aos contratos”.

Terra de cego
O ar de comemoração emprestado pelo Governo Lula ao fato de os bolsistas do ProUni terem tido média superior à dos demais estudantes da universidades privadas revela importante desvio das preocupações que deveriam nortear as diretrizes para a combalida educação do país. É indispensável lembrar que a nota mínima exigida para participantes do programa é de apenas 4,5. No entanto, quando estudantes dos quais se cobra performance tão pouco condizente com um ensino universitário de qualidade têm médias maiores do que os demais isso reafirma verdade sabida até pelas cantinas dos estabelecimentos privados: para ingressar em grande parte dessas instituiçõe$ não é preciso cumprir qualquer exigência além da indispensável capacidade de arcar com pagamento das mensalidades.

E agora, Haddad?
Além de pôr o Ministério da Educação na inarredável posição de tomar providências contra instituições cujos alunos têm média ainda mais baixa dos que os parcos 4,5 pontos exigidos dos interessados no ProUni, os resultados do Enade deveriam levar o presidente Lula e o MEC a se perguntarem se deveriam continuar gastando dinheiro público com bolsas de estudo em universidades de performance tão lamentável. Ou então, suspender a aplicação do Enade, assumindo sua inutilidade prática.

Vice
O Brasil já é o segundo país do mundo em número de faculdades de medicina, com 167 escolas, sendo superado somente pela Índia, que possui 202 – mas com uma população seis vezes maior que a nossa. A China é o terceiro do ranking, com 150 escolas, e os Estados Unidos estão em quarto lugar, com 125. Na década de 1970, havia apenas 62 escolas médicas em funcionamento no Brasil. O boom ocorreu a partir dos anos 90, com a proliferação de estabelecimentos de ensino, nem todos tendo a qualidade de ensino como mote. Se quantidade fosse remédio, a saúde dos brasileiros já teria saído da CTI há algumas décadas.

Colheita
Único estado brasileiro que resistiu ao avanço da soja transgênica, o Paraná é também o único apto a exportar soja para a Austrália. O Porto de Paranaguá foi o escolhido depois que uma missão do Departamento de Agricultura do Governo da Austrália veio ao Brasil, em dezembro passado, para atestar as condições fitossanitárias da soja, desde o plantio, colheita até o embarque pelo terminal público. Um embarque experimental foi realizado mês passado.

Recorde histórico
Julgados extintos após 15 anos de guerra civil, gigantesca manada de uma espécie de antílopes desloca-se pelas planícies do Sudão, ocupando 150 mil quilômetros quadrados.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.