União perderá até R$ 1,6 trilhão com leilão do pré-sal

Compradores não precisarão investir para achar petróleo, descoberto pela Petrobras.

O leilão de campos do pré-sal da chamada Cessão Onerosa, programado para esta quarta-feira, provocará uma perda de US$ 300 bilhões à União, calculam os ex-diretores da Petrobras Guilherme Estrella e Ildo Sauer.
Em Nota Técnica escrita para o Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, os dois especialistas – Estrella comandou a área de Exploração e Produção no período que culminou com a descoberta do pré-sal – estimam que em uma hipótese mais favorável a quem levar a concessão, e mais danosa à União, as perdas podem ultrapassar os US$ 400 bilhões, mais de R$ 1,6 trilhão em 30 anos.
Os R$ 106 bilhões que o governo espera arrecadar com o megaleilão do pré-sal mal dão para cobrir 25% do pagamento de juros da dívida este ano, ou o déficit nas contas da União provocado pelo baixo crescimento da economia. A única empresa nacional com porte para participar do leilão é a Petrobras.
“Para o cenário mais provável, de volume máximo dos campos (15,2 bilhões de barris) e preço do petróleo de US$ 60 por barril, a perda da União seria da ordem de US$ 300 bilhões ao longo dos 30 anos da operação dos campos, sendo que a maior parte destes recursos são gerados nos anos iniciais do desenvolvimento da produção”, calculam Sauer e Estrella.
A alternativa, melhor financeiramente e economicamente para o país, seria a contratação direta da Petrobras, como permite a lei.
“Nenhum dos países detentores de grandes reservas, com potencial impacto na geopolítica do petróleo, quando os recursos naturais pertencem ao Estado, como no Brasil, promovem leilões deste tipo; ou exploram os recursos mediante empresa 100% estatal, ou outorgam contratos de prestação de serviços, quando necessário, como os propostos aqui em contraposição ao leilão”, explicam no estudo.
A Federação Única dos Petroleiros (FUP) e o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas acrescentam que, diferentemente de outros leilões, essas áreas são ainda mais vantajosas porque as petroleiras não precisarão investir para achar o petróleo, que já foi descoberto pela Petrobras.
“As multinacionais vão receber de graça todo o investimento feito por nós. É só extrair o petróleo. Essa é a grande diferença dos demais leilões do pré-sal. Quem comprar sabe que ali tem petróleo”, denuncia José Maria Rangel, coordenador- geral da FUP.

https://monitordigital.com.br/fup-tenta-impedir-megaleilao-do-pre-sal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Governo complica quem precisa de dinheiro

“Meu governo não tem aumento de imposto. Reforma sim, sem aumento de imposto”. A afirmação foi feita há menos de 3 meses pelo presidente,...

Renda dos autônomos é apenas 76% da habitual

Houve queda de 6,6% no segundo trimestre.

Para Febraban, aumento do IOF dificulta recuperação da economia

Publicado no DOU aumento do IOF; novas alíquotas serão aplicadas de 20 de setembro a 31 de dezembro.

Últimas Notícias

Hospital Icaraí prepara expansão com mais de 130 leitos de internação

Objetivo das reformas é melhorar ainda mais a agilidade de exames e o atendimento dos pacientes.

Ansiedade: distúrbio tão pandêmico quanto o coronavírus

Remédios produzidos à base de cannabis têm se mostrado uma alternativa viável e mais eficiente.

Investimento direto da China no exterior cai 4,3% em oito meses

O investimento direto no exterior (ODI, na sigla em inglês) não financeiro da China atingiu 459,71 bilhões de iuanes nos primeiros oito meses do...

CVM quer dispensar registro para investidor não residente

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública esta semana uma proposta de alteração da Resolução CVM 13, que reúne as regras...

Ratings de empresas de saneamento não sofrerão impactos imediatos

A crise hídrica no Brasil terá reflexos em diversos segmentos da sociedade. Mas os ratings das empresas brasileiras de saneamento básico avaliadas pela agência de classificação...