Valor gasto em restaurantes do Rio caiu 35,7% em dezembro

Levantamento realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em parceria com a Alelo apontou os impactos da Covid-19 com os Índices de Consumo em Supermercados (ICS) e os Índices de Consumo em Restaurantes (ICR), calculados com base nas transações diárias realizadas, em dezembro de 2020, a partir da utilização de cartões alimentação e refeição no Rio de Janeiro.

Os Índices de Consumo em Restaurantes (ICR) trazem a evolução do consumo de refeições prontas em estabelecimentos como restaurantes, bares, lanchonetes, padarias, além de serviços de entrega (delivery) e retirada em balcão/para viagem (pick-up). Em dezembro, na comparação com o mesmo período de 2019, o valor gasto nestes estabelecimentos registrou uma queda de 35,7%, enquanto a média nacional foi de -28,1%. Houve ainda redução de 52,5% no volume de transações e 11,4% no número de estabelecimentos que registraram operações.

“Notamos que o segmento vinha se recuperando mês a mês, evoluindo de -53,4% (abril) para -30,1% (novembro), variações calculadas em relação aos respectivos meses de 2019, mas em dezembro esse avanço foi interrompido. Alguns fatores que podem explicar esse resultado são: a segunda onda da pandemia e o retorno de algumas medidas restritivas, que afetaram o número de estabelecimentos abertos em dias que usualmente apresentam consumo elevado, principalmente com as festas de fim de ano”, afirma Cesário Nakamura, presidente da Alelo.

Adotando como parâmetro o valor gasto em restaurantes, é possível evidenciar que as regiões mais impactadas em dezembro foram a Sudeste (-28,3%), Sul (-28,2%) e Centro Oeste (-28,2%), contrastando com os resultados nas regiões Norte (-21,7%) e Nordeste (-25,5%).

Em relação aos Índices de Consumo em Supermercados (ICS), os dados de dezembro, quando comparados ao mesmo período do ano passado, mostram que o segmento teve uma queda de 10,8% no valor gasto, ao passo que o volume de transações foi 27% inferior. Além disso, o número de estabelecimentos que efetivaram transações encerrou o mês 15,1% abaixo do patamar registrado em dezembro de 2019.

Segundo os pesquisadores da Fipe, a análise dos últimos resultados relacionados ao segmento de supermercados evidencia que o consumo observado nesse mês, mesmo impulsionado pelos eventos e festas do período, não foi capaz de recuperar o nível pré-pandemia de 2019.

Leia mais:

Rio proíbe eventos de blocos e escolas de samba no carnaval

Comércio do Rio pode abrir integralmente na Terça Gorda e nas Cinzas

Artigos Relacionados

Apenas 15% das indústrias adotaram trabalho intermitente

Dieese alerta que precarização reduz consumo.

Energia solar baixa custo ao consumidor e criará 1 milhão de empregos

Consumidores terão menos gastos com energia até 2050.

Movimentos sociais denunciam urgência em votação de PL que altera LSN

Segundo entidades, insistência de Arthur Lira em pautar o projeto 'é um descolamento da realidade de um país no auge da crise da Covid-19.'

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.