Às traças

O Brasil gasta anualmente cerca de US$ 1 bilhão com a importação de adubos, fertilizantes e defensivos agrícolas. O rombo desse item na balança comercial poderia ser ainda maior não fosse a Embrapa. As pesquisas da empresa permitiram ao país economizar US$ 1,2 bilhão na compra de fertilizantes nitrogenados e evitaram perdas anuais na colheita desses grãos da ordem de U$ 400 milhões. Nem restringindo seu olhar sobre a Embrapa ao viés macroeconômico, a equipe econômica se move para investir na valorização de seus técnicos altamente qualificados, submetidos a cerca 30 meses sem reajuste salarial. Dos 8.500 funcionários, 2.063 são pesquisadores, dos quais 52% com mestrado e 43% com doutorado. São esses e outros absurdos que permitem ao tucanato cumprir as metas de ajuste fiscal além dos limites impostos ao país pelo FMI.

A Amazônia é nossa
Não se sabe se é efeito da mudança dos ventos ou algum interesse ainda não revelado. Mas o fato é que a Rede Globo de Televisão dedicou vários minutos do Fantástico de domingo passado à questão da soberania sobre a Amazônia. Com direito a imagens e palavras de militares defendendo a região brasileira e a frases de líderes (e ex) internacionais, como Margareth Tatcher, Al Gore e François Mitterrand, questionando a soberania brasileira. O tom da matéria foi favorável ao Brasil e à posição dos militares nacionais.

Escaldado
FH preferiu não comparecer à cerimônia de posse do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Nelson Jobim. Depois de ter ouvido pesadas críticas a seu governo durante a posse de Marco Aurélio de Mello na presidência do Supremo, FH preferiu enviar o ministro da Justiça, José Gregori, como representante.

Aquarela carioca
Até o próximo dia 15, o carioca tem oportunidade de ver a exposição “Retratos Cariocas – Rio em Aquarelas”, de Elizabeth de Mattos Dias, na galeria de arte do Tijuca Tênis Clube (Rua Conde de Bonfim 451/ 2º andar), de segunda a sexta-feira, das 16h às 20h. As pinturas estão à venda no local.

Bons modos
O pedido de intervenção no Estado do Rio de Janeiro feito pelo Judiciário à União – suspenso ontem – complica a oratória pró-ordem do governador Anthony Garotinho. Preocupado em parecer palatável ao establishment, Garotinho tem aproveitado todas as oportunidades para se demarcar do governador de Minas Gerais, Itamar Franco, a quem acusou, por exemplo, de ir contra lei por sua posição contrário às medidas de racionamento de energia impostas ao país pelo governo FH.

Colonialismo
A estarrecedora declaração do secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Amaury Bier, de que o governo depende da licença do FMI para liberar investimentos em energia elétrica, proferida justamente no momento em que o país é submetido ao vexame do racionamento, é a mais perfeita e acabada síntese do significado da globalização.

Garantias
O Clube Militar está mobilizando seus associados para enviarem faxes ao procurador da República do Distrito Federal apoiando a decisão do Ministério Público, que exige a garantia de salvaguardas tecnológica para permitir que os Estados Unidos utilizem a base de lançamento de Alcântara, no Maranhão. No texto assinado pelo seu presidente, general Hélio Ibiapina Lima, a instituição afirma estar convencida de que “tal acordo é profundamente lesivo à segurança nacional e ao nosso território”.

Limite
FH pode testar sua popularidade no domingo, quando parte do Centro da cidade de São Paulo sofreu com falta de energia elétrica em duas ocasiões: à tarde e à noite. Moradores revoltados foram às janelas protestar aos gritos contra o apagão e responsabilizar FH pelo que está ocorrendo no país. O presidente deve ter ouvido o protesto, já que uma das ruas afetadas foi a Maranhão, onde fica o apartamento dele em São Paulo – FH estava na cidade, para onde viajara na sexta-feira. No apagão noturno, porém, os ouvidos do presidente foram poupados: ele já voltara para Brasília.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarga pesada
Próximo artigoEra das trevas

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás