Univitelinos

Para petistas, digamos, mais desligados, que insistem em não acreditar que o PT de hoje é o tucanato dos últimos oitos anos, o secretário geral do PT, deputado federal Jorge Bittar (PT-RJ), desfaz qualquer ilusão: “O PSDB e o PT têm um encontro marcado com a história e, não demora, o ambiente político será propício para isso ocorrer.” Para quem olha para o ministro Antônio Palocci, na Fazenda, Henrique Meirelles, no Banco Central, e a agenda do Planalto, não há menor dúvida: o casamento já ocorreu, faltando apenas avisar ao eleitorado.

Lucro seguro
O período de taxas de juros elevadas foi favorável às seguradoras. Estatística da Susep aponta que, de janeiro a julho, o resultado financeiro acumulado pelas empresas do setor (R$ 400,7 milhões) foi mais de duas vezes superior ao do mesmo período de 2002 – mais precisamente, 112,8% maior. As empresas comemoram ainda a queda do percentual que mede o peso dos custos comerciais e administrativos sobre a receita de prêmios ganhos.
O percentual das reservas técnicas do mercado segurador aplicado em renda fixa alcançou a marca de 62,5%. Os títulos públicos vêm em seguida, com uma fatia de 32,6%. As ações somam apenas 3,7% do montante e os aportes em imóveis, 1,2%. Dados da Susep apontam que as reservas acumuladas do mercado somam R$ 32,5 bilhões. Os números mostram que o setor de seguros pode ajudar a alavancar o desenvolvimento se sair da ciranda sem riscos do mercado financeiro.

Nem Fridman explica
Desde a posse de George Bush, em 2001, os Estados Unidos saltaram de um superávit fiscal de 2,3% do PIB para um déficit de 3,2% do PIB. Apesar do aumento dos gastos, puxada pela redução de impostos para a turma do andar muito lá de cima e da gastança na área militar, a inflação norte-americana continua perto de 2%. Mesmo assim, os órfãos do monetarismo tupiniquim seguem repetindo que o déficit público é a principal causa da inflação.

Carne boa
A retomada das exportações de carne bovina para a Argélia deve garantir um reforço de US$ 100 milhões por ano à balança comercial brasileira. A reabertura do mercado argelino foi acertada esta semana em reunião de missão encabeçada pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Márcio Fortes de Almeida, àquele país. A interdição à carne nacional se devia à exigência da apresentação de certificado sanitário comprovando que o rebanho nacional está livre de doenças. O governo argelino, que aguardava apenas o documento para emitir um parecer, aceitou revogar a proibição. Segundo Almeida, as exportações de carne bovina brasileira para Argélia devem chegar a 100 mil toneladas/ano.

Arcos da Lapa
Movimento cultural surgido há alguns anos de forma espontânea e com data marcada às sexta-feira e aos sábados, a noite nos Arcos da Lapa passa por uma reconfiguração  há três semanas causada pela presença ostensiva da Guarda Municipal. Artistas de diferentes expressões culturais – de músicos e cantores a mímicos e artesãos – apresentavam-se nas ruas do Centro do Rio. Os ambulantes também apareceram, como acontece nessas ocasiões. A programação em bares e casas noturnas foi incrementada. Nas casas comerciais formalmente estabelecidas a freqüência tornou-se cada vez mais crescente. Comerciantes reclamavam de ambulantes, alegando perda de receita, mas havia convivência. A Prefeitura usou a reclamação para mobilizar a Guarda Municipal para impedir a presença dos ambulantes. O resultado, porém, tem sido um  esvaziamento da noite da Lapa, com o qual todos perdem, inclusive o comércio formal.

Arcos da Lapa 2
Para muitos freqüentadores, a atitude da Prefeitura visa a alcance maior. O pretexto para combater a camelotagem, na verdade, estaria ligado à reinauguração, em breve, do Circo Voador – interditado em sua versão anterior pelo próprio prefeito Cesar Mais. O esfriamento do antigo point reduziria a programação local à obra do prefeito. A reinauguração do Circo também teria ramificações eleitorais.

Juventude
A ministra da Assistência Social, Benedita da Silva, lança nesta segunda-feira o Fórum Regional Sudeste para Elaboração de Políticas Públicas de Juventude. O fórum pretende mapear e organizar a produção dos programas e projetos sociais voltados para a juventude na região. Será na Associação Comercial do Rio de Janeiro (Rua da Candelária 9/14° andar). A programação começa às 9h; a palestra da ministra será às 12h.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorChá de cadeira
Próximo artigoLição

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...