Varíola dos macacos: OMS declara emergência internacional

Para organização, doença pode ser interrompida com ações necessárias; NY decreta emergência de saúde pública devido a surto.

O surto de varíola dos macacos que se espalha rapidamente pode ser interrompido se países, comunidades e indivíduos levarem os riscos a sério e tomarem as medidas necessárias para interromper a transmissão e proteger grupos vulneráveis, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, na quarta-feira.

Durante os comentários de abertura em uma coletiva de imprensa, Tedros disse que mais de 18 mil casos de varíola foram relatados globalmente, com mais de 70% na Europa e 25% nas Américas. Até o momento, houve cinco mortes relatadas e cerca de 10% dos casos estão internados em hospitais para tratamento da dor causada pela doença.

A OMS declarou a varíola dos macacos uma emergência de saúde pública de interesse internacional (PHEIC) no último sábado. Um PHEIC é o maior nível de alerta que o órgão de saúde da Organização das Nações Unidas pode acionar.

No momento, o surto ainda está concentrado principalmente em grupos de homens homoafetivos que têm relações sexuais entre si, mas não é esse motivo em todos os lugares, disse a líder técnica da OMS sobre a varíola dos macacos, Rosamund Lewis.

Segundo a OMS, a varíola dos macacos pode causar uma série de sinais e sintomas, incluindo feridas dolorosas. Algumas pessoas desenvolveram sintomas graves que precisam de cuidados em uma unidade de saúde. Aqueles com maior risco de infecção incluem mulheres grávidas, crianças e pessoas imunocomprometidas. A melhor maneira de evitar a infecção é reduzir o risco de exposição.

A OMS trabalha conjuntamente com os Estados-membros e a UE na liberação de vacinas e com parceiros para determinar um mecanismo de coordenação global. Também recomenda a vacinação direcionada para aqueles expostos a alguém com varíola dos macacos e para aqueles com alto risco de exposição.

Lewis disse que cerca de 16,4 milhões de vacinas estão atualmente disponíveis a granel, mas precisam ser concluídas. Os países que atualmente produzem vacinas são Dinamarca, Japão e EUA. A OMS atualmente não recomenda a vacinação em massa contra a varíola dos macacos.

A cidade de Nova Iorque declarou neste sábado uma emergência de saúde pública devido ao surto de varíola dos macacos. O prefeito, Eric Adams, e o comissário de Saúde da cidade, Ashwin Vasan, fizeram o anúncio em uma declaração conjunta, já que um total de 1.383 casos de varíola foram relatados no estado.

“A cidade de Nova Iorque é atualmente o epicentro do surto e estimamos que aproximadamente 150 mil nova-iorquinos possam estar em risco de exposição à varíola dos macacos”, dizia o comunicado.

A declaração permitirá que o departamento de saúde emita ordens de emergência sob o código de saúde da cidade e altere as disposições do código para ajudar a reduzir a propagação.

O anúncio veio um dia depois que a governadora de Nova Iorque, Kathy Hochul, declarou uma emergência de desastre estadual devido ao surto. Na quinta-feira, o departamento de saúde do estado chamou a varíola dos macacos de “ameaça iminente à saúde pública”. Dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA mostraram que 5.189 casos foram confirmados em todo o país até sexta-feira.

 

Com informações da Agência Xinhua

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior

‘Meu cartão de crédito é uma navalha’

Preços, juros e desemprego altos e queda do poder de compra causam o uso da modalidade crédito.

Cerveja: consumo fora do lar se aproxima de níveis pré-pandemia

Bebedores cresceram 3 milhões em relação à pré-pandemia; venda de vinhos passou de 383 milhões de litros, em 2019, para 501,1 milhões, em 2020.

Últimas Notícias

Armazém Cultural: Câmara debate veto do prefeito do Rio

.Comissão de Justiça e Redação recomenda rejeição ao veto

Plataformas da Bacia de Campos tem hotéis flutuantes

Petrobras estuda investir US$ 220 milhões até 2023

Ações do setor de saúde puxam Ibovespa

Destaque também para Petrobras, que celebrou novo aditivo ao contrato de compra de gás natural com a YPFB

Governo de MG conclui leilão de 627,4 km de rodovias

Investimentos de R$ 3,2 bi, sendo R$ 1,4 bi nos oito primeiros anos da concessão

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior