Um presidente eleito com déficit de votos

A imprensa norte-americana (com o atrelado apoio da mídia corporativa do Brasil, Argentina e outros satélites) dá suporte...

A imprensa norte-americana (com o atrelado apoio da mídia corporativa do Brasil, Argentina e outros satélites) dá suporte à intervenção que os Estados Unidos pretendem fazer, direta ou indiretamente, na Venezuela. Um dos argumentos para condenar a eleição é a baixa representatividade do vencedor, Nicolás Maduro, já que a abstenção alcançou 54%. Maduro teve 68% do total de votos válidos, o que equivale dizer que ele foi escolhido por cerca de 32% do total de eleitores aptos a votar. A votação não é obrigatória.

Trump se saiu melhor quando eleito em 2016? Não. Ele recebeu 46% dos votos válidos, em um pleito que teve abstenção de 40%. Fazendo os cálculos, teve 27% de apoio do eleitorado. E mais: a apuração mostra que Hillary Clinton perdeu a Presidência mesmo recebendo 2,86 milhões de votos a mais que Trump. Nos EUA, além de o voto não ser obrigatório, a eleição é indireta.

Se o problema não é a representatividade, seria então a existência de denúncias de fraudes e perseguições à oposição. Mas no Paraguai houve ambos, o que não impediu que a vitória de Mario Abdo Benítez fosse reconhecida pelos Estados Unidos, Brasil e demais que agora se recusam a aceitar a vitória de Maduro. Desde o golpe que destituiu Fernando Lugo, os oposicionistas paraguaios são perseguidos, e a máquina trabalha a todo vapor – com um combustível que todos podem imaginar qual – para manter a elite no poder. Mesmo assim, a distância para o adversário Efrain Alegre, da coligação Aliança Ganhar, foi de apenas 3,6 pontos percentuais, pouco mais de 95 mil votos. No Paraguai, o voto é obrigatório, mas a abstenção foi de 39%.

Em resumo, o problema não é a eleição na Venezuela. O problema é que o eleito não agrada. A oposição lá mostra déficit de apoio popular e elevada disputa pelos recursos distribuídos por órgãos norte-americanos. Até informes de funcionários do governo norte-americano ironizam os opositores. Assim, os EUA seguem seus planos de derrubar Maduro, do jeito que for possível. De preferência, antes da eleição no Brasil.

 

Ataque aos direitos

O amplo direito de defesa, assegurado pela Constituição Federal, e as prerrogativas da advocacia estão sendo constrangidos por ações de combate à corrupção. A acusação foi feita pela presidente nacional do Instituto dos Advogados do Brasil (IAB), Rita Cortez, nesta terça-feira, em Brasília, na sessão ordinária do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Rita cobrou da OAB uma ação conjunta para agir contra esse ataque aos direitos. Afirmou, ainda, que “IAB e OAB precisam se unir em defesa do estado democrático de direito, ajudando na construção de uma agenda positiva para o país, que vive um momento muito difícil da sua história, lutando contra o desrespeito às garantias individuais e a criminalização da advocacia”.

 

Manual de sobrevivência

Seu emprego existirá no ano que vem? Sua profissão sobreviverá à disrupção? São as perguntas que os executivos experientes fazem e optam por migrar para a consultoria, segundo Luiz Affonso Romano, presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO), que ministrará, em 8 e 9 de junho, na Barra da Tijuca, mais uma turma do Curso de Desenvolvimento de Consultores.

 

Segurança e turismo

A Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ, presidida por Claudio Castro, realiza nesta quarta-feira, no Sofitel Ipanema, café da manhã para o Corpo Consular. O evento, coordenado pelo professor Bayard Boiteux, vice-presidente-executivo da Associação, abordará a “Segurança e o Turismo no Rio de Janeiro”.

Entre os convidados confirmados estão a comandante do BPTur, tenente coronel Luciana Oliveira, o coordenador do projeto Lagoa Presente, major Douglas Andrade, e o chefe de operações da Deat, Andre Schelegel. Claudia Mota, primeira bailarina do Teatro Municipal, receberá o título de Embaixadora do Rio.

 

Rápidas

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas (Abimaq) vai realizar o curso “Noções básicas de compliance” em sua sede no Rio de Janeiro, 6 e 7 de junho. Telefone: (21) 2262-5566 *** O Grupo Show de Bola apresenta roda de samba nesta sexta-feira, no Caxias Shopping (RJ) *** A FGV Eaesp fará, na sede em São Paulo, 6 de junho, às 8h, um debate sobre os principais desafios e perspectivas para o Brasil. Participam, entre outros, LI Ylnsheng, CEO da China Three Gorges, e Francisco Fortes, vice-presidente de RH, TI e Industrial da Gerdau.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Indústria naval apresenta propostas para eleições 2022

Setor quer deixar para trás maré ruim dos últimos 7 anos

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico