Uma semana a mais

O presidente Lula, em solenidade nesta quinta-feira com autores e editores de livros, defendeu a redução do preço do livro no país, para que o brasileiro possa ler mais. Talvez falasse por experiência própria. Pela manhã, num programa de televisão, Lula falara: “Olha, tenho uma notícia que pode abalar o mundo. Sabe aquele, os 17 dias que abalaram o mundo?…” Jonh Reed, autor do clássico Dez dias que abalaram o mundo, não pára de se mexer no túmulo.

Transparência
Numa campanha em que a oposição favorita da mídia se agarra à descoberta da autoria de um dossiê – sem mostrar o mesmo entusiasmo por seu conteúdo – para sonhar com a ida ao segundo turno, os acontecimentos que se desenrolam na Hungria deveriam ser mais bem observados por aqui. Lá, o primeiro-ministro Ferenc Gyurcsány enfrenta esta sexta-feira enfrentando o quinto dia de manifestações cada vez mais massivas contra seu governo. O estopim da revolta popular foi a divulgação de declaração de Gyurcsány, num encontro entre quatro paredes com correligionários, de que mentiu “de manhã, tarde e noite” para ganhar as eleições.
A existência de políticos que mentem para conquistar o poder, no entanto, não é o único ponto em comum entre os dois países. A razão das mentiras em tempo real e integral de Gyurcsány se devem à impossibilidade de, no Brasil, na Hungria ou na Conchinchina, se eleger prometendo ajuste fiscal. A regra é acenar com desenvolvimento e políticas sociais e, no governo, priorizar os rentistas e especuladores, fãs solitários das medidas de aperto fiscal, mas, eleitoralmente, insignificantes. A diferença lá foi a publicização do que, na Hungria e no Brasil, políticos só revelam em particular. Ah, que falta faz uma boa parabólica. Ou num mundo globalizado, um bom gravador digital.

Mágica
Estudo do Banco Mundial (Bird) que compara o clima para investimento no Brasil, Índia e África do Sul evidencia que a carga tributária em nosso país é pior do que nos outros dois. “Está explicado, em boa parte, o porquê de o PIB hindu ter crescido 11 vezes mais do que o nosso no segundo trimestre deste ano, ou seja, 5,5% ante pífio 0,5%. O mais insólito, que estudo algum é capaz de explicar, é como o parque empresarial brasileiro consegue manter-se competitivo no comércio internacional”, comentou o diretor da Fiesp e presidente da Dimep, Dimas de Mello Pimenta II.

Veias abertas
Com 980 verbetes, 1.400 páginas, 1.040 fotos em cores, 95 mapas e 136 tabelas exclusivos, 21 gráficos e fichas com dados gerais sobre cada país da região, a Latinoamericana Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe (Boitempo e Laboratório de Políticas Públicas, LPP-Uerj) chega às livrarias com o objetivo “de resgatar o continente, depois que políticas e concepções neoliberais rebaixaram nossos países a meros campos de investimento e de especulação”.

Escrete
Escrita por cerca 120 autores de 20 países, a obra se concentra nos últimos 50 anos da história do continente. Entre os responsáveis por ensaios e verbetes, estão alguns dos mais expressivos intelectuais latino-americanos, como Álvaro García Linera, Anibal Quijano, Atilio Boron, Chico de Oliveira, Emir Sader, Marcio Pochmann, Néstor García Canclini, Ricardo Antunes, Theotonio dos Santos. O trabalho foi coordenado por Emir Sader, Ivana Jinkings, Carlos Eduardo Martins e Rodrigo Nobile.

Construindo o saber
O setor de construção do Rio de Janeiro inaugura terça-feira, às 17h30, um espaço cultural aberto ao trabalhador do setor e seus familiares. O Espaço Cultural Clara Steinberg, localizado na sede do Seconci-Rio (R. Pará, 141 – Praça da Bandeira), será destinado à leitura, apresentação e debates de filmes, vídeos e peças teatrais e terá, como âncora, uma biblioteca central, além das bibliotecas itinerantes nos canteiros de obras.

Dia do Turismo
Em comemoração ao Dia Mundial do Turismo, será lançado o livro Lições de Turismo  5 (UniverCidade Editora), coordenado pelos professores Bayard Boiteux e Mauricio Werner. Será no próximo dia 27, às 19h30, na Casa de Cultura Julieta de Serpa.(Praia do Flamengo,340, Flamengo, RJ). O livro apresenta artigos de Otavio Leite, George Irmes, Carlos Cappelini, Cristiane Esteves, Maria do Rosário Campos, entre outros, e é prefaciado pela turismóloga Roberta Guimaraes.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorChocolate
Próximo artigoEsquerdistas

Artigos Relacionados

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...