Velho Chico

Gasto quase 50% menor, beneficiando uma população quase três vezes superior à que será atendida pela transposição do Rio São Francisco. É o que promete o Atlas do Nordeste Abastecimento Urbano de Água, elaborado pela Agência Nacional de Águas (ANA). Segundo o sociólogo e ecologista Adriano Martins, trata-se de alternativas técnicas para a garantia de recursos hídricos às populações urbanas abrangidas não só pelo São Francisco, mas também pelos rios Pardo, Mucuri e Jequitinhonha, entre outros. O projeto beneficiaria 34 milhões de nordestinos e custaria R$ 3,6 bilhões, frente a 12 milhões alcançados pela transposição, que custaria R$ 6,6 bilhões – isso se a Gautama não participar da empreitada.
O Atlas está disponível em http://parnaiba.ana.gov.br/atlas_nordeste.

“Adiós”
A decisão do México de, por pressão da administração Bush, passar a exigir visto dos brasileiros que desejam visitar aquele país fez desabar em 57,6% o número de turistas daqui  que procuram a interessante terra de Emiliano Zapata. Segundo o cônsul geral do México no Brasil, Andrés Ordóñez, entre 2005 e 2006 o total de brasileiros que viajaram para sua nação recuou de 78 mil para 45 mil. Além da burocracia e do tempo gasto nas filas, a exigência, adotada há um ano e sete meses, encareceu os custos, principalmente, para quem mora fora do Rio e de São Paulo, únicas cidades brasileiras com representações diplomáticas mexicanas. Apesar disso, Ordóñez prevê que, ao fim de 2007, o fluxo de brasileiros para o México “aumentará significativamente”

Bênção do Tio Sam
Além da exigência de visto, os brasileiros que desejam viajar para o México estão sujeitos a um segundo e desagradável obstáculo. Por determinação do Governo Bush, sob a alegação de combater a migração ilegal para o território norte-americano, quem embarca em vôo com escala no Estados Unidos, ainda que de curta autorização, também tem de obter visto do consulado dos Estados Unidos no seu país de origem. Pelo menos um professor amigo desta coluna só aceitou convite para participar de um congresso acadêmico no Canadá depois que os organizadores garantiram que seu vôo não faria escala nos EUA.

Homenagem
Saturnino Braga, ex-senador e ex-prefeito do Rio, recebe nesta quinta, às 18h30, o título de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, por iniciativa da deputada estadual Inês Pandeló (PT). A entrega do título será na Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos (Rua do Russel 1, na Glória), junto com o lançamento do livro Mudança de época, escrito por Saturnino, que fará palestra sobre “Os três estágios da nação brasileira”.
Saturnino, que saiu por baixo da Prefeitura carioca, após ter sua gestão boicotada pelos vereadores pedetistas, deu a volta por cima, se elegendo senador em 1998, com a grande mobilização popular para superar Roberto Campos, que sonhava com a cadeira.

Cartório
Em breve, cópias autenticadas em cartórios não serão mais necessárias aos cidadãos fluminenses que precisem apresentar documentos exigidos por órgãos da administração pública estadual, direta, indireta e suas fundações. As cópias passarão a ser conferidas pelos servidores públicos, que poderão declarar que o apresentado “confere com o original”. Esse projeto, apresentado na legislatura passada pela atual deputada federal Andréa Zito (PSDB-RJ), foi aprovado em primeiro turno na Alerj. O que motivou o projeto foi a elevação dos custos nos cartórios do Rio: “Um cidadão precisa dispor de R$ 16 para autenticar cópias de documentos básicos, o que, para uma parcela significativa da população, é extremamente oneroso”, justificou Andréa Zito.

Hematoma
“A extinção destes contratos temporários representará para o Hospital dos Servidores do Estado (HSE), em curto espaço de tempo (sic), uma redução de 50% de sua força de trabalho produtivo nas áreas de atividade-fim”. O alerta, sendo o Sindsprev-RJ, foi feito em abril por Leslie Aloan, diretor do HSE. Agora, ele afirma que as demissões na unidade não trarão qualquer prejuízo ao seu funcionamento. O sindicato afirma que as primeiras 90 dispensas provocaram a suspensão de cirurgias, consultas e internamentos.
O objetivo do Ministério da Saúde é dispensar todos os 736 profissionais aprovados em seleção pública em 2005, no HSE, que foram contratados em regime temporário, contratos que vencem este ano.

Fratura exposta
A rede de saúde da Prefeitura do Rio está sem ortopedistas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAusência de precisão
Próximo artigoPromessa é dívida

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

SUS gastou R$ 3 bi com acidentes de trânsito em 10 anos

O Brasil registrou 27.839 indenizações pagas por acidente de trânsito com vítimas fatais entre janeiro e outubro de 2020. Os números mostram que, a...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...

Atlantic Bank aporta R$ 3 milhões em hub com 48 fintechs

Público-alvo são empresas que desejam verticalizar suas receitas no setor financeiro.

‘Melhores do Seguro e Resseguro’

Na próxima terça-feira (26), às 18 horas, a Revista Insurance Corp irá transmitir em seu canal no Youtube o prêmio "Melhores do Seguro e...