Unanimidade em torno dos impostos; só que não

Reforma tributária no olho dos outros é refresco.

Uma nota do Sindicato da Construção (Sinduscon-SP), intitulada “Reflexão necessária”, ilustra bem a dificuldade em se alcançar uma reforma tributária. É o tipo do tema em que há unanimidade: todos querem pagar menos…

O Sindicato recomenda “muita atenção”. “Uma vez que mais da metade dos investimentos no Brasil passam pela construção, estas quedas impactam diretamente o resultado já pífio do PIB nacional. Portanto, elevar a carga tributária da construção travará o setor ainda mais e tolherá o crescimento da economia como um todo”, alega a entidade.

Especificamente, a crítica é sobre a tributação sobre os lucros. O Sinduscon-SP alerta para o risco de dupla tributação, que inviabilizaria negócios. “Fundos estrangeiros ansiosos por investir no setor desistiriam de seus projetos”, sustenta o Sindicato. (Por onde andarão estes investidores?)

A entidade critica ainda a possibilidade de se acabar com os regimes especiais (RETs). “O aumento da tributação derivado desta medida acabaria sendo repassado aos preços dos imóveis, restringindo o universo de compradores e gerando sucessivas quedas do PIB da construção.”

Bem, com todos esses sistemas valendo, a produção da construção civil caiu pelo 20º trimestre consecutivo. Não parece que as benesses tributárias tenham efeito decisivo. O certo é que ninguém quer abrir mão de seu quinhão. Imposto no olho dos outros é refresco.

 

Sofisma petroleiro

A política de preços dos combustíveis adotada pela Petrobras será debatida na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado nesta quarta-feira. A audiência pública foi requerida pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF).

Para explicar o pedido, Izalci caiu em um sofisma. Ele disse que, para atrair investimentos e criar competição no refino e logística, é necessário que a Petrobras pratique os preços de seus produtos considerando a paridade internacional.

E o que vão querer as empresas sedentas por investir aqui? Receber pelos produtos de acordo com a cotação internacional. Ou alguém espera que, após criar uma competição artificial, a Petrobras subsidie os concorrentes? Eleva-se os preços para se criar competição que vai manter os preços elevados…

Para a audiência pública foram convidados Felipe Coutinho, presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet); José da Fonseca Lopes, presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam); e José Maria Rangel, coordenador Geral da Frente Única dos Petroleiros (FUP). Também devem participar do debate representantes da Petrobras e da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A audiência pública está marcada para as 9h.

 

É campeã

Há muitas críticas – e boa parte justas – à política de “campeãs nacionais” ensaiada pelo BNDES na gestão de Luciano Coutinho. Mas não se pode esquivar do fato de que dois desses conglomerados brasileiros “vencedores” dominam, hoje, o mercado mundial de carnes: a JBS e a BRF, líderes na produção global de proteína animal.

 

Queda

O preço do cobre no mercado internacional caiu 9,9% nos primeiros cinco meses de 2019 quando comparado a igual período do ano passado. Má notícia para o Chile, já que o metal responde por cerca de 50% das exportações do país.

 

Apagão

Em audiência no Senado, o senador Espiridião Amim denunciou uma incorporação danosa à Eletrosul. O senador Omar Aziz criticou que a distribuidora privatizada no Amazonas por R$ 50 mil vai ao Basa pegar dinheiro subsidiado. Ambos são do Centrão. A oposição ficou ouvindo.

 

Rápidas

O Almoço do Empresário da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) recebe em 2 de agosto o procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Rio, Eduardo Gussem *** Até agosto, o Shopping Grande Rio promove uma feira de livros a preços populares – a partir de R$ 3 – de diferentes gêneros *** Uma adaptação irreverente da história de Branca de Neve é a atração do Passeio Shopping dia 29, a partir das 14h *** Nesta quarta, será lançado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) o livro Ditadura Inconstitucional – série Teorias do Estado (Editora CRV), de autoria de Vinício Carrilho Martinez, docente do Departamento de Educação (DEd) da Universidade. O livro retrata o cenário e as artimanhas políticas e jurídicas do impeachment presidencial de Dilma.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Últimas Notícias

Ceciliano lidera mais uma frente em defesa do Rio

Governo Federal quer desviar térmicas para o Nordeste.

EUA: 3 em 4 mortes por Covid foram acima de 65 anos

Segundo relatório, óbitos pela doença no país equivalem a ataque de 11 de setembro todos os dias durante 336 dias.

China emite US$250,66 bilhões em títulos dos governos locais até abril

Os governos locais da China emitiram mais de 1,69 trilhão de yuans (cerca de US$ 250,66 bilhões) em títulos nos primeiros quatro meses deste ano, mostraram os dados do Ministério das Finanças nesta quarta-feira.

Produção da indústria satélite da China atinge US$ 69 bilhões

O valor total de produção da indústria chinesa de navegação e serviços de localização por satélite atingiu 469 bilhões de yuans (US$ 69,6 bilhões) em 2021, um aumento anual de 16,3%, de acordo com um livro branco da indústria divulgado na quarta-feira.

Flexibilidade aumenta conexão com a cultura da empresa

Política de benefícios adaptada aos modelos remotos permite que profissionais se sintam vistos, mesmo que fisicamente não sejam