Última reunião deste ano do Copom termina nesta quarta-feira

Mercado acredita na manutenção da taxa em 2% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) conclui nesta quarta-feira a segunda parte da reunião –que começou nesta terça-feira — para anunciar a nova taxa básica de juros, a Selic.Mesmo com a alta na inflação nos últimos meses, as instituições financeiras acreditam na manutenção da taxa em 2% ao ano, no menor nível da história. A projeção consta do boletim Focus , pesquisa com instituições financeiras divulgada toda segunda-feira pelo BC.

A Selic representa o principal instrumento do governo para controlar a inflação, garantindo que ela fique dentro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para este ano, a meta está em 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%. Para 2021, a meta é 3,75%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Até algumas semanas atrás, as instituições financeiras projetavam inflação menor que o esperado. A situação, no entanto, mudou com a recente alta no preço dos alimentos. Os analistas consultados no boletim Focus agora projetam que a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) terminará o ano em 4,21%. Para 2021, a estimativa está em 3,34%.

O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia.

Opinião

“Com a inflação próxima ao centro da meta, o mercado financeiro espera uma ação mais efetiva do Copom em relação a um possível aumento da taxa básica de juros. Mas, acreditamos que não haverá esse posicionamento. A taxa deve fechar o ano em torno de 2%”, acredita Juan Espinhel, consultor de investimentos da IVEST Consultoria.

 

O consultor pontua que a dívida interna do país em outubro chegou a 61,2% equivalente ao valor do PIB (produto interno bruto), considerado um cenário preocupante pelos especialistas em investimentos. Neste contexto, a maior preocupação é o avanço da inflação. O IGPM (Índice Geral de Preços do Mercado) chegou a 3,28% em novembro com alta de 21,97% em 2020 sustentado também pela subida dos preços dos alimentos, dólar e outros itens básicos da economia.

 

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) subiu 0,81% no último mês com alta de 4,22% no acumulado do ano.

 

Em relação às finanças do governo federal, Espinhel destaca que existe um alerta no mercado sobre como serão conduzidos os pacotes de auxílio para o próximo ano e qual será o impacto nas contas públicas. O risco fiscal existe! No Ibovespa, o último mês foi muito positivo, com bastante entrada dos investidores estrangeiros que movimentaram as negociações, com fluxo de R$ 33 bilhões (somente estrangeiro na B3). As altas no índice tiveram como destaque os setores imobiliário e financeiro com 16% e 17%, respectivamente, em novembro.

 

O índice Ibovespa cresceu 15,90% superando as quedas dos últimos meses, mas ainda acumulando uma queda de 5,84% no ano. “Acreditamos que o crescimento do fluxo de investidor estrangeiro, motivado pela diminuição do risco geral dos mercados internacionais, impulsionou a alta da bolsa brasileira em novembro”, destaca Espinhel.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

B3 divulga a 1ª prévia do Ibovespa B3 e demais índices

A prévia registra a entrada de Porto Seguro ON (PSSA3) e Positivo Tec ON (POSI3).

CVM alerta sobre atuação irregular no mercado

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fez um alerta nesta terça-feira ao mercado de capitais e ao público em geral sobre a atuação irregular da...

Votação da PEC dos Precatórios não foi simples

Após a trégua de segunda-feira (29), a última sessão de novembro foi de renovação de temores. Primeiro com a possível resistência da nova variante...

Últimas Notícias

Embaixador: A China é muito importante para Chile

“Queremos mostrar ao mundo, principalmente à China, que mesmo Chile sendo um país pequeno na costeira da América do Sul e na borda do mundo, está bem perto da China”, disse em uma entrevista Luis Schmidt Montes, Embaixador Chileno na China.

Caixa e BB são destaques em governança mas Guedes quer privatizar

Estatais converteram prejuízo de R$ 35 bi em 2015 para superávit de R$ 135 mi em 2021.

O leilão beneficente da Jaguar Parade

Fundos se destinam à conservação de onças-pintadas em seus habitats.

Venda de imóveis novos em SP mantém estabilidade em outubro

Em valores monetários, houve queda do Valor Global de Vendas em relação a outubro de 2020.

Nova energia, fabricação de equipamentos de tecnologia e PMEs em 2022

O mercado de ações A-Share da China parece positivo para o próximo ano. Novas energias, fabricação de equipamentos de alta tecnologia e pequenas e médias empresas (PMEs) são áreas com grande potencial de investimento, de acordo com uma pesquisa recente realizada com 109 especialistas de indústrias na gestão de ativos.