Varejo cresceu 15,3% entre 4 e 10 de maio, ante semana anterior

Com a Covid-19, vendas do segmento de limpeza têm se destacado desde o começo do isolamento para controle da doença.

Conjuntura / 11:49 - 22 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As compras de bens de grande consumo (FMCG, por sua sigla em inglês) impulsionaram o crescimento do varejo moderno entre os dias 4 e 10 de maio. Com alta de 15,3%, os segmentos de alimentos, sazonais, bazar e têxtil se destacaram na comparação com a semana anterior, segundo levantamento da Nielsen Brasil. Outro dado importante é a recuperação nas vendas de quase 90% das cestas, indicando um cenário de abastecimento dos lares brasileiros.

O varejo moderno, que engloba autosserviço, cash & carry e cadeias de farmácias, expandiu 11,4% no acumulado do ano (versus 2019). Nesse contexto, cash & carry segue como destaque com performance positiva de 17,6%, seguido por farmácia, que cresceu 10,3% em quatro meses.

Com a Covid-19, as vendas do segmento de limpeza têm se destacado desde o começo do isolamento para controle da doença. Na segunda semana de maio, com crescimento total de 11,7%, os produtos com melhor performance de vendas nesta cesta foram sabão em pó (+12,9%), amaciantes (+13,4%), água sanitária (+10,4%) e sabão em barra (+17,8%). Praticamente todos os itens que compõem esse segmento apresentaram expansão.

A procura por alimentos cresceu 15,7% e também contribuiu para o resultado positivo, com incremento de 30,3% nas vendas de chocolate, 27,7% de alta nas compras de leite condensado, 12,9% de crescimento em biscoitos e 10,2% em leite em pó. A alta significativa nas vendas de chocolates está relacionada ao Dia das Mães.

Com o abastecimento das despensas, entre os dias 4 e 10 maio, as compras de commodities aumentaram 14,3%, com alta em todos os produtos básicos que integram a cesta. Destaque para o crescimento nas vendas de arroz (+22,4%), feijão (+20,6%), óleo (+18%), café em pó (+16,3%) e açúcar (+14,6%).

Higiene & beleza manteve o movimento de crescimento verificado na semana anterior, e neste segundo período de maio a variação foi de 12,9%. Essa alta foi impulsionada pelo aumento nas vendas da maior parte das categorias, principalmente papel higiênico (+15,5%), tratamentos de pele (+21,7%), sabonete (+15) e creme dental (+15,9%).

A cesta de bebidas, com alta importância para o varejo, cresce pela terceira semana consecutiva, com alta de 4,5% no período. Os aumentos de vendas mais significativos foram de vinhos de mesa (+37,1%), refrigerantes (+6,1%), sucos prontos para beber (+6,8%), uísque (+16,2%) e suco em pó (+6,6%). Já as principais retrações neste segmento foram: cerveja (-2%), água mineral (-5%), misturas alcoólicas (-8,6%) e gim (-12,7%).

Nos industrializados perecíveis, a busca foi maior para margarina (+22,6%), iogurte (+13,7%), carnes congeladas (+14,7%) e pão de queijo (+13,7%). Com a chegada de dias mais frios, houve recuo nas compras de sorvetes (-6,2%) e açaí (-15,3%).

Assim como as demais cestas, nesta semana os perecíveis frescos cresceram 12,6% no total, com as altas mais significativas para cortes bovinos (+11,9%), cortes de frango (+14,9%), industrializados de carne (+10,4%) e vegetais e saladas (+18,8%). Somente as vendas de cortes bovino e frango, juntos, somam 40% do crescimento da cesta. Retração nas vendas de leite fresco (-5,4%), pão francês (-1,6%) e pão doce (-11,9%).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor