Uma semana a mais

O presidente Lula, em solenidade nesta quinta-feira com autores e editores de livros, defendeu a redução do preço do livro no país, para que o brasileiro possa ler mais. Talvez falasse por experiência própria. Pela manhã, num programa de televisão, Lula falara: “Olha, tenho uma notícia que pode abalar o mundo. Sabe aquele, os 17 dias que abalaram o mundo?…” Jonh Reed, autor do clássico Dez dias que abalaram o mundo, não pára de se mexer no túmulo.

Transparência
Numa campanha em que a oposição favorita da mídia se agarra à descoberta da autoria de um dossiê – sem mostrar o mesmo entusiasmo por seu conteúdo – para sonhar com a ida ao segundo turno, os acontecimentos que se desenrolam na Hungria deveriam ser mais bem observados por aqui. Lá, o primeiro-ministro Ferenc Gyurcsány enfrenta esta sexta-feira enfrentando o quinto dia de manifestações cada vez mais massivas contra seu governo. O estopim da revolta popular foi a divulgação de declaração de Gyurcsány, num encontro entre quatro paredes com correligionários, de que mentiu “de manhã, tarde e noite” para ganhar as eleições.
A existência de políticos que mentem para conquistar o poder, no entanto, não é o único ponto em comum entre os dois países. A razão das mentiras em tempo real e integral de Gyurcsány se devem à impossibilidade de, no Brasil, na Hungria ou na Conchinchina, se eleger prometendo ajuste fiscal. A regra é acenar com desenvolvimento e políticas sociais e, no governo, priorizar os rentistas e especuladores, fãs solitários das medidas de aperto fiscal, mas, eleitoralmente, insignificantes. A diferença lá foi a publicização do que, na Hungria e no Brasil, políticos só revelam em particular. Ah, que falta faz uma boa parabólica. Ou num mundo globalizado, um bom gravador digital.

Mágica
Estudo do Banco Mundial (Bird) que compara o clima para investimento no Brasil, Índia e África do Sul evidencia que a carga tributária em nosso país é pior do que nos outros dois. “Está explicado, em boa parte, o porquê de o PIB hindu ter crescido 11 vezes mais do que o nosso no segundo trimestre deste ano, ou seja, 5,5% ante pífio 0,5%. O mais insólito, que estudo algum é capaz de explicar, é como o parque empresarial brasileiro consegue manter-se competitivo no comércio internacional”, comentou o diretor da Fiesp e presidente da Dimep, Dimas de Mello Pimenta II.

Veias abertas
Com 980 verbetes, 1.400 páginas, 1.040 fotos em cores, 95 mapas e 136 tabelas exclusivos, 21 gráficos e fichas com dados gerais sobre cada país da região, a Latinoamericana Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe (Boitempo e Laboratório de Políticas Públicas, LPP-Uerj) chega às livrarias com o objetivo “de resgatar o continente, depois que políticas e concepções neoliberais rebaixaram nossos países a meros campos de investimento e de especulação”.

Escrete
Escrita por cerca 120 autores de 20 países, a obra se concentra nos últimos 50 anos da história do continente. Entre os responsáveis por ensaios e verbetes, estão alguns dos mais expressivos intelectuais latino-americanos, como Álvaro García Linera, Anibal Quijano, Atilio Boron, Chico de Oliveira, Emir Sader, Marcio Pochmann, Néstor García Canclini, Ricardo Antunes, Theotonio dos Santos. O trabalho foi coordenado por Emir Sader, Ivana Jinkings, Carlos Eduardo Martins e Rodrigo Nobile.

Construindo o saber
O setor de construção do Rio de Janeiro inaugura terça-feira, às 17h30, um espaço cultural aberto ao trabalhador do setor e seus familiares. O Espaço Cultural Clara Steinberg, localizado na sede do Seconci-Rio (R. Pará, 141 – Praça da Bandeira), será destinado à leitura, apresentação e debates de filmes, vídeos e peças teatrais e terá, como âncora, uma biblioteca central, além das bibliotecas itinerantes nos canteiros de obras.

Dia do Turismo
Em comemoração ao Dia Mundial do Turismo, será lançado o livro Lições de Turismo  5 (UniverCidade Editora), coordenado pelos professores Bayard Boiteux e Mauricio Werner. Será no próximo dia 27, às 19h30, na Casa de Cultura Julieta de Serpa.(Praia do Flamengo,340, Flamengo, RJ). O livro apresenta artigos de Otavio Leite, George Irmes, Carlos Cappelini, Cristiane Esteves, Maria do Rosário Campos, entre outros, e é prefaciado pela turismóloga Roberta Guimaraes.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorChocolate
Próximo artigoEsquerdistas

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.