Vazamento de dados atinge 98% da população do Equador

Falha mostra risco de o Brasil privatizar Serpro e Dataprev.

O Governo do Equador investiga o vazamento de dados na internet de 98% de sua população. Os 18 gigabytes incluem informações pessoais, dados bancários, tributários e previdenciários de cerca de 17 milhões de equatorianos.
O vazamento foi descoberto pela companhia israelense vpnMentor. Os dados estavam armazenados em uma nuvem gerenciada pela empresa Novaestrat, e que não estava devidamente segura.
A notícia mostra os riscos de privatização do Serpro e da Dataprev, como pretende o ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes. As duas empresas brasileiras são responsáveis pela guarda das informações de Imposto de Renda e previdenciárias, entre outros dados sensíveis.
A Novaestrat é uma empresa encarregada de desenvolver e implementar sistemas de inteligência para o mercado equatoriano, segundo a página na internet da empresa – que não estava no ar nesta segunda-feira. O acesso ao servidor hospedado na Amazon foi restringido após a intervenção da equipe de segurança cibernética de emergência no Equador, segundo informaram as agências de notícias.
Os dados de registro civil são vendidos a empresas privadas. Porém, as informações do Banco del Instituto Ecuatoriano de Seguridad Social (BIESS) não são comercializados e não deveriam estar disponíveis para a Novaestrat.
A ministra do Interior, María Paula Romo, afirmou que o governo trabalha em uma investigação que “permitirá nas próximas horas informar com clareza quem são os responsáveis pelo que aconteceu”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

E-commerce: contas antigas e roubo de login são as fraudes mais comuns

Redes sociais e aplicativos de mensagens são os maiores desafios para a segurança de dados corporativos.

Madrugada de terça é a preferida para golpes

Mapa da Fraude considerou cerca de 6 mil clientes nos períodos de janeiro a junho.

Ciberataques no Brasil aumentaram 46% no segundo trimestre

Os três principais setores mais visados por ransomware no mundo que são governo/militar, educação/pesquisa e saúde.

Últimas Notícias

Armazém Cultural: Câmara debate veto do prefeito do Rio

.Comissão de Justiça e Redação recomenda rejeição ao veto

Plataformas da Bacia de Campos tem hotéis flutuantes

Petrobras estuda investir US$ 220 milhões até 2023

Ações do setor de saúde puxam Ibovespa

Destaque também para Petrobras, que celebrou novo aditivo ao contrato de compra de gás natural com a YPFB

Governo de MG conclui leilão de 627,4 km de rodovias

Investimentos de R$ 3,2 bi, sendo R$ 1,4 bi nos oito primeiros anos da concessão

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior