Vacinação é mais uma vítima dos ortodoxos

A crise de financiamento e a piora dos serviços do SUS têm hoje papel determinante na limitação do acesso à...

A crise de financiamento e a piora dos serviços do SUS têm hoje papel determinante na limitação do acesso à vacinação, denuncia a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). A entidade cita a falta de profissionais, a alta rotatividade, a estagnação das equipes de Estratégia de Saúde da Família e o desabastecimento de vacinas na rede pública.

A Abrasco pondera que a situação é complexa e outros fatores, relacionados entre si, também contribuem para a queda da cobertura da vacinação: contexto político e econômico de muita fragilidade; falsa sensação de segurança pois muitas doenças já não ocorriam; crescente movimento antivacinas, inclusive com divulgação de informações falsas; e questões operacionais atuais na rede de serviços do SUS.

A Associação afirma que a situação se agravou a partir de 2016. “A recente epidemia de sarampo já atinge sete estados, com registro de mais de 1.200 notificações, e ocorrência de 70 casos por dia desta grave doença imunoprevenível, que até agora levou a óbito seis crianças, sendo cinco menores de um ano de idade”, relata.

Também é elevado o risco de ressurgimento da poliomielite, há mais de 30 anos sem registro de casos no país. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) é considerado um dos maiores e mais efetivos programas públicos de vacinação do mundo. “Tudo isso está agora ameaçado”, alerta a Abrasco.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o alcance da vacinação contra a poliomielite caiu de 98,3% para 79,5%; rotavírus, de 95,4% para 77,8%; pentavalente de 96,3% para 79,2%; hepatite B ao nascer, de 90,9% para 82,5%; meningococo C, de 98,2% para 81,3%; pneumocócica, de 94,2% para 86,3% e; 1ª dose de tríplice viral diminuiu de 96,1% para 86,7%.

 

Gol

A rede de franquias YES! Idiomas é a patrocinadora oficial de dois grandes clubes cariocas: Fluminense e Vasco. O presidente Clodoaldo Nascimento destaca que a rede sempre priorizou o esporte em suas ações de marketing.

O patrocínio a Flu e Vasco é válido até o fim da temporada de 2018. Juntas, as duas torcidas somam mais de 10 milhões de torcedores. São dois clubes com visibilidade nacional, e a YES! espera crescer 10% até o fim do ano.

A marca já esteve envolvida em campanhas voltadas para o futebol como a Copa do Nordeste e o Campeonato Carioca e em projetos de outras áreas esportivas. “Faço questão de relacionar a educação ao esporte, por acreditar que uma sociedade só é considerada desenvolvida, quando está constituída por cidadãos engajados nesses princípios” explica Clodoaldo.

 

Regime de exceção

O Instituto dos Advogados Brasileiros aponta como inconstitucional a Portaria 121, assinada no dia 13 de agosto pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, autorizando o emprego da Força Nacional de Segurança Pública nas manifestações previstas para este mês, em Brasília.

De acordo com o autor do parecer, Hariberto de Miranda Jordão Filho, da Comissão de Direito Constitucional, “a portaria ministerial, baixada como se estivéssemos em um regime de exceção, constitui uma tentativa de intimidação e repressão às manifestações políticas organizadas para o mês de agosto na Esplanada dos Ministérios”.

 

Na moita

Título da Folha: “Suíça decide enviar ao Brasil dados bancários de ex-diretor da Dersa”. Trata-se de Paulo Preto, tido como operador do PSDB. Alguém dúvida que, no lugar do tucano, fosse um petista, o jornalão paulista tascaria na manchete “operador do PT”?

 

Rápidas

O Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Educação Médica deram o selo de escola de qualidade à Faculdade de Medicina de Petrópolis *** Neste sábado, o Shopping Grande Rio realiza, em parceria com o Sesc RJ, ação integrada com diversas atividades de cultura e lazer, além de orientação sobre saúde, das 9h às 17h *** No domingo, o Shopping Grande Rio promove o Torneio Infantil de Xadrez, a partir das 14h *** 1968 e os trabalhadores é o nome da revista que o Centro de Memória Sindical lançará no dia 30, às 17h30, no Hotel Leques Brasil, no bairro da Liberdade, em São Paulo. A publicação traz depoimentos de José Dirceu, João Guilherme Vargas Netto, Luiz Gonzaga Belluzzo, Vital Nolasco, José Ibrahin, José Luiz Del Roio e Raimundo Rodrigues Pereira, além de artigos de José Carlos Ruy e Fernando Damasceno sobre os eventos internacionais de 1968.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSentimento social
Próximo artigoJogo do poder

Artigos Relacionados

É urgente a revogação da PPI

Federação do Fisco taxa PEC de Bolsonaro de eleitoreira.

Olavo de Carvalho, quem diria, já escreveu no MM

Críticas à ‘Nova Ordem Mundial’, ‘Globo’, ‘Time’ e Garotinho.

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Últimas Notícias

Prazo para Apresentação do 3º Ciclo da Oferta Permanente

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou nesta quinta-feira que todas as empresas inscritas interessadas em participar do 3º Ciclo...

Governo aposta na abertura do mercado de gás natural em Rondônia

O governo acredita que a abertura do mercado de gás natural no estado de Rondônia vai potencializar a exploração de gás na bacia dos...

Faturamento da mineira Lett avançou 70% em 2021

A Lett, startup mineira especialista em Trade Marketing Digital, reportou que em apenas 12 meses, a empresa conseguiu um aumento de mais de 70%...

Relatório lista marcas chinesas como globalmente mais fortes

Várias empresas chinesas figuram entre as marcas mais fortes e de crescimento mais rápido do mundo listadas pelo relatório “Global 500 2022”, da consultoria...

Brasil quer retaliar países em disputas paralisadas na OMC

O Congresso Nacional vai analisar uma medida provisória que autoriza o Brasil a suspender concessões e até retaliar membros da Organização Mundial do Comércio...