29.5 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 16, 2021

Vamos continuar soltando balões?

Como nos manifestamos anteriormente na época das festas juninas, a prática de soltar balões em qualquer área sem a devida segurança é um risco permanente que justifica uma intervenção legal como freio desta conduta em que o perigo conduz a possibilidade de tornarem irrecuperáveis as áreas de cultivo, florestas e a fauna pela incapacidade de recuperação da área atingida. Contudo, nem todos os segmentos sociais têm defendido a tese referente às proibições de soltar balões sem qualquer segurança para evitar danos irreparáveis.

Aqueles que defendem o fato de soltar balões como tradição de nossa sociedade também sustentam a ideia de que a prática de fabricação de balões de grande feitura e tamanho seria uma atividade profissional. Estão fortes no entendimento de que a arte do balão gera emprego para muitas pessoas. Infelizmente essa tese é insustentável, porque o que comumente se verifica são as consequências geradas pelo descontrole quanto aos balões. Não podemos deixar de medir as consequências causadas, como temos assinalado, pois os cuidados indispensáveis para evitar o perigo para a natureza, incêndios imprevisíveis e a possibilidade de devastação em áreas florestais e até de locais de trabalho, principalmente em áreas do interior da cidade, tornando-se desprotegidas podendo gerar prejuízos para todos.

Projetos de lei têm surgido com a finalidade de ampliar a defesa contra essa prática. Observa-se que a lei 9.605/98 que dispõe sobre as sansões penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. A indicação também de se alterar o código em vigor quanto ao dispositivo que estabelece como crime possuir e armazenar artefatos para a fabricação, a venda, transporte e guarda dos balões, provocando perigo a navegação aérea. Por evidência, a lei não merece qualquer censura, porém, já estamos acostumados aos excessos de normas jurídicas sem a devida aplicação. Não verificamos, das autoridades públicas, medidas suficientes para localizar os transgressores e punindo-os da forma devida.

Nosso tempo de criança nos conduz a visão até certo ponto considerável sobre os pequenos balões em que a bucha geralmente é de vela, alcançando uma altura muito baixa, perdendo sua força e apagando logo em seguida. Começaram a coroar o céu de centenas de balões com outros componentes, atingindo distâncias consideráveis e saindo da vista de seus lançadores e das pessoas ao redor. Teve início, na verdade, o descontrole quanto à divulgação em festas nessa época do ano, principalmente no lançamento de balões de grande proporcionalidade, sendo festejados como ato de heroísmo. O que mais tem impressionado é o fato de que não é só no período das festas juninas; vão surgindo, assim, muitos grupos em encontros festivos para o lançamento de balões sem qualquer controle.

A combinação de estopa com materiais inflamáveis, como por exemplo, querosene ou álcool, e papel faz com que os balões se tornem perigosos. E os danos podem ser irreparáveis com incêndios e até explosões. Dirigimo-nos a todos para pedir que se orientem quanto às consequências de soltar balões que possam gerar prejuízos. No entanto, nada de prático acontece; os baloeiros vão surgindo e se aperfeiçoando.

Será que vale a pena soltar balões? A resposta seria óbvia se todos se conscientizassem de que soltar balões é crime ambiental, e de que este ato pode gerar prejuízos, muitas vezes irreparáveis e de resultados negativos para todos. Cabe à autoridade pública uma fiscalização mais intensa e objetiva quanto aos grupos de baloeiros, que, na verdade, praticamente atuam sem qualquer punição para seus atos quanto a soltar balões, desproporcional à segurança ambiental. Com as diversas informações da mídia, campanhas e outros, podemos alcançar a uma nova geração, com cultura e visão diferenciada para o ato de soltar balões.

Artigos Relacionados

Desembargador Sidney Hartung faleceu nesta 2ª f

Desembargador recebeu Medalha de Honra da Magistratura (foto: Luis Henrique Vicent/TJRJ)   Faleceu na manhã desta segunda-feira o...

Educação ambiental

Como devemos saber, a educação ambiental é o caminho ao que temos manifestado sobre proteção ambiental. Por esta...

A importância da reciclagem para o meio ambiente

Todos nós sabemos que o lixo descartável não é reaproveitável pela natureza e, pelo contrário causa...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.